Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/3350
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2007_RenataLazariSandoval.pdf1,81 MBAdobe PDFView/Open
Title: Avaliação do efeito da radiação laser de baixa potência sobre a proliferação de linfócitos humanos tratados com cisplatina
Authors: Sandoval, Renata Lazari
Orientador(es):: Tosta, Carlos Eduardo
Assunto:: Odontologia
Oncologia
Mucosa bucal
Raios laser
Medicina oral
Issue Date: 30-Mar-2007
Citation: SANDOVAL, Renata Lazari. Avaliação do efeito da radiação laser de baixa potência sobre a proliferação de linfócitos humanos tratados com cisplatina. 2007. 73 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas)-Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Abstract: A radiação laser de baixa potência tem sido utilizada com sucesso na prevenção e no tratamento de ulcerações orais causadas por terapias citotóxicas (radioterapia e quimioterapia), empregadas no tratamento oncológico. Sabe-se que o efeito curativo da radiação laser decorre, principalmente, da indução da proliferação de células que participam do processo de cicatrização tecidual. No entanto, ainda pouco se sabe sobre o seu efeito preventivo, devido às limitações investigacionais inerentes aos estudos clínicos envolvendo pacientes em tratamento oncológico. Sendo assim, faz-se necessário o desenvolvimento de um modelo de estudo in vitro que possibilite investigações mais aprofundadas sem que haja o comprometimento do bem estar dos pacientes. Tendo isso em vista, o objetivo da presente investigação foi desenvolver um modelo de estudo in vitro capaz de reproduzir fenômenos observados na prática clínica, tais como indução de citotoxicidade devido ao uso de drogas quimioterápicas, neste caso a cisplatina, observação de variações de resposta entre diferentes indivíduos, estimulação da proliferação celular e indução de citoproteção a partir da irradiação com laser de baixa potência. O modelo de estudo desenvolvido teve como indicador dos fenômenos investigados a proliferação linfocitária, e mostrou-se adequado para o cumprimento de todos os objetivos apresentados. A radiação laser induziu aumento da proliferação linfocitária e reduziu a citotoxicidade causada pela cisplatina. Não foi possível observar relação de dose-resposta, pois houve grande variabilidade de resposta entre os indivíduos investigados. Essa variação de resposta interindividual ocorreu também em relação à ação tóxica da cisplatina. Esses dados corroboram com uma nova tendência da área médica: a necessidade de individualização dos tratamentos com o auxílio de técnicas laboratoriais que possam predizer padrões de resposta, orientando assim ajustes de doses e conseqüente otimização dos esquemas terapêuticos. O presente modelo de estudo pode ser utilizado em pesquisas futuras com esse propósito. ___________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Low energy laser radiation has been successfully used for the prevention and treatment of oral ulcerations induced by cytotoxic therapies (radiotherapy and chemotherapy), during oncologic treatment. The healing effect of laser radiation is a consequence of its potential to induce cell proliferation, including the cells that participate in tissue repair. In spite of its wide use, its role in the prevention of oral ulcerations is not completely understood, owing to investigational limitations. These limitations exist due to special aspects associated to the oncologic patient, including myelosupression and higher risk of infection. The development of an in vitro model that is capable of reproducing in vivo situations is mandatory to evaluate the effects caused by laser irradiation and to elucidate its mechanisms of action. With this purpose, we developed a model that was able to reproduce cytotoxicity caused by chemotherapeutic agents, cisplatin in this case, as well as interindividual response variations, stimulatory effect on cell proliferation and cytoprotection induced by low energy laser radiation. In the present model, lymphocyte proliferation was the biological marker used to study the aforementioned circumstances. Laser radiation increased the lymphocyte proliferative response and promoted cytoprotection when the cells were exposed to cisplatin. It was not possible to show any relation between energy density of laser radiation and the obtained proliferative responses because of interindividual variations. These variations were also noted in the cytotoxicity assay induced by cisplatin.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2007.
Appears in Collections:FMD - Mestrado em Ciências Médicas (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/3350/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.