Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/31312
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_AlessandraRodriguesdaSilva.pdf11,7 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: A dimensão discursiva da organização do conhecimento na Ciência da Informação brasileira
Autor(es): Silva, Alessandra Rodrigues da
Orientador(es): Baptista, Dulce Maria
Assunto: Organização do conhecimento
Ciência da informação
Análise crítica do discurso
Data de publicação: 27-Fev-2018
Referência: SILVA, Alessandra Rodrigues da. A dimensão discursiva da organização do conhecimento na Ciência da Informação brasileira. 2017. 238 f., il. Tese (Doutorado em Ciência da Informação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: O conhecimento que desde a Antiguidade Clássica é objeto de discussões e teorias diversas, tornase, a partir de meados do século XX, fator determinante na constituição socioeconômica da sociedade. Isso se deve, em parte, às mudanças na base material – de economia de capital para economia da informação e do conhecimento. São mudanças relacionadas à nova configuração do capitalismo na qual a linguagem torna-se elemento saliente nas práticas sociais contemporâneas (CHOULIARAKI; FAIRCLOUGH, 1999), caracterizada pela circulação de formas simbólicas. A Organização do Conhecimento (OC) é a área que se ocupa, primordialmente, das representações do conhecimento, sendo abordada em diversos campos do saber, como a Filosofia, Linguística, Computação, Lógica, Biologia, Sociologia, entre outros, mas que possui forte desenvolvimento na Biblioteconomia e na Ciência da Informação (CI).Neste cenário, a pesquisa possui como temática central a dimensão discursiva da OC, que consiste na análise crítica, por meio de questões linguísticas e sociais, de como as representações em torno da OC têm sido construídas na CI brasileira. Para tanto se vale dos aspectos teóricos da CI, em especial aqueles relacionados à OC e suas frentes de estudo, com destaque para a abordagem de Hjorland. Também se deu ênfase à Análise de Discurso Crítica (ADC), de linha britânica, abordada, em especial pelo pesquisador Norman Fairclough. A ADC compreende a linguagem como parte irredutível da vida social e considera que “as práticas discursivas em mudança contribuem para mudar o conhecimento” (FAIRCLOUGH, 2001, p. 27) que, por sua vez, também modifica e é modificado pelas práticas sociais. O que resulta no objetivo geral de analisar as relações representadas pelas articulações sociodiscursivas presentes na OC enquanto área de pesquisa, ensino e atividades práticas relacionadas à CI no Brasil. Para realização do estudo, em nível empírico, o foco centrou-se nas representações referentes à OC presentes nas áreas de concentração e linhas de pesquisa de quatro programas de pós-graduação em CI (PPGCI) brasileiros e em onze grupos de pesquisa (GP) a eles vinculados. A fonte de informações consistiu em textos disponíveis nas páginas da internet dos programas e em informações do Diretório dos Grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Para análise dos textos foi privilegiado o significado representacional da linguagem proposto na ADC, que se refere aos discursos. Estes correspondem a diferentes formas de representar aspectos do mundo – processos, relações e estruturas do mundo material; pensamentos, sentimentos e crenças do mundo mental; e identidades e relações do mundo social. Três categorias sociodiscursivas foram percebidas como de fundamental importância aos propósitos da pesquisa: vocabulário e significado da palavra, interdiscursividade e representação de eventos e atores sociais. As representações dos PPGCI e dos GP descritas, analisadas e discutidas contribuíram para a compreensão da existência de relações sociodiscursivas variadas e heterogêneas na OC, bem como para o entendimento de como as representações em torno da área têm sido construídas na CI brasileira. Existe considerável imprecisão terminológica na área, inclusive na designação do que é a OC, bem como nos termos e expressões utilizados para expressá-la e, também, a ela relacionados. Encontrou-se como alternativa abordar a OC como uma instância que discorre sobre as reivindicações do conhecimento apresentadas em registros potencialmente informativos (documentos), com base na visão social e pragmática da informação e do conhecimento. Percebeu-se que não apenas informação e conhecimento são elementos fundamentais para a OC, dada a relação que guardam, mas também os saberes de maneira plural e inclusiva, já que se observou que estes também são representados como objetos da OC. Nesse segmento, a OC contempla não só reivindicações de conhecimentos, mas também reivindicações de saberes de âmbito plural, individual e coletivamente construídos, em diferentes ambientes. Além disso, observouse que o contexto digital atua como a cena contemporânea da OC em vários sentidos, e no qual grande parcela das práticas e ações relacionadas à área tem sido exercidas. Os principais resultados alcançados indicam que a OC está representada por meio de entidades heterogêneas, o que não nos permite falar em um discurso da área de modo absoluto e homogêneo, mas em diferentes discursos que emanam do próprio caráter interdisciplinar que lhe subjaz. Além disso, as práticas de mediação circunscritas nos estudos, processos e práticas relacionados à Organização do Conhecimento são compreendidas como relações de controle que a área exerce em relação aos domínios do conhecimento que se propõe a organizar. Nesse sentido, quanto mais dialógicas e colaborativas essas práticas venham a ser exercidas, mais flexíveis e inclusivas tendem a ser as relações sociodiscursivas que promovem.
