Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/32948
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_AnnaCecíliaSoaresSantos.pdf1,25 MBAdobe PDFView/Open
Title: Segurança do paciente relacionada a erros de medicação na atenção primária à saúde
Other Titles: Patient safety related to medication errors in primary health care
Seguridad del paciente relacionada con errores de medicación en la atención primaria a la salud
Authors: Santos, Anna Cecília Soares
Orientador(es):: Pinho, Diana Lúcia Moura
Coorientador(es):: Volpe, Cris Renata Grou
Assunto:: Atenção primária à saúde
Medicamentos - prescrição - erros
Doenças crônicas não transmissíveis
Segurança do paciente
Erros de medicação
Issue Date: 29-Oct-2018
Citation: SANTOS, Anna Cecília Soares. Segurança do paciente relacionada a erros de medicação na atenção primária à saúde. 2018. 114 f., il. Dissertação (Mestrado em Enfermagem)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: A elevada prevalência de múltiplas doenças crônicas não transmissíveis e sua coexistência, associadas ao aumento da expectativa de vida, favorece a exposição da população ao uso de múltiplos medicamentos e ao surgimento de problemas relacionados a esse uso. No âmbito da Atenção Primária à Saúde, há riscos específicos que podem afetar a segurança do paciente. Os erros de medicação estão entre os eventos adversos mais frequentes nesse nível de atenção e, em sua maioria, poderiam ser evitados em uma das fases do processo de medicação (prescrição, dispensação e administração). A ocorrência de erros relacionados à medicação tem como consequência o aumento de agravos e danos, influenciando de forma negativa, direta ou indiretamente, o cuidado prestado. O objetivo deste estudo foi analisar as prescrições (eletrônicas e manuais) de usuários com doenças crônicas não transmissíveis, no contexto da atenção primária, do Distrito Federal. O estudo do tipo descritivo, transversal e retrospectivo de natureza quantitativa, realizado em uma Unidade Básica de Saúde, da Região de Saúde Oeste do Distrito Federal no período de julho a setembro de 2017. Os dados foram coletados de fontes secundárias, segundas vias de prescrições de medicamentos (manuais e eletrônicas), dos meses de janeiro a junho de 2017, correspondendo a 1.500 prescrições. Entre os critérios de inclusão estavam prescrições que possuíssem pelo menos um medicamento prescrito para tratamento de doenças crônicas não transmissíveis, de ambos os sexos ou idades. Os critérios de exclusão foram prescrições para outras doenças, prescrições rasgadas, apagadas ou ilegíveis, que dificultasse a identificação das informações. O estudo foi realizado em duas etapas. Utilizou-se o Instrumento para Revisão das Prescrições elaborado tomando como base os dispositivos legais da lei 5.991/73; Decreto 74.170/74 e Resolução 357/01. Os resultados neste estudo identificaram, na totalidade das prescrições analisadas, 6.211 medicamentos prescritos, o que correspondeu a uma média de 4,1 medicamentos por prescrição e polifarmácia em 46,6% das prescrições. Os usuários, aos quais pertenciam às prescrições, em sua maioria eram do sexo feminino (65%), com idade entre 61 a 70 anos (36,1%), hipertensos (86,5%%), diabéticos (52,7%), dislipdêmicos (40,8%) e cardiopatas (18,9%). Os antihipertensivos apresentaram-se como a classe farmacológica mais prescrita (47,1%). No que se refere ao tipo de redação, 70,9% eram do tipo manual e 29,1% do tipo eletrônica. A incidência maior de erros de prescrição encontrados foi ausência da forma farmacêutica em 57,6% das prescrições manuais e presença de abreviaturas em 97,7% das prescrições eletrônicas e 81,9% das manuais. O nome do paciente apresentou-se como única variável presente em todas as prescrições. A presença de interação medicamentosa foi identificada em 56% das prescrições, o que representou uma média de 2,7 interações por prescrição. A interação medicamentosa mais frequente foi a associação do ácido acetilsalicílico com a metformina (241 vezes). De acordo com a gravidade, 13,9% foram classicadas como maior, 75,6% como moderadas e 10,4% como menor. Conclui-se que os achados deste estudo mostraram que erros de medicação e incidentes ocorrem na atenção primária à saúde e comprometem a segurança dos pacientes. Espera-se que este estudo possa contribuir para alertar e conscientizar os prescritores quanto à importância de uma prescrição correta e segura, possibilitando assim maior qualidade na assistência e segurança no uso de medicamentos na atenção primária.
