Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/31394
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_AdenilsonFerreiradeResende.pdf1,49 MBAdobe PDFView/Open
Title: “Sorriso Colgate? O que é isso?” : levantamento do perfil da população brasileira que nunca foi ao dentista, com base em dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), e sua análise em termos da Avaliação de Tecnologia em Saúde (ATS)
Other Titles: "Colgate Smile? What is this?" : the profile of the brazilian population who has never been to the dentist, based on National Health Research Data (PNS), and its analysis in terms of Health Technology Evaluation (ATS)
Authors: Resende, Adenilson Ferreira de
Orientador(es):: Gomes, Marília Miranda Forte
Assunto:: Saúde bucal
Engenharia biomédica
Odontologia
Issue Date: 9-Mar-2018
Citation: RESENDE, Adenilson Ferreira de. “Sorriso Colgate? O que é isso?”: levantamento do perfil da população brasileira que nunca foi ao dentista, com base em dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), e sua análise em termos da Avaliação de Tecnologia em Saúde (ATS). 2017. xii, 67 f., il. Dissertação (Mestrado em Engenharia Biomédica)—Brasília, 2017.
Abstract: Ir ao dentista regularmente é de extrema importância para a saúde das pessoas. Infecções na boca podem atingir outros órgãos do corpo e levarem a grandes complicações. A maioria das doenças que são desencadeadas pela boca podem ser diagnosticadas e tratadas com visitas regulares ao dentista e também a um especialista da área. Entretanto os serviços que visam à saúde bucal brasileira não são eficazes e suficientes para atenderem à grande procura, promovendo assim, oportunidades cada vez menores para a prática da detecção, prevenção, tratamento e um diagnóstico precoce de doenças da boca. Diante disto a Engenharia Biomédica assume um papel fundamental na gestão de saúde da boca, aplicando técnicas da engenharia na resolução de problemas biológicos e da medicina. Desta forma a Engenharia Biomédica é uma grande aliada da Avaliação de Tecnologia de Saúde (ATS), pois ela promove o gerenciamento dos serviços que vão desde os medicamentos, equipamentos, procedimentos e os sistemas organizacionais até o suporte dentro dos quais os cuidados com a saúde são oferecidos. O presente trabalho apresenta o perfil da população brasileira que nunca foi ao dentista, utilizando os dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), com os objetivos de verificar as diferenças entre grupos populacionais e as características socioeconômicas da população brasileira que nunca foi ao dentista. A metodologia utilizada para realização deste estudo é composta por dados secundários da PNS e o uso probabilístico da Regressão Logística (RL). A pesquisa entrevistou 64.348 domicílios, sendo que 23.242 indivíduos responderam efetivamente que nunca foram ao dentista, estendendo-se a todas as regiões brasileiras e contemplando 1600 municípios. Os resultados sugerem que aproximadamente 11,3% da população brasileira nunca foram ao dentista, a sua maioria é composta por homens (12,7%), de cor/raça não branca (12,9%), com idades entre 60 a 95 anos (5,1%), com ensino fundamental (5,9%), solteiro (6,6%) e que residem na região Norte (16,1%). É possível observar que as pesquisas epidemiológicas periódicas, de base nacional, são de alta significância para o planejamento, a avaliação e o monitoramento das condições de saúde e dos serviços no nosso país. Sabe-se que o comportamento das pessoas é condicionado, dentre outros aspectos, por suas percepções e a importância a elas atribuída. Nem sempre ofertar serviços de saúde é sinônimo de busca pelos mesmos. Portanto, conhecer como cada indivíduo percebe a própria saúde é um importante passo para se compreender o padrão de procura por serviços de saúde bucal, reforçando a necessidade de políticas e ações que minimizem as desigualdades em saúde bucal, garantindo acesso aos subgrupos populacionais mais vulneráveis de acordo com as suas necessidades de saúde.
Abstract: Going to the dentist regularly is of utmost importance to people's health. Infections in the mouth can reach other organs of the body and lead to major complications. Most diseases that are triggered by the mouth can be diagnosed and treated with regular visits to the dentist and also to a specialist in the area. However, services aimed at Brazilian oral health are not effective and sufficient to meet the high demand, thus promoting less and less opportunities for the practice of detection, prevention, treatment and an early diagnosis of mouth diseases. Faced with this, Biomedical Engineering plays a fundamental role in the management of oral health, applying engineering techniques in the resolution of biological and medical problems. In this way Biomedical Engineering is a great ally of the Health Technology Assessment (ATS), as it promotes the management of services ranging from medicines, equipment, procedures and organizational systems to support within which health care are offered. The present study presents the profile of the Brazilian population that never went to the dentist, using data from the National Health Survey (PNS), with the objective of verifying the differences between population groups and the socioeconomic characteristics of the Brazilian population that never went to the dentist. The methodology used to perform this study is composed of secondary data from the PNS and the probabilistic use of Logistic Regression (RL). The survey interviewed 64,348 households, with 23,242 individuals responding effectively who never went to the dentist, extending to all Brazilian regions and contemplating 1600 municipalities. The results suggest that approximately 11.3% of the Brazilian population never attended the dentist, most of them were men (12.7%), non-white (12.9%), aged 60-95 (5.1%), with elementary education (5.9%), single (6.6%) and residing in the North (16.1%). It is possible to observe that periodic national epidemiological surveys are of great significance for the planning, evaluation and monitoring of health conditions and services in our country. It is known that the behavior of people is conditioned, among other aspects, by their perceptions and the importance attributed to them. Not always offering health services is synonymous with seeking them. Therefore, knowing how each individual perceives one's own health is an important step in understanding the pattern of demand for oral health services, reinforcing the need for policies and actions that minimize inequalities in oral health, guaranteeing access to the most vulnerable population subgroups according to your health needs.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade Gama, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Biomédica, 2017.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FGA - Mestrado em Engenharia Biomédica

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/31394/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.