Abstract: Knowledge, which has been the object of diverse discussions and theories since Classical antiquity, becomes a key factor in the socioeconomic constitution of society, in the middle of the 20th century. This is due, in part, to changes in the material basis - from manufacturing economy to information and knowledge economy. Those are changes related to the new configuration of capitalism in which language becomes a prominent element in contemporary social practices (CHOULIARAKI, FAIRCLOUGH, 1999), characterized by the circulation of symbolic forms. Knowledge Organization (KO) is the area of study primarily concerned with the representation of knowledge; which is addressed in several academic fields, such as Philosophy, Linguistics, Computation, Logic, Biology, Sociology, among others, but it has a strong development in Librarianship and Information Science (IS). Within this context, this research focuses on the discursive dimension of KO, which consists of the critical analysis, through linguistic and social issues, of how the representations of KO have been constructed in Brazilian IS. In order to do so, it draws on the theoretical aspects of IS, especially those related to KO and its study fronts, with emphasis on Hjorland's approach. This research also emphasized the British Critical Discourse Analysis (CDA), which was addressed in particular by researcher Norman Fairclough. CDA understands language as an irreducible part of social life and considers that "changes in discursive practices contribute to changing knowledge" (FAIRCLOUGH, 2001), which, in its turn, also modifies and is modified by social practices. This approach results in the general objective of analyzing the relations represented by the sociodiscursive articulations in KO as an area of research, teaching and practical activities related to IS in Brazil. In order to carry out this study, at an empirical level, the focus was on the representations related to KO in the areas of concentration and lines of research in four Brazilian graduate programs related to the area of Information Science and in eleven research groups linked to them. The source of information consisted of texts available on the websites of the programs and data from the Directory of Research Groups of the National Council for Scientific and Technological Development [CNPq]. The text analysis favoured the representational meaning of language proposed by CDA, in what concern discourses. These discourses correspond to different ways of representing aspects of the world - processes, relations and structures of the material world; thoughts, feelings and beliefs of the mental world; and identities and relations of the social world. Three crucial sociodiscoursive categories of analysis emerged: vocabulary and word meaning, interdiscursivity and representation of social events and actors. The representations of KO by the graduate programs and by the research groups, described, analyzed and discussed here, contributed to the understanding of the existence of varied and heterogeneous sociodiscursive relations in KO, as well as to the understanding of how the representations around the area have been constructed in Brazilian IS. There is considerable terminological imprecision in the area, including the definition of KO, as well as the terms and expressions used to express it or related to it. As an alternative solution, we opted for approaching KO as an instance that deals with the claims of knowledge presented in potentially informative records (documents), based on the social and pragmatic vision of information and knowledge. We noticed that not only information and knowledge are fundamental elements for the KO, given the interrelation they hold, but also knowledge in a plural and inclusive way, since it has been observed that these are also represented as objects of KO. In this segment, KO contemplates not only demands for knowledge, but also demands for knowledge of plural scope, individually and collectively constructed, in different environments. In addition, it has been observed that the digital context acts as the contemporary scene of KO in several ways, and in which a large part of the practices and actions related to the area have been exercised. The main results indicate that KO is represented by heterogeneous entities, which does not allow us to classify their discourse as absolute or homogeneous, but as different discourses that emanate from the very interdisciplinary character that underlies it. In addition, the mediation practices circumscribed in the studies, processes and practices related to Knowledge Organization are understood as control relations that the area exercises towards the domains of knowledge that it proposes to organize. Thus, the more dialogical and collaborative these practices will be exercised, the more flexible and inclusive tend to be the sociodiscursive relations they promote.
