RIUnB >
FE - Faculdade de Educação >
FE - Programa de Pós-graduação  >
FE - Mestrado em Educação (Dissertações) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10482/3208

Files in This Item:

File Description SizeFormat
2007_EdilbertoMouradaFonseca.pdf419,92 kBAdobe PDFView/Open

Title: Barreiras à inovação educacional : as dificuldades em utilizar a auto-avaliação como expressão de inovação
Authors: Fonseca, Edilberto Moura da
Advisor: Martínez, Albertina Mitjáns
Keywords: Avaliação educacional
Issue Date: 13-Jan-2010
Submit Date: 2007
Citation: FONSECA, Edilberto Moura da. Barreiras à inovação educacional: as dificuldades em utilizar a auto-avaliação como expressão de inovação. 2007. 144 f. Dissertação (Mestrado em Educação)-Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Abstract: Devido à relevante importância que a inovação alcança no mundo atual e principalmente para a educação, essa pesquisa tem por objetivo compreender as barreiras à inovação educacional a partir, especificamente, da análise das dificuldades que impedem os professores de utilizarem a auto-avaliação pelo aluno como elemento inovador. Na parte empírica da pesquisa, optamos pela Epistemologia Qualitativa de Fernando González Rey, que oferece, por meio de seus princípios, elementos fundamentais para viabilizar o estudo dos fenômenos humanos complexos. Foi realizado um estudo de caso em uma escola privada de ensino médio do DF. Participaram da pesquisa seis professores com ampla experiência docente, o diretor pedagógico da instituição na época e um grupo de alunos. Foram utilizados instrumentos abertos e semi-abertos, tais como a técnica de exploração múltipla, entrevistas, questionário, análise documental e grupo focal. Como resultado do estudo, foram encontradas na instituição pesquisada algumas barreiras à inovação. Barreiras institucionais: representadas pela falta de mobilização da escola no sentido de promover as condições tecnológicas, reduzido número de encontros pedagógicos com vistas ao esclarecimento e orientação dos docentes e ausência de um trabalho consistente de coordenação pedagógica para dar suporte às práticas docentes inovadoras, além das dificuldades financeiras enfrentadas pela instituição. Barreiras individuais ou atitudinais: materializadas na insegurança docente diante do novo; na sobrecarga de trabalho, tornando o tempo um fator que restringe as possibilidades de inovar; na persistente desconfiança dos professores em relação à realização, pelos alunos, de uma auto-avaliação criteriosa; nas dificuldades relacionadas à descentralização do processo avaliativo que simboliza poder no inconsciente coletivo docente e nas resistências dos alunos à inovação. Barreiras no sistema educacional: representadas pelas grades curriculares que não permitem muita mobilidade na prática docente e pelas exigências dos processos seletivos das universidades que determinam os conteúdos a serem trabalhados, impondo prazos que dificultam ações inovadoras, pois estas costumam demandar um tempo maior que as aulas expositivas e práticas avaliativas tradicionais. Esse estudo permitiu também propor algumas sugestões para o aprimoramento do trabalho da instituição. _________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Due to the major relevance that innovative processes have in the world nowadays and mainly in the educational field, the main goal of the present research paper is to understand the barriers to educational innovation, through the analysis of the difficulties faced by teachers that prevent them from using self-evaluation as an innovating element. On the empirical side of the research, we have opted for the Gonzalez Reys’ Qualitative Epistemology principles, as a means of making the study of complex human phenomena possible. A study case was carried out in a private high school in Brasília. Six very experienced teachers, the Academic Director at the time, and a group of nine students took part in the study. A varied array of open and semi-open instruments was used during the analysis, such as multiple exploration techniques, interviews, questionnaire, document analysis and focus groups. The result of the analysis showed that the barriers to innovation were: Institutional Barriers: those were represented by the school lack of coordinated efforts with views to promoting the necessary technological environment, the academic meetings in order to coach teachers and clarify possible difficult aspects, and the academic coordination to give support and back up innovative teaching procedures and processes, as well as financial constraints. Individual or Attitudinal Barriers: those were reflected on the teachers’ insecurity towards the new, on excessive workloads, which makes time management a relevant aspect to take into consideration when talking about the possibilities to innovate; the persistent teachers suspicion in relation to students carrying out and being responsible for their own assessment, which symbolizes loss of power in the collective subconscious of teachers. Apart from all that, there is some resistance within the body of students. The Educational System Barriers: The content that has to be delivered does not allow for flexibility in the teaching practice, and the university entrance selection processes impose what is to be taught, which limits the time slotted for innovative actions, since they frequently require more time if compared to more traditional assessment methods and teaching routines. This research paper has also contributed with some suggestions for the betterment of the work at the mentioned high school.
Additional Information: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2007.
Appears in Collections:FE - Mestrado em Educação (Dissertações)

Items in Repository are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Site Creative Commons Site Oaister Sítio IBICT Universidade de Brasília
About Repository  |  FAQ  |  Statistics |  Authorization Term
Copyright © 2008 MIT & HP. All rights reserved.