Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/32915
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_IlkaLimaHostensky.pdf40,04 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Patrimônio-territorial em Olinda- PE : Comunidade quilombola do Portão do Gelo – Nação Xambá, valorização da cultura afro-latina-americana
Autor(es): Hostensky, Ilka Lima
Orientador(es): Costa, Everaldo Batista da
Assunto: Sítios históricos
Patrimônio imaterial
Quilombos
Data de publicação: 26-Out-2018
Referência: HOSTENSKY, Ilka Lima. Patrimônio-territorial em Olinda- PE: Comunidade quilombola do Portão do Gelo – Nação Xambá, valorização da cultura afro-latina-americana. 2018. 255 f., il. Dissertação (Mestrado em Geografia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: A cidade de Olinda foi uma das principais vilas do Império português e teve o seu traçado urbano configurado ainda no século XVI. A manutenção do traçado e a preservação arquitetônica das edificações, construídas em diferentes períodos, propiciaram o tombamento do conjunto arquitetônico e urbanístico da cidade, em 1968, pelo Iphan. Em 1982, a cidade foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela Unesco. Porém, além do centro histórico, do carnaval, do frevo e do maracatu, a cidade conta com riquezas que se estendem para além da área tombada. Este estudo traz um olhar da Geografia para compreender o patrimônio afastado dos sítios históricos instituídos, com fito de identificar e visibilizar o patrimônio – material e imaterial – situado nos ditos territórios de exceção e que representam os símbolos territoriais resistentes à colonialidade do poder, o chamado patrimônio-territorial (COSTA, 2016, 2017). O objetivo deste estudo foi o de analisar como se dá a ativação do patrimônio-territorial e como se caracterizam as práticas de resistência da comunidade quilombola do Portão do Gelo – Nação Xambá, localizada na cidade de Olinda (PE), no bairro de São Benedito. A CF/1988 apresentou avanços ao reconhecer a existência das `comunidades remanescentes de quilombo`, legitimando estes grupos como sujeitos de direito. No estudo, adotamos o conceito ressemantizado de quilombo por nos permitir uma análise ampliada e o entendimento de que os atores sociais, organizados nesses territórios étnicos, compartilham da mesma história, valores, cultura e identidade. A pesquisa de campo aconteceu na comunidade quilombola mencionada, em quatro etapas distintas, ao longo de 2017. Realizou-se: observação participante, com registro em diário de campo, análise documental, registros fotográficos e 17 entrevistas semiestruturadas. Empregou-se a análise de conteúdo de Bardin (2011) para a análise do corpus obtido com a totalidade de entrevistas transcritas. No total, identificamos sete categorias: Quilombo; Histórico de lutas; Terreiro; A festa do coco e a musicalidade; Memória e oralidade; Centro Cultural; Patrimônio-territorial da comunidade; e 78 códigos relacionados a tais categorias, com os quais construímos redes de conexões. O estudo empírico permitiu a construção de um mapa conceitual que ilustra, de maneira sintética, quais são as estratégias empreendidas por esta comunidade para ativar seu patrimônio-territorial. Os resultados indicam que o patrimônio-territorial, definido pela comunidade e localizado no perímetro do quilombo, compreende seus atores sociais (os sujeitos-patrimônio) e o patrimônio material e imaterial. Para ativar o seu patrimônioterritorial, o grupo empreende uma série de ações: as estratégias de construção identitária e as estratégias de preservação, valorização e difusão da cultura Afro e Xambá. Ambos tipos de estratégias abarcam elementos materiais, práticas de resistência, estratégias de mobilização, ações educativas, práticas culturais e celebrações. A investigação confirma a hipótese de que a comunidade Xambá de Olinda (PE) figura como exemplo nacional de ativação do patrimônioterritorial por meio de efetiva mobilização social. Nesse sentido, o estudo apresenta profícua contribuição empírica ao conceito de patrimônio-territorial proposto por Costa (2016, 2017) e possibilita concluir que a Comunidade Xambá é a protagonista da ativação de seu patrimônioterritorial. A atuação organizada do grupo, por meio das ações de persistência, resistência e visibilização, contribui para a manutenção de suas referências culturais.