Abstract: The high prevalence of multiple chronic noncommunicable diseases and their coexistence, associated with an increase in life expectancy, favors the exposure of the population to the use of multiple medications and the emergence of problems related to this use. In Primary Health Care, there are specific risks that can affect patient safety. Medication errors are among the most frequent adverse events at this level of attention and, for the most part, could be avoided at one stage in the medication process (prescription, dispensation and administration). The occurrence of errors related to the medication has as a consequence the increase of injuries and damages, negatively influencing, directly or indirectly, the care provided. The objective of this study was to analyze the prescriptions (electronic and manual) of users with chronic noncommunicable diseases, in the context of primary care, of the Federal District. The descriptive, cross-sectional and retrospective study of a quantitative nature, carried out in a Basic Health Unit of the Health Region West of the Federal District from July to September 2017. Data were collected from secondary sources, second medicines (manual and electronic), from January to June 2017, corresponding to 1,500 prescriptions. Among the inclusion criteria were prescriptions containing at least one drug prescribed for the treatment of chronic noncommunicable diseases of both sexes or ages. Exclusion criteria were prescriptions for other diseases, prescriptions torn, erased or illegible, which made it difficult to identify the information. The study was carried out in two stages. We used the Instrument for the Review of Prescriptions elaborated based on the legal provisions of Law 5.991 / 73; Decree 74.170 / 74 and Resolution 357/01. The results in this study identified, in all the prescriptions analyzed, 6,211 prescribed medications, which corresponded to an average of 4.1 prescription medications and polypharmacy in 46.6% of prescriptions. The majority of the users were female (65%), aged 61-70 years (36.1%), hypertensive (86.5%), diabetics (52.7%), dyslipidemic (40.8%) and cardiopathy (18.9%). Antihypertensives were the most prescribed pharmacological class (47.1%). Regarding the type of writing, 70.9% were of the manual type and 29.1% of the electronic type. The greatest incidence of prescribing errors was the absence of the pharmaceutical form in 57.6% of the manual prescriptions and the presence of abbreviations in 97.7% of the electronic prescriptions and 81.9% of the manuals. The patient's name was presented as the only variable present in all prescriptions. The presence of drug interaction was identified in 56% of the prescriptions, which represented an average of 2.7 interactions per prescription. The most frequent drug interaction was the association of acetylsalicylic acid with metformin (241-fold). According to severity, 13.9% were classified as higher, 75.6% as moderate and 10.4% as lower. It is concluded that the findings of this study showed that medication errors and incidents occur in primary health care and compromise patient safety. It is hoped that this study may contribute to alert and educate prescribers about the importance of a correct and safe prescription, thus enabling a higher quality of assistance and safety in the use of drugs in primary care.
Resumen: La elevada prevalencia de múltiples enfermedades crónicas no transmisibles y su coexistencia, asociadas al aumento de la expectativa de vida, favorece la exposición de la populación al uso de múltiples medicamentos y el surgimiento de problemas relacionados con ese uso. En el ámbito de la Atención Primaria a la Salud, hay riesgos específicos que pueden afectar la seguridad del paciente. Los errores de medicación están entre los eventos adversos más frecuentes en ese nivel de atención y, en su mayoría, podrían ser evitados en una de las fases del proceso de medicación (prescripción, dispensación y administración). La ocurrencia de errores relacionados a la medicación tiene como consecuencia el aumento de agravios y daños, influenciando de forma negativa, directa o indirectamente, el cuidado prestado. El objetivo de este estudio fue analizar las prescripciones (electrónicas y manuales) de usuarios con enfermedades crónicas no transmisibles, en el contexto de la atención primaria, del Distrito Federal. El estudio del tipo descriptivo, transversal y retrospectivo de naturaleza cuantitativa, realizado en una Unidad Básica de Salud, de la Región de Salud Oeste del Distrito Federal en el período de julio a septiembre de 2017. Los datos fueron recolectados de fuentes secundarias, segundas vías de prescripciones de (manuales y electrónicos), de los meses de enero a junio de 2017, correspondiendo a 1.500 prescripciones. Entre los criterios de inclusión estaban prescripciones que poseía al menos un medicamento prescrito para el tratamiento de enfermedades crónicas no transmisibles, de ambos sexos o edades. Los criterios de exclusión fueron prescripciones para otras enfermedades, prescripciones rasgadas, borradas o ilegibles, que dificultase la identificación de las informaciones. El estudio se realizó en dos etapas. Se utilizó el Instrumento para Revisión de las Prescripciones elaborado tomando como base los dispositivos legales de la ley 5.991 / 73; Decreto 74.170 / 74 y Resolución 357/01. Los resultados en este estudio identificaron, en la totalidad de las prescripciones analizadas, 6.211 medicamentos prescritos, lo que correspondió a una media de 4,1 medicamentos por prescripción y polifarmacia en el 46,6% de las prescripciones. Los usuarios, a los que pertenecían a las prescripciones, en su mayoría eran del sexo femenino (65%), con edad entre 61 a 70 años (36,1%), hipertensos (86,5%), diabéticos (52,7% ), dislipdémicos (40,8%) y cardiopatas (18,9%). Los antihipertensivos se presentaron como la clase farmacológica más prescrita (47,1%). En lo que se refiere al tipo de redacción, el 70,9% eran del tipo manual y el 29,1% del tipo electrónico. La incidencia mayor de errores de prescripción encontrados fue ausencia de la forma farmacéutica en el 57,6% de las prescripciones manuales y presencia de abreviaturas en el 97,7% de las prescripciones electrónicas y el 81,9% de los manuales. El nombre del paciente se presentó como única variable presente en todas las prescripciones. La presencia de interacción medicamentosa fue identificada en el 56% de las prescripciones, lo que representó una media de 2,7 interacciones por prescripción. La interacción medicamentosa más frecuente fue la asociación del ácido acetilsalicílico con la metformina (241 veces). De acuerdo con la gravedad, el 13,9% fue clasificado como mayor, el 75,6% como moderado y el 10,4% como menor. Se concluye que los hallazgos de este estudio mostraron que errores de medicación e incidentes ocurren en la atención primaria a la salud y comprometen la seguridad de los pacientes. Se espera que este estudio pueda contribuir a alertar y concientizar a los prescriptores en cuanto a la importancia de una prescripción correcta y segura, posibilitando así mayor calidad en la asistencia y seguridad en el uso de medicamentos en la atención primaria.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:ENF - Mestrado em Enfermagem (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/32948/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.