Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/33051
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_AldecileneCerqueiraBarreto.pdf14,06 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: “Brincadeiras de todos” : perspectivas das crianças de uma escola de Brasília
Autor(es): Barreto, Aldecilene Cerqueira
Orientador(es): Wiggers, Ingrid Dittrich
Assunto: Brincadeiras
Educação de crianças
Educação do corpo
Ensino fundamental
Sociologia da infância
Corpo e educação
Data de publicação: 20-Nov-2018
Referência: BARRETO, Aldecilene Cerqueira. “Brincadeiras de todos”: perspectivas das crianças de uma escola de Brasília. 2018. 215 f., il. Tese (Doutorado em Educação Física)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: A presente pesquisa em nível de doutorado objetivou compreender como as brincadeiras e a educação do corpo são vivenciadas pelas crianças na escola, na contemporaneidade. Fundamentou-se na Sociologia da Infância, com base em Sarmento e Gouvea (2008), Corsaro (2011) e Sarmento (2014). A partir dessa perspectiva, as crianças são compreendidas como atores sociais ativos, de pleno direito, com capacidade de interagir com o ambiente onde estão inseridas e de atribuir sentido às suas ações. Os principais conceitos abordados foram: crianças – atores sociais e produtoras de cultura; infância – categoria social construída historicamente (ARIÈS, 1981; SARMENTO; PINTO, 1997; SARMENTO, 2004; COHN, 2005; FERREIRA, 2008, QVORTRUP, 2010); culturas infantis e brincadeiras – sistemas simbólicos (WINNICOTT, 1975; HUIZINGA, 1980; BROUGÈRE, 1998, 2016; FERREIRA, 2002; FERNANDES, 2004; COHN, 2005; KISHIMOTO, 2010, 2016) e educação do corpo – relação entre corpo e educação (SOARES, 2014). Como perspectiva teórico-metodológica situou-se na pesquisa etnográfica com crianças (JAMES; PROUT, 1997; GRAUE; WALSH, 2003). Ocorreu por um período de oito meses na Escola Classe Arniqueira, escola pública de Brasília, com a participação de 29 crianças do 1º ano do Ensino Fundamental, com idades entre 6 e 7 anos. O trabalho de campo foi mediado por observação participante, diário, fotografias, filmagens, desenhos, conversas com crianças e questionário. A análise originou-se do registro detalhado do fenômeno observado, numa perspectiva social e com base em referenciais teóricos interdisciplinares. Os dados produzidos no campo foram organizados em duas categorias: inventário das brincadeiras e corpo e educação. A partir do inventário, as brincadeiras foram classificadas como tradicionais e inventadas. Essas brincadeiras, além de fazerem parte do universo das crianças e das culturas infantis, ainda prevalecem no ambiente escolar. Evidenciou-se que as brincadeiras mais recorrentes foram as brincadeiras tradicionais que envolvem corrida, seguidas das inventadas que abarcam a imaginação e são interpretadas como situações reais. Destacou-se que as crianças aspiram tempos e espaços para as brincadeiras e evidenciam ações sociais e relações de poder, por meio do corpo nas interações entre pares, durante as brincadeiras. Conclui-se que nas brincadeiras o corpo integra-se ao processo educativo, à medida que evidencia maneiras de ser, pensar e agir de uma sociedade, ao tempo em que viabiliza a atuação social das crianças. Como principal desafio, saliento o despertar de um olhar e uma escuta sensível às crianças na escola, de modo a reconhecer seu protagonismo e a respeitá-las como atores sociais, capazes de construírem conhecimento. Esta pesquisa pode contribuir para refletir sobre as brincadeiras e a educação do corpo como possibilidade de ação social das crianças nos tempos e espaços da escola, além de evidenciar seus interesses e perspectivas do brincar.
Abstract: The present research at the doctoral level aimed to understand how the games and the education of the body are experienced by the children in the school, in the contemporaneity. It was based on the Sociology of Childhood, based on Sarmento and Gouvea (2008), Corsaro (2011) and Sarmento (2014). From this perspective, children are understood as active social actors, with full capacity, to interact with the environment where they are inserted and to give meaning to their actions. The main concepts addressed were: children - social actors and producers of culture; childhood - a social category built historically (ARIÈS, 1981; SARMENTO, PINTO, 1997; SARMENTO, 2004; COHN, 2005; FERREIRA, 2010, QVORTRUP, 2010); children's cultures and games - symbolic systems (WINNICOTT, 1975, HUIZINGA, 1980, BROUGÈRE, 1998, 2016, FERREIRA, 2002, FERNANDES, 2004, COHN, 2005, KISHIMOTO, 2010, 2016) and education of the body - relationship between body and education (SOARES, 2014). As a theoretical-methodological perspective, it was located in the ethnographic research with children (JAMES; PROUT, 1997; GRAUE; WALSH, 2003). It occurred for a period of eight months at the Escola Classe Arniqueira, a public school in Brasilia, with the participation of 29 children from the first year of elementary school, aged between 6 and 7 years. The field work was mediated by participant observation, diary, photographs, filming, drawings, conversations with children and questionnaire. The analysis originated from the detailed record of the observed phenomenon, from a social perspective and based on interdisciplinary theoretical references. The data produced in the field were organized into two categories: inventory of play and body and education in times and spaces of the school. From the inventory, the games were classified as traditional and invented. These jokes, besides being part of the universe of children and children's cultures, still prevail in the school environment. It was evidenced that the most recurring jokes were the traditional games that involve running, followed by the invented ones that embrace the imagination and are interpreted as real situations. It was pointed out that children aspire to time and space for play and show social actions and power relations, through the body in the interactions between peers, during the games. It is concluded that in the games the body integrates itself to the educational process, as it shows ways of being, to think and to act of a society, to the time in which it makes viable the social action of the children. As the main challenge, I emphasize the awakening of a sensitive eye and listening to children in school, in order to recognize their protagonism and respect them as social actors capable of building knowledge. This research can contribute to reflect on the games and the education of the body as a possibility of social action of the children in the times and spaces of the school, besides evidencing their interests and perspectives of the play.
Informações adicionais: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FEF - Doutorado em Educação Física (Teses)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.