Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/33229
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_MarceloNunesdeLima_PARCIAL.pdf1,45 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Efeito da simulação realística na aprendizagem : um experimento com discentes de enfermagem
Autor(es): Lima, Marcelo Nunes de
Orientador(es): Abbad, Gardênia da Silva
Assunto: Treinamento - avaliação
Aprendizagem - avaliação
Simulação de alta fidelidade
Enfermagem - estudo e ensino
Data de publicação: 17-Dez-2018
Referência: LIMA, Marcelo Nunes de. Efeito da simulação realística na aprendizagem: um experimento com discentes de enfermagem. 2018. 166 f., il. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: Introdução: O uso da Simulação de Alta Fidelidade (SAF) no ensino em saúde mostrou lacunas nas pesquisas sobre o efeito exercido por essas estratégias educacionais sobre a aquisição de habilidades de intervenção e a retenção da aprendizagem, surgindo o Problema de Pesquisa: Um treinamento de Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP), estruturado por meio de taxonomias de aprendizagem e objetivos instrucionais bem definidos, usando o recurso de simulação de alta fidelidade, é capaz de produzir melhores escores de aprendizagem, quando comparado a um treinamento de aula teórica e apresentação de vídeos com demonstrações de RCP?. Método: Este trabalho compreende três estudos com estudantes de Enfermagem de uma universidade federal em um hospital universitário, avaliando dois treinamentos sobre RCP, com SAF e outro com aula teórica. O estudo 1 é composto por desenho e teste de dois formatos de treinamento sobre RCP, um com SAF, com o uso de simulador de paciente, e outro com aula teórica e vídeos, ambos com oito objetivos instrucionais. No estudo 2, foram construídos itens de avaliação de aprendizagem e retenção de acordo com o guideline da American Heart Association e abordagens de desenho instrucional e taxonomias de resultados de aprendizagem. O estudo 3 apresenta um experimento com designação aleatória dos sujeitos em dois grupos experimentais, delineamento longitudinal, com pré-teste (T1) e dois pós-testes (T2, T3) e, ainda, um grupo controle. Os testes continham oito questões (uma questão por objetivo instrucional) aplicadas em três tempos distintos nos três grupos: pré-teste – antes do treinamento (T1); pós-teste – logo após (T2); e pós-teste – um mês após o treinamento (T3). Resultados: O estudo 1 evidenciou reações favoráveis da turma piloto aos dois treinamentos. O estudo 2 viabilizou três testes, cada um com oito questões. O GE-I apresentou melhores resultados de aprendizagem e retenção do que GE-II e o GC. O GE-II apresentou melhores resultados de aprendizagem e retenção do que o GC, porém com escores menores do que os do GE-I. O GC não apresentou diferenças nos escores em T1, T2 e T3. Conclusão: A SAF mostrou-se eficaz como método de ensino de RCP por apresentar melhores resultados do que o treinamento teórico, indicando que a metodologia desenvolveu habilidades de intervenção. Os estudantes tiveram oportunidade de realizar as atividades e repeti-las em diversas simulações, treinando a tomada de decisões e a realização de trabalho colaborativo sem riscos à saúde de pacientes reais. Os participantes do GE-I e do GE-II apresentaram aumento de notas do T1 para o T2, porém um decréscimo do T2 para o T3, indicando que as aprendizagens não foram totalmente retidas pelos participantes. A investigação do efeito da passagem do tempo sobre a retenção de aprendizagem requer estudos longitudinais, com mais de duas medidas, como realizado neste estudo.
Abstract: Introduction: The use of High-fidelity Simulation (SAF) in health teaching showed gaps in the research on the effect of these educational strategies on the acquisition of intervention skills and the retention of learning, resulting in the Research Problem: Cardiopulmonary Resuscitation (CPR), structured through well-defined learning taxonomies and instructional goals, using the high fidelity simulation feature, is able to produce better learning scores when compared to theoretical classroom training and video presentation with demonstrations of CPR ?. Method: This study comprises three studies with nursing students from a federal university in a university hospital, evaluating two training sessions on CPR, with SAF and another with theoretical classes. Study 1 consists of drawing and testing two training formats on CPR, one with SAF, with the use of a patient simulator, and another with theoretical classes and videos, both with eight instructional objectives. In study 2, learning and retention assessment items were constructed according to the American Heart Association guideline and instructional design approaches and taxonomies of learning outcomes. Study 3 presents an experiment with random assignment of subjects in two experimental groups, with a pre-test (T1) and two post-tests (T2, T3) and a control group. The tests contained eight questions (one question per instructional purpose) applied at three different times in the three groups: pre-test - before training (T1); post-test - shortly after (T2); and post-test - one month after training (T3). Results: Study 1 evidenced favorable reactions of the pilot group to the two trainings. Study 2 provided three tests, each with eight questions. GE-I presented better learning and retention results than GE-II and GC. The GE-II presented better learning and retention results than the CG, but with lower scores than the GE-I. The CG did not present differences in the T1, T2 and T3 scores. Conclusion: SAF proved to be effective as a teaching method for CPR because it presented better results than theoretical training, indicating that the methodology developed intervention skills. The students had the opportunity to carry out the activities and to repeat them in several simulations, training the decision making and the accomplishment of collaborative work without risks to the health of real patients. Participants in the GE-I and the GE-II had increased scores from T1 to T2, but a decrease from T2 to T3, indicating that the learning was not fully retained by the participants. The investigation of the effect of the passage of time on learning retention requires longitudinal studies, with more than two measures, as performed in this study.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações, 2018.
Texto parcialmente liberado pelo autor. Conteúdo restrito: Capítulos 3. Método e 4. Resultados.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:PSTO - Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.