Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/31526
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_MaraClaudiaRibeiro.pdf20,56 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Aplicabilidade da musicoterapia nas complicações neurológicas decorrentes da hipóxia isquêmica encefálica, induzida experimentalmente por nitrito de sódio
Autor(es): Ribeiro, Mara Claudia
Orientador(es): Ferreira, Vania Maria Moraes
Assunto: Musicoterapia
Ansiedade
Depressão
Hipóxia
Data de publicação: 28-Mar-2018
Referência: RIBEIRO, Mara Claudia. Aplicabilidade da musicoterapia nas complicações neurológicas decorrentes da hipóxia isquêmica encefálica, induzida experimentalmente por nitrito de sódio.2017. 178 f., il. Tese (Doutorado em Ciências Médicas)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Introdução: Anualmente, milhares de pessoas sofrem hipóxia cerebral, apresentando o dobro de chance de desenvolver alterações cognitivocomportamentais relacionadas à ansiedade e à depressão. Como forma de tratamento não farmacológico para tais condições pode-se utilizar a musicoterapia. Objetivo: Analisar as alterações histológicas hipocampais e cerebelares e possíveis repercussões comportamentais e bioquímicas provocadas pela Sonata de Mozart em animais sem e com hipóxia isquêmica encefálica induzida experimentalmente por Nitrito de Sódio. Metodologia: Foi realizado um estudo experimental com 36 ratas Wistar distribuídas em grupos que sofreram hipóxia e que ouviram música em protocolos de aplicações agudas e crônicas. A hipóxia foi induzida experimentalmente por Nitrito de Sódio na dosagem de 60mg/kg durante 15 dias. Foram analisadas variáveis comportamentais no Campo aberto, Labirinto em Cruz Elevado (comportamento sugestivo de ansiedade) e o Nado Forçado (comportamento sugestivo de depressão). Análises bioquímicas verificaram o estresse agudo e crônico por meio dos níveis de cortisol, glicose, colesterol e lactato. Foram coletadas e analisadas amostras histológicas do hipocampo, regiões CA1, CA2, CA3, CA4 e Giro Denteado e do córtex cerebelar. Resultados: Os animais que sofreram a lesão encefálica e não receberam o protocolo de música apresentaram o pior desempenho nos testes de ansiedade e de depressão, demonstrando claramente o efeito ansiogênico da lesão encefálica. O efeito ansiogênico também foi verificado no grupo que sofreu hipóxia e recebeu música crônica. Já os grupos que receberam música aguda e crônica (sem lesão) e o grupo que recebeu música aguda após lesão apresentaram características de efeito ansiolítico. Destacou-se também efeito antidepressivo da música aguda e crônica em todos os grupos. Em relação as análises bioquímicas, o cortisol foi a variável que apresentou destaque, com níveis elevados no grupo que sofreu hipóxia e também no grupo que recebeu o protocolo de música crônica. Em relação aos aspectos histológicos, a região CA1 foi a área menos atingida pela hipóxia. Os animais que apenas receberam música, seja no protocolo agudo ou crônico, não apresentaram diferença significante (p≤ 0,05) na contagem de neurônios sadios em relação ao grupo controle. Já os animais que receberam o protocolo de música aguda após a lesão encefálica apresentaram melhores contagens de neurônios sadios nas áreas CA1, CA3, CA4 e Giro Denteado que os demais grupos com hipóxia. O cerebelo não apresentou alterações significativas nos animais que receberam música, apenas nos que sofreram hipóxia foi possível observar a lesão. Conclusões: A hipóxia isquêmica encefálica pode provocar danos estruturais e comportamentais, sendo que os animais que apenas sofreram hipóxia apresentaram menor peso encefálico, comportamento similar a depressão e a ansiedade, maior nível de cortisol e menor contagem de neurônios sadios em todas as áreas, exceto CA1. A música aguda e crônica em animais saudáveis, demonstraram efeitos antidepressivos e ansiolíticos, porém, o estresse acompanhou o grupo que ouviu música crônica. Embora estes grupos tenham apresentado maior número de neurônios sadios que lesionados em todas as áreas, não houve melhor contagem que no grupo controle. O destaque da atual pesquisa e deu no grupo de animais que sofreu lesão e recebeu o protocolo de música aguda devido ao elevado peso do encéfalo, assim como o efeito ansiolítico e efeitos antidepressivos, e mais os valores de cortisol que também foram menores que no grupo hipóxia. Este grupo apresentou o maior número de neurônios sadios em quase todas as áreas do hipocampo, exceto a área CA2. Já os animais que sofreram lesão e receberam o protocolo de música crônica apresentaram respostas ansiogênicas e sinais de estresses, possivelmente relacionados com os efeitos da lesão somado ao da música crônica. Destaca-se negativamente o fato de que estes animais apresentaram desempenho semelhante ao grupo que apenas sofreu hipóxia, no que tange a contagem de neurônios, de forma que, para a região hipocampal, a música aguda após a lesão por hipóxia, foi aquela que promoveu os melhores estímulos. Ao se projetar estes achados em humanos, é provável que possa haver repercussões positivas sobre aspectos comportamentais e histológicos e, consequentemente, na qualidade de vida de pessoas com lesões encefálicas decorrentes de hipóxia.