Resumen: El conocimiento que desde la Antigüedad Clásica es objeto de discusiones y teorías diversas, se convierte, a partir de mediados del siglo XX, en factor determinante en la constitución socioeconómica de la sociedad. Eso se debe, en parte, a los cambios en la base material – de economía de capital a economía de la información y del conocimiento. Son cambios relacionados con la nueva configuración del capitalismo en la que el lenguaje se convierte en elemento sobresaliente en las prácticas sociales contemporáneas (CHOULIARAKI; FAIRCLOUGH, 1999), caracterizada por la circulación de formas simbólicas. La Organización del Conocimiento (OC) es el área que se ocupa, fundamentalmente, de las representaciones del conocimiento, abordada en diversos campos del saber, como la Filosofía, Lingüística, Computación, Lógica, Biología, Sociología, entre otros, pero con fuerte desarrollo en la Biblioteconomía y en la Ciencia de la Información (CI). En este contexto, la investigación tiene como temática central la dimensión discursiva de la OC, que consiste en el análisis crítico, a través de cuestiones lingüísticas y sociales, de cómo las representaciones alrededor de la OC han sido construidas en la CI brasileña. Para ello se vale de los aspectos teóricos de la CI, en particular los relacionados con la OC y sus distintos frentes de estudio, con especial atención para el abordaje de Hjorland. También se ha enfatizado el Análisis Crítico del Discurso (ACD), de línea británica, abordado, en particular por el investigador, Norman Fairclough. El ACD abarca el lenguaje como parte irreducible de la vida social y considera que “las prácticas discursivas en transformación contribuyen a cambiar el conocimiento” (FAIRCLOUGH, 2001, p. 27) que, por su parte, también modifica y es modificado por las prácticas sociales. Lo que resulta en el objetivo general de analizar las relaciones representadas por las articulaciones sociodiscursivas presentes en la OC como área de investigación, enseñanza y actividades prácticas relacionadas a la CI en Brasil. Para que el estudio se realice, a nivel empírico, el enfoque se ha centrado en las representaciones que se refieren a las OC presentes en las áreas de concentración y líneas de investigación de cuatro programas de postgrado en CI (PPGCI) brasileños y en once grupos de investigación (GP) a ellos vinculados. La fuente de informaciones radica en textos disponibles en páginas de internet de los programas y en informaciones del Directorio de los Grupos de Investigación del Consejo Nacional de Desarrollo Científico y Tecnológico. Para análisis de los textos se ha favorecido, el significado representacional del lenguaje propuesto en el ACD, que se refiere a los discursos. Estos corresponden a diferentes formas de representar aspectos del mundo – procesos, relaciones y estructuras del mundo material; pensamientos, sentimientos y creencias del mundo mental; e identidades y relaciones del mundo social. Se ha tenido en cuenta tres categorías sociodiscursivas como de fundamental importancia a los propósitos de la investigación: vocabulario y significado de la palabra, interdiscursividad y representación de actores sociales. Las representaciones de los PPGCI y de los GP descriptas, analizadas y discutidas han contribuido a la comprensión de la existencia de relaciones sociodiscursivas variadas y heterogéneas en la OC, así como para la comprensión de cómo las representaciones en torno del área han sido construidas en la CI brasileña. Existe considerable inexactitud terminológica en el área, incluso en la designación de lo que es la OC, así como en los términos y expresiones utilizados para expresarla y, también, a ella relacionados. Se determinó como alternativa abordar la OC como una instancia que discurre sobre las reivindicaciones del conocimiento presentadas en registros potencialmente informativos (documentos), con base en la visión social y pragmática de la información y del conocimiento. Se observó que no solo información y conocimiento son elementos fundamentales para la OC, dada la relación que guardan, sino también los saberes de forma plural e inclusiva, una vez que se notó que estos también son representados como objetos de la OC. En ese segmento, la OC contempla no solo reivindicaciones de conocimientos, sino también reivindicaciones de saberes de ámbito plural, individual y colectivamente construidos, en distintos ambientes. Además, se ha observado que el contexto digital actúa como el escenario contemporáneo de la OC en varios sentidos, y donde gran parte de las prácticas y acciones relacionadas con el área han sido realizadas. Los principales resultados alcanzados indican que la OC está representada por medio de entidades heterogéneas, lo que no nos permite hablar en un discurso del área de modo absoluto y homogéneo, sino en diferentes discursos que afluyen del propio carácter interdisciplinario que le subyace. Además, las prácticas de mediación circunscritas en los estudios, procesos y prácticas relacionados con la OC se conciben como relaciones de control que el área ejerce en relación con los dominios del conocimiento que se propone a organizar. En ese sentido, mientras más dialógicas y colaborativas se vengan a ejercer esas prácticas, más flexibles e inclusivas tienden a ser las relaciones sociodiscursivas que promueven.
Informações adicionais: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciência da Informação, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, 2017.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FCI - Doutorado em Ciência da Informação (Teses)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.