Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/31827
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_VulnerabilidadeFemininaPrevalencia.pdf655,41 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Vulnerabilidade feminina e prevalência do HIV/SIDA em Moçambique : pontos para reflexão
Outros títulos: Female gender vulnerability and prevalence of HIV/AIDS in Mozambique : points for reflection
Autor(es): Estavela, Arune João
Seidl, Eliane Maria Fleury
Assunto: Gênero
AIDS (Doença)
Vulnerabilidade
Moçambique
Data de publicação: 2015
Editora: Universidade Eduardo Mondlane
Referência: ESTAVELA, Arune; SEIDL, Eliane Maria Fleury. Vulnerabilidade feminina e prevalência do HIV/SIDA em Moçambique: pontos para reflexão. Revista Científica da Universidade Eduardo Mondlane, Série: Ciências Biomédicas e Saúde Pública, Maputo, v. 1, n. 1, p. 27-41, 2015. Disponível em: <http://www.revistacientifica.uem.mz/index.php/rccbsp/article/view/102>. Acesso em: 01 nov. 2017.
Resumo: O HIV/SIDA afeta desproporcionalmente a pessoas que vivem em países com graves problemas socioeconômicos. Noventa e cinco por cento das pessoas com HIV/SIDA vivem em países em desenvolvimento. A prevalência da HIV/SIDA em pessoas adultas em Moçambique, na faixa entre 15-49 anos, é de 11,5%, sendo superior nas mulheres (13,1%), comparativamente aos homens (9,2%). A prevalência entre mulheres jovens de 15-24 anos é mais elevada (11,1%), comparativamente a dos homens da mesma faixa etária, que é de 3,7%. É neste contexto de assimetrias de prevalências de HIV entre gêneros que o presente artigo tem por objectivo discutir a realidade da epidemia de HIV/SIDA em Moçambique, focalizando questões de gênero e a vulnerabilidade feminina de infecção pelo HIV, considerando ainda práticas culturais e tradicionais da sociedade que podem ampliar essa vulnerabilidade. Tendo em vista que políticas direcionadas ao empowerment da mulher e à igualdade de gênero figuram há muito na agenda de desenvolvimento do país, aumentar o conhecimento sobre o tema e propiciar reflexões sobre essas questões são relevantes, considerando que dados da realidade indicam que as mulheres moçambicanas são mais vulneráveis à infecção do HIV e a outras infecções de transmissão sexual.
Abstract: HIV/AIDS disproportionately affects people living in countries with serious socioeconomic problems. Ninety five per cent of people living with HIV (PLWH) live in developing countries. The prevalence of HIV/AIDS in Mozambique is 11.5% among adults aged 15-49 and is higher among women (13.1%) than men (9.2%). The prevalence among young women aged 15-24 is higher (11.1%) than the prevalence among men in the same age group (3.7%). The object of this study is to discuss the HIV/AIDS epidemic in Mozambique in the context of the generational asymmetries, localizing gender and female vulnerability for HIV infection, considering cultural practices and traditions among society that can amplify the vulnerability. Despite the fact that women’s empowerment and gender equality policies appear frequently on the Mozambique´s development agenda, data shows weak participation and non-empowerment of women. This leaves them vulnerable to HIV and sexually transmitted infections.
Licença: Revista Científica da Universidade Eduardo Mondlane, Série: Ciências Biomédicas e Saúde Pública - Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 (CC BY). Fonte: http://www.revistacientifica.uem.mz/index.php/rccbsp/article/view/102. Acesso em: 01 nov. 2017.
Aparece nas coleções:PED - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.