Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/33081
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_HenriqueGomesGuimarães.pdf3,17 MBAdobe PDFView/Open
Title: A arte dos discuros e a escritura : entre o diálogo Fedro e a Carta VII de Platão
Authors: Guimarães, Henrique Gomes
Orientador(es):: Lopes, Rodolfo Pais Nunes
Assunto:: Platão - crítica e interpretação
Metafísica
Discurso
Escrita
Retórica
Issue Date: 22-Nov-2018
Citation: GUIMARÃES, Henrique Gomes. A arte dos discuros e a escritura : entre o Diálogo Fedro e a Carta VII de Platão. 2018. 121 f. Dissertação (Mestrado em Metafísica)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: Pretende-se aqui reconstruir aqui a tese da Escrita e da Arte dos Discursos (἟ ιόγσλ ηέρλε), tanto no diálogo Fedro quanto Carta VII de Platão – essa carta mesmo sendo de autoria duvidosa é pertinente para pensarmos a crítica à escrita e à oralidade com conexões com o Fedro. A Introdução norteia a leitura dos textos e considera os problemas metodológicos gerais acerca de Platão enquanto escritor e sua escrita enigmática. Alguns elementos para entender sua obra são vistos: a forma dialógica, seu anonimato enquanto personagem, retórica e a recepção dogmática ou cética. Assim temos o trabalho em reconciliar a crítica da escrita e uma defesa da escrita perpassando o discurso e a comunicação do ponto de vista do conhecimento e processo filosóficos. Do começo do Fedro a dissertação pensa o discurso escondido do retórico Lísias em relação com a paixão de discursos de Sócrates, e o discurso enquanto droga (φαρμακόν) com seu poder sobre a alma. A questão do amor é ali desdobrada: a censura e o elogio do amor. Da palinódia de Sócrates acompanhamos a questão da reminiscência enquanto amor à Beleza no cultivo das musas, e as viagens da alma para acessar a memória das realidades. Após as depurações do discurso de Lísias pelas suas falhas retóricas, é proposta uma outra retórica: orgânica, dialética. O que está em jogo aqui é a caracterização e crítica de ambas oralidade e escrita. Contrasta-se a retórica dos manuais e seu poder nas assembleias com a retórica filosófica. Compara-se a busca do plausível, da similitude, do jogo das opiniões, com a busca da verdade, da definição, da inteligibilidade, da clareza, do pensar junto o pensado. As regras da bela arte são examinadas, e ao final do mito de Toth e Amom, a crítica de quando é nobre ou vergonhoso ser escritor é feita. Aqui é melhor caracterizada a escrita na alma (γξάθεηαη ἐλ ηῆ ςπρῆ)(276a-278b). Na Carta VII (341 c-d, 344 d-e) exploro a conjuntura da viagem de Platão à Siracusa. Sua trajetória política é narrada juntamente com sua progressiva desconfiança para com a política de seu tempo (apesar de tentar por em prática a filosofia, para que ela não fique só no discurso vazio). A crítica à apropriação escrita de seus discursos e a questão da tarefa filosófica são então debatidas, juntamente com o limite dos discursos e da escrita-oralidade. Nesse percurso, e a partir da uma recepção sofística e rapsódica que realiza, vemos um Platão que não bane a escrita, mas a reavalia diante de uma forma filosófica de compreender o conhecimento.
Abstract: It is intended here to reconstruct the thesis of writing and the art of discourses (἟ ιόγσλ ηέρλε) in the dialogue Phaedrus and in the Seventh Letter of Plato – this letter, even with authenticity doubts, is relevant for us to think about the critics of writing and orality with connections with the Phaedrus. In order to do so, the Introduction guides the reading of the texts and considers the general methodological problems about Plato as a writer of Dialogues and his enigmatic writing. Some elements to understand his work are viewed: the dialogic form, his anonymity as character, rhetoric and the dogmatic-skeptic reception. In this way we took the work of reconciliation between a critic of writing and a defense of writing, passing through language and communication from the point of view of philosophical knowledge and process. From the beginning of the Phaedrus we think the hidden discourse of the rhetorician Lysias in relation of the passion for speeches of Socrates, and the speech as a drug (θαξκαθόλ) with its power over the soul. The question of love is described in this section: the censure and the praise of love. From the palinode of Socrates we accompany the question of the reminiscence as a love for the Beauty in the cultivation of the muses, and the journeys of the soul to access the memories of the realities. After the depuration of the discourse of Lysias because of his rhetoric failures, it is proposed other rhetoric: organic, dialectic. What is at stake here is the characterization and critic of both writing and orality. It‘s compared the rhetoric of the manuals and its power in the assembly with the philosophical rhetoric. It is compared the search for the plausible, for the similitude, in the game of opinions, with the search for the truth, for the definition, intelligibility, clarity, for the thinking together the thought. The rules of the beautiful art are examined, and in the end of the myth of Toth and Amon, it‘s made the critic about ‗when it‘s noble or shameful to write‘. Here is best characterized the writing in the soul (γξάθεηαη ἐλ ηῆ ςπρῆ)(276a-278b). In the second part, in the Seventh Letter, the circumstances of Plato‘s travels to Sicily are explored. His political trajectory is narrated together with his distrust for the politics of his contemporaries (although Plato tries to put philosophy in practice, not just staying in empty speech). The critic of the written appropriation of his speeches and the question of the philosophical task are then debated. In conclusion we see a Plato that don‘t banish writing, but reevaluates it with a philosophical way of comprehend knowledge.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília,Instituto de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Metafísica, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Fundação de Amparo a Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF).
Appears in Collections:FIL - Mestrado em Metafísica (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/33081/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.