Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/33710
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_ComunicacaoSaudeEstudo.pdf299,9 kBAdobe PDFView/Open
ARTIGO_HealthCommunicationStudy.pdf4,08 MBAdobe PDFView/Open
Title: Comunicação em saúde : um estudo do perfil e da estrutura das assessorias de comunicação municipais em 2014-2015
Other Titles: Comunicación en salud : un estudio del perfil y estructura de las asesorias municipales de comunicación en 2014-2015
Health communication : a study of the profile and structure of municipal communication advisory services in 2014-2015
Authors: Nardi, Antonio Carlos Figueiredo
Soares, Rackynelly Alves Sarmento
Mendonça, Ana Valéria Machado
Sousa, Maria Fátima de
Assunto:: Política de saúde
Sistema Único de Saúde (Brasil)
Gestão em Saúde
Comunicação em Saúde
Issue Date: 2018
Publisher: Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde do Brasil
Citation: NARDI, Antonio Carlos Figueiredo et al. Comunicação em saúde: um estudo do perfil e da estrutura das assessorias de comunicação municipais em 2014-2015. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 27, n. 2, e2017409, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742018000200015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222018000200314&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 04 fev. 2019. Epub July 02, 2018.
Abstract: Objetivo: investigar as características dos serviços de comunicação em saúde, a partir da Rede dos Conselhos das Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS) no Brasil. Métodos: estudo quantitativo exploratório, conduzido de 2014 a 2015, com amostra não probabilística. Foram utilizados quatro questionários estruturados, divididos em quatro dimensões: 1) estrutura de trabalho das assessorias de comunicação; 2) perfil dos profissionais que nelas atuam; 3) principais atribuições destas assessorias; e 4) possíveis variantes entre os municípios que não possuíam esse serviço especializado. Resultados: de 122 municípios participantes, 72 não possuíam assessoria de comunicação e somente 2 núcleos da rede possuíam diretoria de comunicação; as instalações de trabalho eram precárias; os profissionais tinham pouco tempo de trabalho nas assessorias de comunicação; e não tinham estabilidade empregatícia ou assento nos conselhos gestores. Conclusão: apesar de realizarem assessoramento direto aos secretários, as condições de trabalho dos profissionais de comunicação comprometem suas ações de planejamento.
Abstract: Objetivo: to investigate the characteristics of health communication services taking the Municipal Health Department Councils network in Brazil as a basis. Methods: this was a quantitative study with an exploratory design conducted in 2014-2015, using non-probability sampling. Four structured questionnaires were used examining four dimensions: 1) structure of the communication advisory service work; 2) profile of the professionals working in these services; 3) the main duties of these advisory services, and 4) possible variants of municipalities not having this specialized service. Results: 72 of the 122 participating municipalities did not have a communication advisory service and only two network members had communications directorates; work facilities were precarious, professionals had little length of communication advisory service; they did not have job stability and were not members of the health management councils. Conclusion: Although they provide direct advice to health secretaries, the working conditions of communication professionals compromise their planning actions.
Resumen: Objetivo: investigar las características de los servicios de comunicación en salud, a partir de la Red de los Consejos de las Secretarías Municipales de Salud en Brasil. Métodos: estudio cuantitativo exploratorio conducido de 2014-2015, con muestra no probabilística. Cuatro cuestionarios estructurados, con cuatro dimensiones: 1) estructura del trabajo de las asesorías de comunicación; 2) perfil de los profesionales; 3) las principales atribuciones de estas asesorías; y 4) posibles variantes de quienes no poseían este servicio. Resultados: de 122 municipios participantes, 72 no poseían asesoría de comunicación, y solamente 2 núcleos de la red poseían dirección de comunicación; las instalaciones de trabajo son precarias, los profesionales tienen poca experiencia y no tienen estabilidad de empleo (son comisionados). Conclusión: a pesar de realizar asesoramiento directo a los secretarios, los profesionales de comunicación no poseen asiento en los consejos gestores, lo que compromete sus acciones de planificación y debilita los procesos organizativos.
Licença:: Epidemiologia e Serviços de Saúde - (CC BY NC) - Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons. Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222018000200314&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 04 fev. 2019.
DOI: http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742018000200015
Appears in Collections:FS - Artigos publicados em periódicos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/33710/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.