Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/32838
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_KimberlydeAguiarAnastácio.pdf1,23 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Localizando a governança da Internet entre o nacional e o global : operadores nacionais de nomes de domínio
Autor(es): Anastácio, Kimberly de Aguiar
Orientador(es): Bülow, Marisa Von
Assunto: Governança da internet
Internet - gestão
Internet - domínios
Data de publicação: 18-Out-2018
Referência: ANASTÁCIO, Kimberly de Aguiar. Localizando a governança da Internet entre o nacional e o global: operadores nacionais de nomes de domínio. 2018. 117 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciência Política)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: A Internet está imbricada em questões técnicas e políticas que se misturam e que envolvem atores de diferentes origens e interesses. Visando analisar as implicações políticas sobre o funcionamento da rede, o estudo foca no Sistema de Nomes de Domínio, especificamente lidando com os domínios de topo de código de país (ccTLDs), recursos que fazem referência a territórios, mesmo no espaço transfronteiriço da Internet, e que servem para facilitar o endereçamento e acesso a conteúdos online, como o “.br” para o Brasil e o “.us” para os Estados Unidos. O trabalho analisa a gestão de quatro ccTLDs da América Latina, o brasileiro (“.br”), argentino (“.ar”), colombiano (“.co”) e mexicano (“.mx”). À luz de entrevistas semiestruturadas e análise documental, o trabalho foca em três eixos: a) o histórico e os b) modelos de governança e c) de negócio de cada entidade responsável pelos domínios. O argumento geral do texto é a existência de uma proeminência dos atores privados na governança da Internet, potencializada pela difusão da autoridade por meio do multissetorialismo, modelo de governança que preza pela interação e participação dos diversos atores.
Abstract: The Internet is embedded in technical and political issues that concern actors from different backgrounds and interests. To analyze the political implications of the Internet operation, the study focuses on the Domain Name System, specifically dealing with country code Top-Level Domains (ccTLDs), resources that facilitate the Internet addressing and enable the access to online content, like ".br" for Brazil and ".us" for the United States. The paper analyzes the management of four ccTLDs in Latin America, the Brazilian (.br), the Argentinian (.ar), the Colombian (.co) and the Mexican (.mx) ones. With semi-structured interviews and documentary analysis, the study focuses on three axes: a) the history and b) the governance and c) business models of each entity responsible for the ccTLDs. The general argument of the text is the existence of a prominence of private actors in Internet governance, strengthened by the diffusion of authority through multistakeholderism, a governance model that aims to promote interaction and participation of various stakeholders.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciência Política, Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:IPOL - Mestrado em Ciência Política (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.