Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/32516
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_ThaylaCrisrhanaMartinsVentura.pdf1,44 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: A rainha dos cárceres da Grécia : um exercício de imaginação
Autor(es): Ventura, Thayla Crisrhana Martins
Orientador(es): Hazin, Elizabeth
Assunto: Lins, Osman, 1924-1978 - crítica e interpretação
Narrativa
Romance - gênero literário
Criação (Literária, artística, etc.)
Data de publicação: 22-Ago-2018
Referência: VENTURA, Thayla Crisrhana Martins. A rainha dos cárceres da Grécia: um exercício de imaginação. 2018. 84 f., il. Dissertação (Mestrado em Literatura)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: Há muito a imaginação é alvo de reflexão de pensadores e teóricos em acepção filosófica, antropológica ou literária, sendo sua essência ora atrelada ao engano, como em Pascal, ora à potência criativa, como em Voltaire. Assentindo esse último entendimento como o mais adequado ao projeto literário de Osman Lins e conhecendo a proposta do escritor de enriquecer o campo do imaginário através de sua ficção, intenta-se nesse estudo desenvolver uma leitura de A Rainha dos Cárceres da Grécia pautada na investigação de três camadas narrativas nomeadas pelo próprio Lins, sendo elas: a do real-real, a do real-imaginário e a do imaginário-imaginário. O percurso da dissertação partirá da análise do microconto “Exercício de Imaginação” também de autoria do escritor pernambucano, em que se lê simbolicamente o processo de criação de um texto literário, e seguirá o processo de composição do imaginário no romance – desde a reunião dos elementos, passando pela manipulação desses e chegando ao estado final da narrativa -, valendo-se primordialmente do apoio teórico de Gilbert Durand e Wolfgang Iser.
Abstract: The imagination has long been the object of reflection by philosophers and thinkers in a philosophical, anthropological or literary sense, and its essence is sometimes linked to deceit, as in Pascal, or to creative power, as in Voltaire. Assuming this last understanding as the most appropriate to the literary project of Osman Lins and knowing the proposal of the writer to enrich the field of the imaginary through his fiction, it is tried in this study to develop a reading of A Rainha dos Cárceres da Grécia based on the investigation of three narrative layers named by Lins himself, being: the real-real, the real-imaginary, and the imaginary-imaginary. The course of the dissertation will start with the analysis of the microconto "Exercício de Imaginação", also written by Osman Lins, in which the process of creating a literary text is symbolically read, and will follow the process of imaginary composition in the novel - from the elements, through the manipulation of these and reaching the final state of the narrative - relying primarily on the theoretical support of Gilbert Durand and Wolfgang Iser.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Teoria Literária e Literaturas, Programa de Pós-Graduação em Literatura, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Aparece nas coleções:TEL - Mestrado em Literatura (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.