Abstract: Introduction: Every year thousands of people suffer from cerebral hypoxia, which has a double chance of developing cognitive-behavioral changes related to anxiety and depression. As a form of non-pharmacological treatment for such conditions music therapy may be used. Objective: To analyze hippocampal and cerebellar histological changes and possible behavioral and biochemical repercussions caused by Mozart's Sonata in animals without and with ischemic hypoxia experimentally induced by Sodium Nitrite. Methods: An experimental study was performed with 36 Wistar rats distributed in groups that had hypoxia and who had heard music in protocols for acute and chronic applications. Hypoxia was experimentally induced by Sodium Nitrite at a dose of 60 mg/kg for 15 days. Behavioral variables were analyzed in Open Field, Elevated Plus Maze (anxiety like-behavior) and Forced Swimming (depression like- behavior). Biochemical analyzes verified acute and chronic stress through the levels of cortisol, glucose, cholesterol and lactate. Histological samples from the hippocampus, CA1, CA2, CA3, CA4, and Dentade Gyrus and cerebellar cortex regions were collected and analyzed. Results: Animals that suffered brain damage and did not receive the music protocol presented the worst performance in the tests of anxiety and depression, clearly demonstrating the anxiogenic effect of the brain injury. The anxiogenic effect was also verified in the group that suffered hypoxia and received chronic music. The groups that received acute and chronic music (without injury) and the group that received acute music after injury showed characteristics of anxiolytic effect. The anti-depressive effect of acute and chronic music was also highlighted in all groups. Regarding the biochemical analyzes, cortisol was the variable that presented prominence, with high levels in the group that suffered hypoxia and also in the group that received the chronic music protocol. Regarding the histological aspects, the CA1 region was the area less affected by hypoxia. Animals that only received music, whether in the acute or chronic protocol, did not present significant difference (p≤0.05) in the healthy neuron count in relation to the control group. The animals that received the acute music protocol after the brain injury presented better scores of healthy neurons in the CA1, CA3, CA4 and Dentade Gyrus areas than the other groups with hypoxia. The cerebellum did not show significant changes in the animals that received music, only in those who suffered hypoxia was it possible to observe the lesion. Conclusions: Brain ischemic hypoxia can promote structural and behavioral damage, animals that only suffered hypoxia presented lower brain weight, depression and anxiety like- behavior, higher level of cortisol and lower number of healthy neurons in all areas except CA1. Acute and chronic music in healthy animals created anti-depressant and anxiolytic effects. However, stress accompanied the group who heard chronic music. And although these groups had more healthy neurons than lesions in all areas, there was no better counting than in the control group. In the present research the group of animals that suffered injury and received the protocol of acute music due to the high weight of the encephalon, as well as the anxiolytic effect and anti-depressive effects, and, cortisol values were also lower than in the hypoxia group. As well as, this group had the highest number of healthy neurons in almost all areas of the hippocampus, except the CA2 area. The animals that suffered injury and received the chronic music protocol presented anxiogenic effects and signs of stress, possibly related to the effects of the injury added to that of chronic music. Thus, for the hippocampal region, he acute music, after the hypoxia lesion, was the one that promoted the best stimulus. When projecting these findings in humans, it is probable that there may be positive repercussions, on behavioral and histological aspects, and consequently on he quality of life of people with encephalic lesions due to hypoxia.
Informações adicionais: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2017.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FMD - Doutorado em Ciências Médicas (Teses)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.