Abstract: The city of Olinda was one of the main villages of the Portuguese empire, its urban layout having been laid out as early as the 16th century. The conservation of the layout and the architectural preservation of buildings raised in different periods has made possible for Iphan to declare the city a cultural heritage site in 1968. In 1982 the city was included in the UNESCO World Heritage List. However, besides its historic center, carnaval, frevo and maracatu, the city can boast of riches going beyond the heritage-listed ones. This study brings the viewpoint of Geography as a discipline in order to understand the heritage left outside the official historical sites, aims to identify and confer visibility to the material and immaterial heritage located in the excluded sites or so-called “territories with exception”, representing territorial symbols which have resisted colonial power, identified as territorial-heritage (COSTA, 2016, 2017). The objective of this study has been the analysis of how the territorialheritage is activated and how the resistance practices of the quilombola community Portão do Gelo – Xambá Nation, located at the city of Olinda/PE, São Benedito neighborhood – are characterized. The 1988 Brazilian Constitution showed advances by recognizing the existence of “communities remaining from quilombos”, which gave legitimacy to these groups and their legal rights. We have adopted, in this study, the reinterpreted concept of quilombo, as it allows us to make more extensive analysis and the understanding that the social actors, organized in these ethnic territories, who share the same history, values, culture and identity. The field research has taken place at the above mentioned quilombola community, in four separate stages during 2017. An observant participation recorded in a field diary has been carried out, as well as: documental analysis; photographic recordings; and 17 semi-structured interviews. We have employed Bardin’s (2011) content analysis to go over the corpus obtained from all the transcribed interviews. In which seven categories have been identified: Quilombo; History of struggles; Terreiro; Coco festivities and musicality; Memory and oral history; Cultural Center; Territorial-heritage of the community; and 78 codes related to those categories, with which we have built networks of connections. The empirical study has allowed for the building of a conceptual map which illustrates summarily which strategies are used by that community to activate their territorial-heritage. Results indicate that the territorial-heritage, defined by the community and located within the perimetre of the quilombo, encompass its social actors (the subject-heritage), the material and immaterial heritage. In order to activate its territorial-heritage the group goes through a series of actions: the identity-building strategies and the preservation strategies, appreciation and diffusion of Afro and Xambá cultures. Both kinds of strategies encompass material elements, resistance practices, mobilization strategies, educational actions, cultural practices and celebrations. The investigation confirms the hypothesis that the Xambá de Olinda (PE) community is a national example of activation of the territorial-heritage through effective social mobilization. In this sense, the study presents a prolific empirical contribution to the concept of territorial-heritage proposed by Costa (2016, 2017) and makes it possible to conclude that the Xambá community is the main protagonist in the activation of its own territorial-heritage. The group’s organized movement, through actions of persistence, resistance and visibility contribute to the maintenance of its cultural references.
Resumen: La ciudad Olinda fue una de las principales villas del Imperio portugués y tuvo su delineación urbano hecho en el siglo XVI. La manutención del dibujo original y la preservación arquitectónicas de las edificaciones construidas en distintos periodos propiciaron el tumbamento del conjunto arquitectónico y urbanístico de la ciudad en el año de 1968 por el Iphan. En 1982, la ciudad fue declarada Patrimonio Histórico y Cultural de la Humanidad por la Unesco, sin embargo, además del centro histórico, del carnaval, del frevo y del maracatu, la ciudad cuenta con riquezas que están ubicadas más allá de la zona tumbada. Este estudio trae una mirada de la Geografia para comprender el patrimonio ubicado fuera de los sitios históricos instituidos, intenta identificar y visibilizar el patrimonio – material e inmaterial – ubicados en los dichos territorios de excepción y que representan los símbolos territoriales resistentes a la colonialidad del poder, el dicho patrimonio-territorial (COSTA, 2016, 2017). El objetivo del estudio fue analizar como se da la activación del patrimonio-territorial y como se caracterizan las practicas de resistencia de la comunidad quilombola Portão do Gelo-Nação Xambá, ubicada en la ciudad de Olinda (PE), en el barrio de São Benedito. La CF/1988 demostró avances al reconocer la existencia de las `comunidades remanescientes de quilombo`, legitimando tales grupos como sujetos de derecho. En la investigación adoptamos el concepto ressemantizado de quilombo por permitir una análisis amplia y la comprensión de que los actores sociales, organizados en estos territorios étnicos, comparten de la misma historia, valores, cultura e identidad. La pesquisa de campo ocurrió en la dicha comunidad quilombola en cuatro fases a lo largo del año 2017. Realizamos: observación participante con registro en diario de campo, análisis documental, registro fotográfico y 17 entrevistas semiestructuradas. Hicimos uso del análisis de contenido de Bardin (2011) para el análisis del corpus obtenido con la totalidad de las entrevistas transcriptas. Identificamos siete categorías: Quilombo; Histórico de luchas; Terrero; La fiesta del coco e a musicalidade; Memoria e oralidad; Centro Cultural; Patrimonio-territorial da comunidade; y 78 códigos relacionados a tales categorías, con las que construimos redes de conexión. El estudio empírico permitió la construcción de un mapa conceptual que ilustra, de modo sintético, cuales son las estrategias utilizadas por la comunidad para activar su patrimonio-territorial. Los resultados indican que el patrimonio-territorial, definido por la comunidad y ubicado en el perímetro del quilombo, comprende sus actores sociales, el patrimonio material e inmaterial. Para activar su patrimonio-territorial, el grupo emprende una serie de acciones: las estrategias de construcción de identidad y las estrategias de preservación, valoración y difusión de la cultura Afro y Xambá. Ambos los tipos de estrategias incluyen elementos materiales, practicas de resistencia, estrategias de movilización, acciones educativas, practicas culturales y celebraciones. La investigación confirma la hipótesis de que la comunidad Xambá de Olinda (PE) es ejemplo nacional de activación del patrimonio-territorial a través de efectiva movilización social. Por lo tanto, el estudio presenta provechosa contribución empírica al concepto de patrimonio-territorial tal como propone Costa (2016, 2017) y posibilita concluir que la Comunidad Xambá es protagonista de la activación de su patrimonio-territorial. La actuación organizada del grupo, con sus acciones de persistencia, resistencia y visibilización contribuyen para la manutención de sus referencias culturales.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Geografia, Programa de Pós-graduação, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:GEA - Mestrado em Geografia (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.