Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/32256
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_IsraelVictordeMelo.pdf854,96 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Imaginário cultural : árabes e muçulmanos em Submissão, de Michel Houellebecq
Autor(es): Melo, Israel Victor de
Orientador(es): Braga, Cláudio Roberto Vieira
Assunto: Houellebecq, Michel, 1956- crítica e interpretação
Estudos culturais
Imagologia
Literatura árabe
Data de publicação: 6-Jul-2018
Referência: MELO, Israel Victor de. Imaginário cultural: árabes e muçulmanos em Submissão, de Michel Houellebecq. 2018. vii, 98 f., il. Dissertação (Mestrado em Literatura)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: Ao representar a complexidade social francesa, Michel Houellebecq caracteriza sujeitos sociais, o que pode possibilitar o conflito naquilo que concerne à relação de interação desses sujeitos numa realidade não-ficcional. A partir de seu romance Submissão (2015), analisamos as narrativas de tensão político-social entre personagens árabes e não árabes para, desse modo, revelar o imaginário circunscrito ao outro, à outra árabe, sobretudo, na tradição cultural e científica cujo fim é a dominação colonial. Para isso, nosso embasamento teórico-metodológico parte do campo da Imagologia – Marius-François Guyard (1951), Daniel-Henri Pageaux (1989, 2011), Celeste Ribeiro de Sousa (2004, 2009, 2011) – e dos estudos culturais – por meio dos pressupostos defendidos por Edward Said (1978,1993) e Homi Bhabha (1994). Assim, investigamos o modo como o Outro foi visto, imaginado e narrado na produção cultural literária.
Résumé: En représentant la complexité sociale française, Michel Houellebecq caractérise des sujets sociaux, ce qui peut rendre possible le conflit en ce qui concerne la relation d'interaction de ces sujets dans une réalité non-fictive. À partir de son roman Soumission (2015), nous analysons les récits de tensions politiques-sociales entre les personnages arabes et non-arabes afin de révéler l'imaginaire circonscrit à l'autre arabe, notamment dans la tradition culturelle et scientifique dont le but est la domination coloniale. Pour cela, notre base théorique-méthodologique part du domaine de l’Imagologie – Marius-François Guyard (1951), Daniel-Henri Pageaux (1989, 2011), Celeste Ribeiro de Sousa (2004, 2009, 2011) – et des études culturelles – à l’aide des hypothèses défendues par Edward Said (1978,1993) et Homi Bhabha (1994). Ainsi, nous étudions la façon dont l'Autre a été vu, imaginé et raconté dans la production culturelle littéraire.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Teoria Literária e Literaturas, Programa de Pós-Graduação em Literatura, 2018.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Aparece nas coleções:TEL - Mestrado em Literatura (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.