Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/31727
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_GabrieladeSousaMartins_PARCIAL.pdf556,61 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Análise do perfil clínico e funcional de pacientes críticos na unidade de terapia intensiva de um hospital público do Distrito Federal : estudo de coorte prospectivo
Outros títulos: Analysis of the clinical and functional profile of critical patients in the intensive care unit of public hospital in the Federal District : prospective cohort study
Autor(es): Martins, Gabriela de Sousa
Orientador(es): Cipriano, Graziella França Bernardelli
Assunto: Fisioterapia
Unidades de Tratamento Intensivo (UTI)
Força muscular
Avaliação em saúde
Data de publicação: 24-Abr-2018
Referência: MARTINS, Gabriela de Sousa. Análise do perfil clínico e funcional de pacientes críticos na unidade de terapia intensiva de um hospital público do Distrito Federal: estudo de coorte prospectivo. 2017. xviii, 63 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologias em Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Objetivo: Observar associações e possíveis relações de causalidade entre medidas clinicas e funcionais de pacientes críticos durante a permanência na Unidade de Terapia Intensiva de um Hospital Público de Distrito Federal. Métodos: Trata-se de um estudo de coorte prospectivo em uma UTI adulto. Para fins metodológicos o estudo foi divido em duas etapas: a primeira foi destinada a coleta de dados sociodemográficos e clínicos, e a segunda destinada a avaliação funcional por meio das escalas Functional Status Score for the Intensive Care Unit (FSS-ICU), ICU Mobility Scale (IMS) e a Medical Research Council Sum-Score (MRC-SS). As avaliações foram realizadas no despertar, na alta e sete dias após a alta da UTI. Foi realizada uma análise descritiva dos dados para categorização amostral. A análise estatística realizada foi dividida em dois momentos, o primeiro para a comparação das variáveis avaliadas por grupos de pacientes com e sem fraqueza muscular e entre os tempos (despertar, alta e 7 dias após alta) avaliados, além da associação entre as escalas e entre os testes com dados clínicos até o despertar. O segundo momento foi realizado uma descrição da variação da média diária (VMD) e uma proposta de equação de predição dessas medidas nos diferentes perfis clínicos. Resultados: A amostra foi composta por 54 indivíduos, que foram acompanhados no despertar da UTI, desses 48 sobreviveram e receberam alta da UTI e 30 retornaram reavaliação 7 dias após a alta da UTI. A fraqueza muscular foi observada em 32 pacientes. Observamos diferença significativas (p≤0.05) para o FSS-ICU, IMS de pacientes com e sem fraqueza muscular e nas comparações entre admissão vs. alta da UTI e vs. 7 dias após alta da UTI. Identificamos que o FSS-ICU possui uma associação positiva com as medidas de IMS e MRC-SS no despertar e na alta e uma associação negativa com o tempo de uso de sedativo e ventilação mecânica (VM) no despertar A VMD apontou que os pacientes mais críticos foram os que apresentaram maior potencial de crescimento diário nas avaliações do FSS-ICU, IMS e MRC. Foram estabelecidas três equações de predição para estimar a variação do FSS-ICU, IMS e MRC-SS em diferentes condições, após o despertar. Conclusão: A diminuição da capacidade funcional durante a permanência na UTI é comum e tende a aumentar progressivamente até a alta, porém a melhora completa desses parâmetros ainda não é estabelecida uma semana após a alta da UTI. As escalas demonstraram associação entre si e no despertar com o uso de sedativo e VM. Além disso, os pacientes mais graves, apresentam maior potencial aumento diário nas escalas. As equações de predição podem ser de utilidade clínica, pois fornecem parâmetros estimadas em diferentes condições clínicas.
Abstract: Objective: To observe associations and possible causal relationships between clinical and functional measures of critical patients during the stay in the Intensive Care Unit of a Public Hospital of the Federal District. Methods: This is a prospective cohort study in an adult ICU. For methodological purposes, the study was it divided into two stages: the first one aimed at collecting sociodemographic and clinical data. The second was realized the functional evaluation through the Functional Status Score for the Intensive Care Unit (ICS), the ICU Mobility Scale (IMS) and the Medical Research Council Sum-Score (MRC-SS). The evaluations were it performed on awakening, on discharge and seven days after discharge from the ICU. A descriptive analysis of the data for sample categorization it was realized. The statistical analysis was divided in two moments, the first to compare the variables evaluated by groups of patients with and without muscle weakness and between the times (awakening, discharge and 7 days after discharge) evaluated, and the association between the tests and between the clinical data tests of the awakening, it was realized. The second moment it was made a description of the variation of the mean daily variation (VMD) of the tests and a proposal of a prediction equation of these measurements in the different clinical profiles. Results: The sample consisted of 54 individuals, who were followed up on ICU awakening, of whom 48 survived and were discharged from the ICU and 30 returned for reassessment 7 days after discharge from the ICU. Muscle weakness was observed in 32 patients. The muscle weakness it was observed in 32 patients. A significant difference (p≤0.05) for the FSS-ICU, IMS of patients with and without muscle weakness and in the comparisons between wakening vs. discharge from the ICU and 7 days after discharge from the ICU. We identified that the FSS-ICU has a positive association with the IMS and MRC-SS measurements on awakening and discharge and a negative association with the time of sedative and mechanical ventilation (MV) use in the awakening. The VMD showed that the most critical patients presented greater daily growth potential in the tests of FSS-ICU, IMS and MRC-SS. In addition, three prediction equations were established to estimate the variation of FSS-ICU, IMS and MRC-SS under different clinical conditions after awakening of ICU. Conclusion: The decrease in functional capacity during ICU stay is common and tends to progressively increase until discharge, however the complete improvement of these parameters is not yet established one week after discharge from the ICU. The tests demonstrated association between themselves and in the awakening are associated with the use of sedative and MV. In addition, the more severe patients present greater potential daily increase in the tests.The prediction equations may be of clinical utility, since they provide parameters estimated in different clinical conditions.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Programa de Pós-Graduação em Ciências e Tecnologias em Saúde, 2017.
Texto parcialmente liberado pelo autor. Conteúdo liberado: Resumo e Abstract.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF).
Aparece nas coleções:PGCTS - Mestrado em Ciências e Tecnologias em Saúde

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.