Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/33114
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_MárioFabrícioFleuryRosa.pdf5,12 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorGuimarães, Sílvia Maria Ferreira-
dc.contributor.authorRosa, Mário Fabrício Fleury-
dc.date.accessioned2018-11-27T20:29:50Z-
dc.date.available2018-11-27T20:29:50Z-
dc.date.issued2018-11-27-
dc.date.submitted2018-06-19-
dc.identifier.citationROSA, Mário Fabrício Fleury. Pesquisa e inovação em saúde: contribuições da Saúde Coletiva para o desenvolvimento e produção de tecnologia no contexto do pé diabético. 2018. 175 f., il. Tese (Doutorado em Ciências e Tecnologias em Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/33114-
dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências e Tecnologias e Saúde, 2018.pt_BR
dc.description.abstractA agenda de desenvolvimento econômico e manutenção da cidadania das mais importantes sociedades contemporâneas utiliza a dinâmica de assimilação do processo social de desenvolvimento de pesquisa e inovação, cabendo ao setor da saúde parte importante desse desenvolvimento. No Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS) buscou organizar e concretizar os serviços nacionais de saúde, garantindo acesso gratuito, além de representar um avanço qualitativo e quantitativo do Complexo Econômico-Industrial da Saúde (CEIS). A Saúde Coletiva influenciou historicamente a formalização do SUS, apoiada em seu arcabouço teórico-metodológico, contribuindo efetivamente para o bom desempenho de alguns programas prioritários do Ministério da Saúde (MS), operando práticas e métodos ligados à influência da saúde na qualidade de vida da sociedade. Este estudo avalia as contribuições da Saúde Coletiva no desenvolvimento e na produção de equipamento médico idealizado na Universidade de Brasília (UnB), denominado Rapha, fomentado por políticas públicas em saúde pelo Departamento do Complexo Industrial e Inovação em Saúde (DECIIS), através do Programa para o Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde (PROCIS), e vinculados à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE). A abordagem metodológica majoritária foi a pesquisa qualitativa, apoiada, sobretudo, por pesquisa participativa e/ou direta. Complementarmente, utiliza-se a interdisciplinaridade entre ciência, tecnologia e inovação, e procedimentos de análises de fontes primárias e secundárias, conforme a metodologia das ciências humanas, visando aproximar fatos e acontecimentos imbricados nesse conjunto. Constata-se, primeiramente, que o processo de pesquisa interdisciplinar, quando utilizado no desenvolvimento e produção do Rapha, propicia a interação entre a Engenharia Biomédica, predominante nas pesquisas dessa natureza, com outras áreas do conhecimento, com relevância à Saúde Coletiva. Além disso, a interação entre essas duas áreas do conhecimento, através do processo interdisciplinar, aumenta exponencialmente as possibilidades de transformar a ideia de um equipamento em produto comercializável, capaz de atender aos anseios da sociedade brasileira na saúde. Esta pesquisa conclui que a participação da Saúde Coletiva foi fundamental para o atual estágio de desenvolvimento e produção do Rapha. Recomenda-se que os termos de descentralização de recursos futuros entre o Ministério da Saúde e as universidades, de natureza igual ou semelhante aos aqui analisados, atribuam nos planos de trabalhos aspectos vinculados às condutas teórico-metodológicas que dão conta da promoção da saúde, termos ligados à Saúde Coletiva, essenciais para atender às exigências da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC). Pretende-se buscar, com esse esforço, a conciliação entre desenvolvimento tecnológico e Saúde Coletiva, diminuindo iniquidades em saúde através das incorporações de tecnologias no SUS. Para tanto, esta tese foi dividida em três grandes eixos: 1) SUS atrelado à inovação e à tecnologia em saúde; 2) interdisciplinaridade e Saúde Coletiva; e 3) adoecimento advindo do diabetes mellitus e a tecnologia produzida no projeto Rapha.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titlePesquisa e inovação em saúde : contribuições da Saúde Coletiva para o desenvolvimento e produção de tecnologia no contexto do pé diabéticopt_BR
dc.title.alternativeResearch and innovation for health : contributions of collective health for the development and production of technology in the context of diabetic footpt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.subject.keywordSaúde coletivapt_BR
dc.subject.keywordInovaçãopt_BR
dc.subject.keywordEquipamentos hospitalarespt_BR
dc.subject.keywordSaúde - inovação e tecnologiapt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições:Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.contributor.advisorcoDomínguez, Aldira Guimarães Duarte-
dc.description.abstract1The agenda of economic development and maintenance of citizenship of the most important contemporary societies uses the dynamics of assimilation of the social process of development of research and innovation, being the responsibility of the health sector to play an important part of this development. In Brazil, Unified Health System (SUS) sought to organize and carry out the operation of the national health services, guaranteeing free access, as well as representing a qualitative and quantitative progress of the Economic-Industrial Complex of Health (CEIS). The collective health historically influenced the formalization of the SUS, based on its theoretical and methodological framework, effectively contributing to the good performance of some priority programs of the Ministry of Health (MS), operating practices and methods related to the health influence on the conditions and quality of life of society. This study evaluates the contributions of the collective health to the development and production of medical equipment idealized at the University of Brasília (UnB), called Rapha, fomented by health public policies operated by the Department of the Industrial Complex and Innovation in Health (DECIIS), through the Program in Development of Industrial Health Complex (PROCIS) and linked to the Secretariat of Science, Technology and Strategic Inputs (SCTIE). The majority methodological approach was qualitative research, supported, above all, by participatory and/or direct research. In addition, the interdisciplinarity between science, technology and innovation and analysis procedures of primary and secondary sources are used, according to the methodology of human sciences, to obtain greater proximity between events and events imbricated in this set. It is firstly observed that the interdisciplinary research process, when used in the development and production of Rapha, facilitates the interaction between the Biomedical Engineering field, predominant in research of this nature, with other areas of knowledge, with relevance to the collective health. In addition, the interaction between Biomedical Engineering and collective health, through the interdisciplinary process, exponentially increases the possibilities of transforming the idea of an equipment into a marketable product capable of meeting the aspirations of Brazilian society in the health sector. This research concludes that the participation of collective health was crucial to the current stage of development and production of Rapha. It is recommended that the terms of decentralization of future resources between the Ministry of Health and universities, of the same or similar nature as those analyzed here, assign in the work plans aspects related to the theoretical and methodological practices that account for health promotion, terms related to the collective health, essential to meet the requirements of the National Committee for Health Technology Incorporation (CONITEC) in SUS. The aim is to seek, through this effort, the conciliation between technological development and collective health, reducing health inequities through incorporations of technologies in SUS. Therefore, this thesis was divided into three main axes: 1) the SUS linked to innovation and technology in health; 2) interdisciplinarity and collective health; and 3) illness due to diabetes mellitus and the technology produced in the Rapha project.pt_BR
Appears in Collections:PGCTS - Doutorado em Ciências e Tecnologias em Saúde

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/33114/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.