Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/3296
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2007_RauldeOliveiraFontoura.pdf24,71 MBAdobe PDFView/Open
Title: A arquitetura na encruzilhada da sustentabilidade : considerações à literatura e a experiências existentes
Authors: Fontoura, Raul de Oliveira
Orientador(es):: Almeida, Jaime Gonçalves de
Assunto:: Sustentabilidade
Meio ambiente
Arquitetura
Urbanismo
Aspectos ambientais
Edifícios
Issue Date: 18-Jan-2010
Citation: FONTOURA, Raul de Oliveira. A arquitetura na encruzilhada da sustentabilidade: considerações à literatura e a experiências existentes. 2007. 199 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo)-Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Abstract: A sociedade contemporânea defronta-se com uma crise ambiental de escala sem precedentes, que a obriga a repensar o conjunto das suas atividades, entre elas a produção do abrigo. A arquitetura vê-se, nesse contexto, irrevogavelmente impelida a refletir sobre as conseqüências que suas decisões infligem ao meio ambiente e a propor, como resposta, uma revisão das variáveis, critérios e práticas de projeto e de construção. A partir especialmente do início da década de 1990, essa preocupação passa a ser aos poucos incorporada ao discurso de governos, escolas de arquitetura e outras instituições cuja atuação tem uma participação central na conformação das práticas arquitetônicas do cotidiano – processo que pode ser interpretado como a institucionalização da problemática ecológica no campo da arquitetura. O presente trabalho apresenta um quadro panorâmico do debate teórico e das experiências concretas que vêm definindo os rumos desse processo no contexto específico da Europa Ocidental, apontada como a região do mundo onde tal processo se mostra mais dinâmico, ainda que incipiente. Uma prática arquitetônica comprometida com a sustentabilidade em relação aos sistemas naturais deve responder a três variáveis fundamentais: energia, água e materiais. Para alcançar os objetivos estabelecidos na esfera de cada uma dessas variáveis, vem-se estabelecendo uma agenda de projeto que inclui práticas como o equilíbrio do edifício com o clima e a geração de energia não poluente, o aproveitamento de água da chuva e a reciclagem das águas servidas, a reciclagem e a reutilização de materiais e componentes e a ampliação do uso de materiais provenientes de matérias primas renováveis, entre outros. A análise do debate teórico e das experiências concretas em torno dessas propostas deve situá-los no contexto institucional que lhes dá suporte, uma vez que qualquer agenda para uma “arquitetura sustentável” é também uma construção social, portadora, portanto, de uma dada visão de mundo entre muitas outras existentes. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT
Contemporary society faces an environmental crisis of unprecendent scale, which forces it to rethink its full range of activities, including the production of shelter. In this context, architecture finds itself unrevokably impelled to reflect about the consequences that its decisions inflict upon the environment, and to put forward a reconsideration of the variables, criteria and practices involved in present day design and construction. From the beginning of the 1990´s, the issue started to be gradually incorporated into the discourse of governments, architecture schools and other institutions which have an important role in the shaping of mainstream architecture – a process that could be interpreted as the institutionalization of the environmental issue in the field of architecture. This work presents an overview of the theorethical debate and concrete experiences which are defining the directions such a process is taking in Western Europe, the region of the world where it appears to be more dynamic, albeit still in its early stages. The architecture commited to sustainability in relation to the natural systems must respond to three primary variables: energy, water and materials. To reach the goals set out in the domain of each one of them, a design agenda has been established which includes such practices as building in balance with the climate, production of clean renewable energy, rainwater harvesting and wastewater recycling, recycling and reuse of building materials and components, larger use of materials from renewable sources, among others. The intitutional frame that supports the theorethical debate and concrete experiences around those proposals must be taken into consideration, since any agenda for a “sustainable architecture” is also a social construct, therefore conveying one given vision of the world among many others existing ones.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, 2006.
Appears in Collections:FAU - Mestrado em Arquitetura e Urbanismo (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/3296/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.