Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/31915
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_GlutathioneS-transferaseM1.pdf61,42 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Glutathione S-transferase M1 (GSTM1) polymorphism in two Brazilian populations
Autor(es): Hatagima, Ana
Guimarães, Maria de Nazaré Klautau
Silva, Felizardo Penalva da
Cabello, Pedro Hernan
Assunto: Polimorfismo (Genética)
Glutationa
Data de publicação: Dez-2000
Editora: Sociedade Brasileira de Genética
Referência: HATAGIMA, Ana et al. Glutathione S-transferase M1 (GSTM1) polymorphism in two Brazilian populations. Genetics and Molecular Biology, São Paulo, v. 23, n. 4, p. 709-713, dez. 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-47572000000400003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 25 out. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-47572000000400003.
Resumo: A distribuição das freqüências fenotípicas do gene GSTM1 de duas amostras brasileiras, compostas de doadores sanguíneos de ambos os sexos com idade entre 18 e 61 anos, foi estudada. A primeira amostra é composta de 658 indivíduos provenientes do Rio de Janeiro e a segunda de 179 indivíduos de Brasília. Os fenótipos da GSTM1 foram determinados utilizando-se a técnica da reação em cadeia da polimerase e subsequente digestão com a enzima de restrição HaeII. As freqüências observadas para o fenótipo GSTM1 nulo foram de 46,4% e 48,6% para as amostras do Rio de Janeiro e Brasília, respectivamente. Os resultados também mostram que a distribuição fenotípica da GSTM1 não está em equilíbrio de Hardy-Weinberg para ambas as amostras: χ2 1 = 11,49 (P < 0,001) para o Rio de Janeiro e χ2 1 = 6,77 (P < 0,01) para Brasília. Este desequilíbrio pode ser atribuído a fatores como seleção, erros na determinação fenotípica ou panmixia ainda incompleta da população brasileira, cujos componentes raciais são caucasóides, africanos e índios.
Abstract: The distribution of GSTM1 phenotype frequencies was studied in two Brazilian samples composed of healthy and unrelated blood donors of both sexes ranging in age from 18 to 61 years. The first sample consisted of 658 individuals from Rio de Janeiro, and the second included 179 individuals from Brasília. The GSTM1 phenotypes were detected using PCR reactions and subsequent digestion by the restriction enzyme HaeII. The GSTM1 null phenotype frequency was 46% and 49% for Rio de Janeiro and Brasília samples, respectively. The GSTM1 phenotype distributions were not in agreement with Hardy-Weinberg equilibrium in either sample, c21 = 11.49 (P < 0.001) for Rio de Janeiro and c21 = 6.77 (P < 0.01) for Brasília. This deviation from Hardy-Weinberg equilibrium may be due to factors such as selection, errors in the phenotype determination or incomplete panmixia of the Brazilian population, whose main racial components are Caucasians, Africans and Indians.
Licença: Genetics and Molecular Biology - All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License (CC BY NC). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-47572000000400003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 25 out. 2017.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-47572000000400003
Aparece nas coleções:GEM - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.