Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/32750
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_DavidLeonardoBouçasdaSilva.pdf3,44 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: A confiança e sua relação com os elementos vinculados nas redes de cooperação do Brasil e da Espanha
Autor(es): Silva, David Leonardo Bouças da
Orientador(es): Hoffmann, Valmir Emil
Coorientador(es): Martínez Cháfer, Luis
Assunto: Redes de cooperação
Turismo
Confiança
Turismo - cooperação internacional
Data de publicação: 5-Out-2018
Referência: SILVA, Shirley Luanna Vieira Peixoto. A confiança e sua relação com os elementos vinculados nas redes de cooperação do Brasil e da Espanha. 2018. 203 f., il. Tese (Doutorado em Administração)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: O presente estudo objetivou determinar o papel da confiança e de seus elementos vinculados nas redes de cooperação turística do Brasil e da Espanha. Desse modo, foram elaboradas oito hipóteses de pesquisa, de onde se construiu o modelo teórico analisado. Metodologicamente, este consistiu, inicialmente, um estudo quantitativo, cuja técnica multivariada empregada foi a Análise de Equações Estruturais. Assim, coletou-se dados junto a 307 empresas de hospedagem do Brasil e da Espanha. Em seguida, desenvolveu-se uma pesquisa qualitativa, com 13 instituições de suporte (IDS), nove brasileiras e quatro espanholas, lançando mão da técnica de Análise de Conteúdo, para corroborar os resultados da etapa quantitativa. Os achados principais mostraram que a confiança se mantém como um elemento-chave na composição das redes de cooperação turística, brasileiras e espanholas, embora ela exista entre pequenos grupos no destino e não de forma generalizada, fortalecendo a necessidade de que outros elementos se vinculem à confiança para que a cooperação em rede se materialize. Quanto aos elementos vinculados, os contratos assumem um papel de substituição em relação à confiança na formação das redes, contudo, os contratos são preteridos pelas empresas, e isso se reproduz no fato de a maioria das relações ter orientação informal, isso tanto na realidade brasileira, quanto espanhola. As IDS também assumem uma função de substitutas à confiança e confirmam seu protagonismo na orientação para que o empresariado decida cooperar. Esta situação configura um efeito território, haja vista que contar com seu apoio técnico é uma das vantagens das firmas aglomeradas. No comparativo entre países, as empresas espanholas revelaram maior autonomia das IDS na composição das suas alianças, ao passo que as brasileiras ainda se mostram mais dependentes delas quando pensam na articulação para fins de cooperação. Ademais, as IDS assumem papel de destaque na construção de mecanismos formais e no estímulo às trocas recíprocas interempresariais. O elemento reciprocidade se apresentou como o único complementar à confiança, uma vez que a atitude recíproca tanto se correlaciona positivamente à cooperação, como à confiança entre elas. As opiniões por países reiteraram que os empresários, brasileiros e espanhóis, pouco se atêm às possíveis retaliações em resposta ao comportamento oportunista. A cooperação em rede se mostrou relevante à melhoria do desempenho empresarial, contudo, os dados qualitativos revelaram outras questões que se somam à cooperação para justificar o desempenho, como a capacidade absortiva das empresas e a qualidade dos seus serviços. Por último, são apresentadas contribuições às práticas gerenciais, à elaboração de políticas públicas, ao ensino dos temas discutidos, bem como as limitações do estudo e a agenda de pesquisa.
