Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/33108
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_ValleriaAraujodeOliveira.pdf5,77 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: A corporeidade no ciberespaço : estilo de vida, dor, sacrifício e feminilidades das mulheres na cultura do músculo
Autor(es): Oliveira, Valleria Araujo de
Orientador(es): Almeida, Dulce Maria Filgueira de
Assunto: Corpo
Cultura do músculo
Redes sociais
Instagram
Corporeidade
Mulheres - estilo de vida
Data de publicação: 27-Nov-2018
Referência: OLIVEIRA, Valleria Araujo de. A corporeidade no ciberespaço: estilo de vida, dor, sacrifício e feminilidades das mulheres na cultura do músculo. 2018. 167 f., il. Tese (Doutorado em Educação Física)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: Evidencia-se na contemporaneidade a utilização das redes sociais para veiculação de imagens que expressam práticas cotidianas e estilos de vida por meio da exposição de diferentes corpos. Nesse contexto, há também espaço para a mostração / demonstração de corpos musculosos e bem delineados tanto de homens e como de mulheres. Considerando, sobretudo, os corpos femininos, o presente estudo visa compreender a corporeidade de mulheres da cultura do músculo por meio da relação sentido-significado expressa em seus perfis no Instagram, que engendram a ressignificação de seus cotidianos e estilos de vida, bem como conformam outros padrões de feminilidade. Para tanto, compreende-se que as redes sociais constituem um espaço de agenciamento de outras formas de sociabilidades, distinguindo-se por disseminar outros padrões de corpo e forjando outras representações acerca de estilos de vida, do ideal de corpo e beleza na sociedade, especificamente na brasileira. A pesquisa foi caracterizada como uma etnografia online, pautando-se nesse delineamento consoante a antropologia visual. Desse modo, o nosso campo se conformou pelo Instagram e os sujeitos participantes da pesquisa (perfis observados) foi constituído por mulheres, jovens, praticantes de práticas corporais caracterizadas como fisiculturismo, triatlo e crossfit da cidade de Goiânia/Centro-Oeste do Brasil. Em razão de limites temporais, bem como do universo de mulheres praticantes na cidade de Goiânia, decidimos por acompanhar, cotidianamente, dez mulheres por meio de seus perfis naquela rede social. As informações que foram foco da interpretação consistiram em vídeos, imagens, fotografias e narrativas publicados através de postagens e que faziam parte da rotina das mulheres selecionadas. Como aporte teórico, contou-se com autores(as) de referência para compreender a temática apresentada na tese, assim como para interpretar as informações obtidas, foram eles (as): Le Breton (2003, 2012, 2013), Stuart Hall (2011), Kathryn Woodward (2000), Erving Goffman (1985), Silvana Goellner (1999,2004), dentre outros(as). O principal resultado alcançado é que os espaços online são frutos da construção social nos espaços off-line, os quais reforçam e reproduzem padrões e normativas do socialmente aceito, porém há espaços para transgressões. Assim, a análise evidenciou os sentidos atribuídos pelas mulheres em suas postagens à construção corporal como um processo pessoal, isto é, de natureza individual, demarcada pelo esforço, mas que atende, ao tempo em que se conforma e é conformado por estilos de vida que lhe são próprios. Para a construção de suas corporeidades, as mulheres determinam os objetivos a serem alcançados, com intencionalidade, com base em uma ação racional com relação a um fim, e para isso a dor e o sacrifício são aspectos evidenciados e presentes para o próprio reconhecimento social. Por fim, ao adotarem esse outro estilo de vida e outro padrão corporal, essas mulheres podem estar contribuindo para reesignificar o sentido de “feminilidade” por meio de suas práticas corporais no contexto da cultura do músculo veiculada em redes sociais.
Abstract: The use of social networks to convey images that express daily practices and lifestyles through the exhibition of different bodies is evidenced in the contemporaneity. In this context, there is also space for the demonstration / exhibition of muscular and well delineated bodies both men and women. Considering mainly the female bodies the present study aims to understand the corporeality of women in muscle culture through the sense-meaning relationship expressed in their profiles in Instagram, which engender the re-signification of their daily lives and lifestyles, as well conform other patterns of femininity. Therefore, it is understood that social networks constitute a field of agency as an alternative forms of sociability, distinguishing itself by disseminating other body patterns and forging other representations about lifestyles, the ideal of body and the beauty in society, specifically for Brazilian women. The research was characterized as an online ethnography, based on this delineation according to visual anthropology. As follows, our research field was made on Instagram and the subjects participating in the research (profiles observed) was constituted by young women, practicing of corporal practices characterized as bodybuilding, triathlon and crossfit of the city of Goiânia / Center-West of Brazil. Due to limited time, such as the universe of women practicing in the city of Goiânia, we decided to accompany daily, ten women through their profiles in that social network. The information that was the focus of the interpretation consisted of videos, images, photographs and narratives published through postings that were part of the routine of the selected women. As a theoretical contribution we counted on reference authors to understand the thematic presented in the thesis, as well as to interpret the information obtained, were: Le Breton (2003, 2012, 2013), Stuart Hall (2011), Kathryn Woodward (2000), Erving Goffman (1985), Silvana Goellner (1999,2004), among others. The main result achieved is that online spaces are production of social construction in off-line spaces, which reinforce and reproduce socially accepted standards and norms. However, there are spaces for transgressions. In consequence, the analysis evidenced the meanings attributed by women in their posts to body building as a personal process, to be exact, of an individual nature demarcated by effort, as long as that meets to the time in which it conforms and is conformed by lifestyles that are single for them. For the construction of their corporeity, women determine the goals to be achieved with intentionality, based on a rational action towards an end, and for this pain and sacrifice are aspects that are evidenced and present for the social recognition itself. Finally, in adopting this different lifestyle and other body pattern, these women may be contributing to build a new meaning of "femininity" through their bodily practices in the context of the muscle culture conveyed in social media.
Informações adicionais: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FEF - Doutorado em Educação Física (Teses)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.