Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/33014
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_FernandadeMoraesGoulart.pdf4,55 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Contribuição da arborização urbana para a mobilidade ativa
Autor(es): Goulart, Fernanda de Moraes
Orientador(es): Günther, Hartmut
Assunto: Arborização urbana
Mobilidade ativa
Psicologia ambiental
Caminhada
Data de publicação: 9-Nov-2018
Referência: GOULART, Fernanda de Moraes. Contribuição da arborização urbana para a mobilidade ativa. 2018. [143] f., il. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: Este trabalho avalia o impacto na arborização urbana na prática de mobilidade ativa a partir da abordagem teórica da Psicologia Ambiental, que estuda como os comportamentos se situam no espaço físico. São discutidas as teorias dos ambientes restauradores e em comportamento de viagens a pé, e a interação entre ambas dentro do contexto da mobilidade urbana. O modelo teórico aplicado precede de estudos em caminhabilidade e define cinco dimensões do ambiente urbano relacionadas à mobilidade ativa: “Infraestrutura da calçada”, “Estética”, “Segurança contra acidentes de trânsito”, “Segurança contra o Crime” e “Satisfação Geral com a Vizinhança”. Foram aplicados 656 questionários em duas localidades de Brasília com diferentes configurações de cobertura vegetal. O instrumento utilizado foi o questionário NEWS, em versão validada para o contexto brasileiro, e aplicado pelo método face-a-face. Excetuando-se a renda e escolaridade, não houve diferenças entre o perfil dos participantes nas duas localidades. Os resultados mostraram que as pessoas possuem uma percepção bem mais positiva para as dimensões de caminhabilidade nos locais onde a cobertura vegetal possui configuração linear se comparada à locais onde a arborização é dispersa. Esta relação tem ainda mais força estatística quando controladas as variáveis “escolaridade” e “idade” 𝐹(1,506)=249,97 𝑝<0,01,𝜂2=0,33. O teste de ANOVA One-way mostrou que as médias dos escores são significativamente (p<0.01) diferentes em todas as dimensões, com tamanho de efeito especialmente alto para “Infraestrutura de caminhada” F(1, 640) = 660,76, 𝜂2=0,49. A arborização urbana influencia positivamente na percepção do ambiente urbano, tornando-o um local mais seguro, agradável e confortável, e adequado a caminhadas, potencialmente edificando de uma sociedade mais saudável e com melhor qualidade de vida.
Abstract: This work evaluates the impact of urban trees in the practice of active mobility, using the theoretical approach of Environmental Psychology, which studies how behaviors happen in the physical space. The theories of restorative environments and active travel behavior, and the interaction between both within the context of urban mobility are discussed. The theoretical model applied precedes studies on walkability and defines five dimensions of urban environment related to active mobility: “Sidewalk Infrastructure”, “Aesthetics”, “Traffic Safety”, “Safety Against Crime” and “Overall Satisfaction with The Neighborhood”. 656 questionnaires were applied in two locations of Brasilia with different vegetation cover configurations. The instrument used was the questionnaire NEWS, validated for the Brazilian context and a context and applied by the face-to-face method. Excluding income and schooling, there were no differences between the profile of the participants in both locations. The results showed that people have a much more positive perception of the dimensions of walkability in the places where the vegetation cover has a linear configuration compared to the places where urban trees are dispersed. This relation has a higher statistical power when the variable “shooling” and “age” are controlled, F(1,506) = 249.97 p<0.01, ,𝜂2=0.33. The one-way ANOVA test showed that the mean scores were significantly different (p <0.01) in all dimensions, with an especially higher effect size for “sidewalks infrastructure” F(1, 640) = 660.76, ,𝜂2=0.49. Urban trees influence the perception of the urban environment positively, making it safer, more pleasant and comfortable place, and suitable for walks, potentially building a healthier society with better quality of life.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:PSTO - Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.