Abstract: This study aimed to determine the role of trust and its associated elements in the tourism cooperation networks of Brazil and Spain. In other to accomplish the proposed objective, eight research hypotheses and a theoretical model were created. Methodologically, we developed a quantitative study, using the multivariate technique of Structural Equations Analysis. Data were gathered from 307 small hospitality enterprises in three Brazilian and four Spanish destinations. Then, a qualitative research was developed to complement the quantitative data. 13 support institutions (SI), nine in Brazil and four in Spain were interviewed, using Content Analysis technique. The main findings showed that trust remains as a key factor in the creation of Brazilian and Spanish cooperation networks, although trust exists between small groups within the destination. This reinforce other elements need to build up network cooperation. 1) Contracts are substitutes of trust, however, firms prefer trust to mitigate the risk of opportunism. Thus, most of the relationships are informal, both in Brazilian and Spanish realities. 2) SI also substitute trust and promote cooperation. This situation reproduces a territorial effect, since SI technical support is one of the main advantages of clustered firms. In this case, Spanish enterprises have shown a greater autonomy compared to Brazilian firms, due to the Brazilian dependence on SI to establish cooperation networks. In addition, SI help to create formal mechanisms and to stimulate reciprocal exchanges among entrepreneurs. 3) Reciprocity has been the only complementary bases for trust, since the reciprocal attitude positively impacts cooperation, as well as interorganizational trust. Network cooperation had a positive influence on firms’ performance, although qualitative data has shown that other issues are also relevant to justify firms’ performance, such as the absorptive capacity and the quality of services. In the end, we present our contributions to management practices, to public policies, to the teaching of the themes discussed, as well as the study limitations and research agenda.
Resumen: Esta tesis tiene como objetivo determinar el papel de la confianza y de sus elementos vinculados en las redes de cooperación turística de Brasil y España. De este modo, fueron elaboradas ocho hipótesis de investigación, donde se construyó el modelo teórico analizado. Metodológicamente, este estudio es, inicialmente, cuantitativo y cuya técnica empleada fue el Análisis de Ecuaciones Estructurales. Así, fueron recogidos datos con 307 alojamientos turísticos de Brasil y España. En seguida, fue desarrollada una encuesta cualitativa, con 13 instituciones de apoyo (IDA), nueve brasileñas y cuatro españolas, usando la técnica de Análisis de Contenido, para corroborar los resultados de la etapa cuantitativa. Los hallazgos principales mostraron que la confianza es un elemento clave en la composición de las redes de cooperación turísticas, brasileñas y españolas, aunque que ella ocurra entre pequeños grupos del destino y no de forma generalizada, fortaleciendo la necesidad de que otros elementos se vinculen a la confianza para que la cooperación ocurra. Sobre los elementos vinculados, los contratos asumen un papel de sustitución en relación con la confianza en la formación de las redes. Sin embargo, los contratos son preteridos por las empresas, y esto se reproduce en el hecho de que la mayoría de las relaciones tienen orientación informal, tanto en la realidad brasileña, como en la española. Las IDA también asumen una función de sustitutas a la confianza y confirman su protagonismo en la orientación para que el empresariado elija la cooperación. Esta situación configura un efecto territorio, en virtud de que su apoyo técnico es una de las ventajas de las firmas aglomeradas. Las empresas españolas revelaron superior autonomía en comparación con las brasileñas, pues estas aún se muestran más dependientes de las IDA cuando piensan en la articulación para cooperar. Además, las IDS fomentan la construcción de mecanismos formales y estimulan el comportamiento recíproco entre los empresarios. La reciprocidad se presentó como el único elemento complementario a la confianza, pues la actitud recíproca tanto impacta positivamente la cooperación, como la confianza entre los negocios. Las opiniones por países mostraron que ambos empresarios, brasileños y españoles, poco se atan a las posibles represalias en respuesta al comportamiento oportunista. La cooperación se mostró relevante para la mejora del desempeño empresarial. Sin embargo, los datos cualitativos añadieron otras cuestiones a la cooperación para justificar el desempeño, como la capacidad dinámica de las empresas y la calidad de los servicios. Por último, presentase contribuciones a las prácticas gerenciales, a la elaboración de políticas públicas, a la enseñanza de los temas discutidos, así como las limitaciones del estudio y la agenda de investigación.
Informações adicionais: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade e Gestão Pública, Programa de Pós-Graduação em Administração, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:PPGA - Doutorado em Administração (Teses)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.