Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/32377
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_AlannaCristinaVieiraRodriguesdaSilva.pdf4,18 MBAdobe PDFView/Open
Title: Caraterização petrográfica, geoquímica e isotópica do Granito Itapuranga na Porção Central da Faixa Brasília
Authors: Silva, Alanna Cristina Vieira Rodrigues da
Orientador(es):: Souza, Valmir da Silva
Assunto:: Granito Itapuranga
Faixa Brasília
Magmatismo
Issue Date: 25-Jul-2018
Citation: SILVA, Alanna Cristina Vieira Rodrigues da. Caraterização petrográfica, geoquímica e isotópica do Granito Itapuranga na Porção Central da Faixa Brasília. 2018. x, 82 f., il. Dissertação (Mestrado em Geologia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: O Granito Itapuranga está localizado na porção central da Faixa Brasília, Província Tocantins, produto da convergência e colisão entre os crátons São Francisco, Paranapanema e Amazônico. A Faixa Brasília constitui um cinturão orogênico Neoproterozóico, com aproximadamente 1200 km de comprimento por 300 km de largura. Na sua porção central ocorre um sistema de lineamentos com direção EW, sendo o Lineamento dos Pirineus a estrutura mais proeminente desse conjunto. Vários corpos graníticos sin e pós colisionais estão associados a este lineamento como, por exemplo, o Granito Itapuranga. O Granito Itapuranga é uma intrusão alongada na direção E-W, apresentando textura porfiritica em diferentes estágios deformacionais, variando de protomilonito a ultramilonito, com assembleia mineral constituída por fenocristais de feldspato potássico imerso numa matriz quartzo-feldspática, com biotita, anfibólio e minerais acessórios como titanita, epidodo e zircão. Enclaves ocorrem em tamanho variando de 10 a 30 cm, com forma achatada e estirada. Os dados geoquímicos para estas rochas apresentam ampla variação do teor de SIO2, altos conteúdos de Al2O3, Fe2O3 e K2O, altas concentrações de Rb, Ba e Sr e moderados teores de Nb, Zr e Y. As idades TDM Sm-Nd para essas rochas variam de 1,27 a 1,91 Ga sugerindo material derivado da crosta siálica mais antiga na origem dos magmas. Esse Magmatismo do tipo-I envolve processo de fracionamento por cristalização fracionada caracterizando ambiente tectônico pós-colisional a tarde-orogênico. A presença de enclaves indica coexistência de membros máficos e félsicos. O félsico pode ser produto da fusão da crosta continental provavelmente de idade Paleo-Mesoproterozóica com algum grau de contribuição de fusão mantélica.
Abstract: The Itapuranga Granite is located in the central portion of the Brasilia Belt, Tocantins Province, product of the convergence and collision between the São Francisco, Paranapanema and Amazonian cratons. The Brasília Belt is a Neoproterozoic orogenic belt, with approximately 1200 km long and 300 km wide. In its central portion occurs a system of lineaments with direction EW, being the Pyrenees Lineament the most prominent structure of this set. Several granite sin and post collisional bodies are associated with this lineage, such as Itapuranga Granite. The Itapuranga granite is an intrusion elongated in the EW direction, presenting porphyritic texture in different deformational stages, ranging from protomilonite to ultramilonite, with mineral assembly constituted by phenocrysts of potassium feldspar immersed in a quartz-feldspath matrix, with biotite, amphibole and accessory minerals such as titanite , epidodia and zircon. Enclaves occur in size ranging from 10 to 30 cm, with flattened and stretched form. The geochemical data for this rocks show a wide variation in the content of SIO2, high content of Al2O3, Fe2O3 and K2O, high concentrations of Rb, Ba and Sr and moderate levels of Nb, Zr and Y. The TDM Sm-Nd ages for theis rocks vary from 1.27 to 1.91 Ga suggesting material derived from the oldest sialic crust in the origin of the magmas. This type I magmatism involves fractional crystallization fractionation characterizing post-collisional tectonic environment to late-orogenic. The presence of enclaves indicates coexistence of mafic and felsic limbs. The felsic may be the product of the melting of the continental crust probably of Paleo-Mesoproterozoic age with some degree of contribution of mantélica fusion.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, Programa de Pós-Graduação em Geologia, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Fundação de Apoio a Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF).
Appears in Collections:IG - Mestrado em Geologia (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/32377/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.