Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/31473
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_SusanneRachelldaPazCoelho_PARCIAL.pdf860,73 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Estado de saúde e desfechos indesejáveis no esporte para a pessoa com deficiência : um estudo de coorte prospectiva
Outros títulos: State of health and undesirable outcomes in sports for people with disabilities : a prospective cohort study
Autor(es): Coelho, Susanne Rachell da Paz
Orientador(es): Martins, Emerson Fachin
Assunto: Pessoas com deficiência
Esportes
Predição
Esporte adaptado
Data de publicação: 22-Mar-2018
Referência: COELHO , Susanne Rachell da Paz. Estado de saúde e desfechos indesejáveis no esporte para a pessoa com deficiência: um estudo de coorte prospectiva. 2017. xiv, 113 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Em um contexto geral, as pessoas sofrem com doenças, distúrbios ou lesões comumente referidas no modelo biopsicossocial como condições de saúde. Como resultado, elas enfrentam o impacto dessas condições de saúde em sua vida diária, vivenciando alterações nas funções e estruturas do corpo, limitações de atividade e restrições de participação. Um dos instrumentos criados pela OMS capaz de medir as incapacidades ocasionadas por essas condições de saúde é a Escala de Avaliação de Saúde e Deficiência denominada WHODAS 2.0. Esse instrumento pode ser aplicado a várias condições de saúde e mede os níveis de dificuldade em atividades diárias e participação social de indivíduos com alguma deficiência. Acredita-se que o esporte adaptado contribua de forma positiva para o desenvolvimento, interação social e inclusão dessa população. Contudo, a participação em esportes não somente promove desfechos favoráveis ao estado de saúde, mas também aumenta o risco de exposição a fatores que podem preditores de situações indesejáveis. Ainda existem poucos estudos que investigam os desfechos indesejáveis decorrentes do esporte adaptado, menos ainda que estabeleçam relações causais entre possíveis fatores preditores desses desfechos indesejáveis e o estado de saúde. A partir disso, o presente estudo teve como objetivo identificar o estado de saúde de pessoas com deficiência que praticam esportes em modalidades paralímpicas, explorando incapacidades em domínios biopsicossociais que poderiam ser preditores de desfechos indesejados no esporte. Para isso, realizamos um estudo observacional, do tipo longitudinal, descritivo, com abordagem qualitativa e quantitativa, por meio de entrevistas e questionário realizados respectivamente, com os treinadores e atletas de modalidades paralímpicas vinculados a um Centro de Treinamento de Educação Física Especial, no período de junho a setembro de 2017. Essa sequência de análises apontou relações de causalidade entre o estado de saúde e os desfechos indesejáveis relatados, produzindo resultados teóricos, gráficos e numéricos. Concluímos que a menor dificuldade relatada no autocuidado por pessoas com deficiência que praticam esportes pode predizer desfechos indesejáveis.
Abstract: In a general context, people suffer from diseases, disorders or injuries commonly referred to in biopsychosocial model as health conditions. As a result, they face the impact of these health conditions in their daily lives, experiencing changes in bodily functions and structures, activity limitations, and participation restrictions. One of the instruments created by WHO to measure the disabilities caused by these health conditions is the Health and Disability Assessment Scale called WHODAS 2.0. This instrument can be applied to various health conditions and measures levels of difficulty in daily activities and social participation of individuals with a disability. It is believed that adapted sport contributes positively to the development, social interaction and inclusion of this population. However, participation in sports not only promotes outcomes favorable to state of health, but also increases the risk of exposure to factors that may predict undesirable situations. There are still few studies that investigate the undesirable outcomes resulting from adapted sport, let alone establish causal relationships between possible predictors of these undesirable outcomes and state of health. From this, the present study aimed to identify the state of health of people with disabilities who practice paralympic sports, exploring disabilities in biopsychosocial domains that could be predictors of undesirable outcomes in sports. For this, we carried out an observational, longitudinal, descriptive, qualitative and quantitative approach, through interviews and questionnaires, respectively, carried out with the coaches and athletes of paralympic sports linked to a Special Physical Education Training Center, from June to September 2017. This sequence of analysis pointed out causal relations between the health status and the reported undesirable outcomes, producing theoretical, graphical and numerical results. We conclude that few difficulties reported in the selfcare by people with disabilities practicing sports may predict undesirable outcomes.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação, 2017.
Texto parcialmente liberado pelo autor. Conteúdo liberado: Resumo e Abstract.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Aparece nas coleções:PPGCR - Mestrado em Ciências da Reabilitação

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.