Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/32854
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_RafaelHenriqueDiasManzi.pdf2,62 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: A ordem econômica internacional no pós-guerra fria : da transição uni-multipolar à acomodação institucional do resto e do G8 emergente
Autor(es): Manzi, Rafael Henrique Dias
Orientador(es): Viola, Eduardo José
Assunto: Ordem econômica internacional
Guerra Fria
Grupo dos Sete (G7)
Hegemonia
Data de publicação: 19-Out-2018
Data de defesa: 26-Mar-2018
Referência: MANZI, Rafael Henrique Dias. A ordem econômica internacional no pós-guerra fria: da transição uni-multipolar à acomodação institucional do resto e do G8 emergente. 2018. 314 f., il. Tese (Doutorado em Relações Internacionais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: O colapso do comunismo soviético colocou não apenas colocou fim ao conflito geopolítico da guerra fria, mas também representou a consolidação da hegemonia dos Estados Unidos e aliados dentro do sistema internacional a partir da década de 1990. Nesse período, discutiu-se inclusive a possibilidade que o imediato pós-guerra fria poderia ser definido como um “momento unipolar” do sistema internacional. Essa percepção era derivada acima de tudo da significativa concentração de poder político, econômico e militar ao redor dos Estados Unidos e aliados. A partir do início do século 21, esse cenário passa a registrar transformações em virtude principalmente do processo de ascensão econômica do “resto” – países que outrora eram chamados de terceiro mundo, em desenvolvimento e emergente – dentro da economia global. Mesmo após o início da crise global de 2008, quando as economias desenvolvidas enfrentaram a pior recessão econômica desde o crash de 1929, as principais economias do resto – representadas pelo G8 emergente (China, Índia, Rússia, Brasil, Indonésia, México, Turquia e Arábia Saudita) – conseguiram ainda a registrar taxas de crescimento econômico superiores a observada no mundo desenvolvido. Esse processo não sugere uma homogeneização do desempenho econômico das principais economias do “resto”, mas parece indicar claramente um processo mais estrutural onde a economia global está tornando-se cada vez menos ocidentalizada e descentralizada dos pólos de poder do século 20. Além das dinâmicas observadas no espectro da estruturas produtivas da economia global a ascensão do resto está implicando também em uma relativa transformação da própria governança global para temas econômicos. Nesse sentido, o principal objetivo do trabalho é fazer uma análise predominantemente empírica acerca do processo de ascensão econômica do resto dentro da ordem econômica internacional. A pergunta-problema que o trabalho busca responder é: o processo de ascensão econômica do resto pode ser entendido sob a ótica de uma transição uni-multipolar, acomodação institucional ou mesmo de uma transição hegemônica? Os resultados empíricos indicam as atuais transformações da ordem econômica internacional podem ser observadas principalmente sob a ótica de um processo de acomodação institucional.
Abstract: The collapse of the Soviet Union not only put an end to the geopolitical conflict of the Cold War, but also represented the consolidation of US hegemony and allies within the international system from the 1990s onwards. The immediate post-Cold War era could be defined as "unipolar moment" of the international system. This perception was derived above all from the significant concentration of political, economic, and military power around the United States and its allies. From the beginning of the 21st century onwards, this scenario began to register transformations mainly due to the process of economic ascension of the "rest" - countries that were once called developing, emerging and third world countries - within the global economy. Even after the beginning of the global crisis of 2008, when developed economies faced the worst economic recession since the crash of 1929, the main economies of the rest - represented by the emerging G8 (China, India, Russia, Brazil, Indonesia, Mexico, Turkey and Saudi Arabia) - were still able to record higher economic growth rates than in the developed world. This process does not suggest a homogenization of the economic performance of the "rest" economies, but it seems to indicate clearly a more structural process where the global economy is becoming less and less Westernized and decentralized from the poles of power of the 20th century. In addition to the dynamics observed in the spectrum of the productive structures of the global economy, the rise of the rest is also implying a relative transformation of global governance. In this sense, the main objective of the work is to make a predominantly empirical analysis about the process of economic ascension of the rest within the international economic order. The problem question that the paper seeks to answer is: can the process of economic ascension of the rest be understood from the perspective of a uni-multipolar transition, institutional accommodation or even a hegemonic transition? The empirical results indicate the current transformations of the international economic order can be observed mainly from the perspective of an institutional accommodation process.
Informações adicionais: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Relações Internacionais, Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:IREL - Doutorado em Relações Internacionais (Teses)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.