Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/3122
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2006_Helicínia Giorelana EPeixoto.pdf275,16 kBAdobe PDFView/Open
Title: Estado nutricional e seus fatores interferentes em pacientes com transtorno depressivo.
Authors: Peixoto, Helicínia Giordana Espíndola
Orientador(es):: Ito, Marina Kiyomi
Assunto:: Depressão mental
Nutrição
Obesidade
Issue Date: 12-Jan-2010
Citation: PEIXOTO, Helicínia Giordana Espíndola. Estado nutricional e seus fatores interferentes em pacientes com transtorno depressivo. 2006. 61 f. Dissertação (Mestrado em Nutrição Humana)—Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
Abstract: O transtorno depressivo interfere diretamente no estado nutricional do indivíduo, podendo levar a desnutrição/perda de peso ou obesidade. Foi realizado um estudo transversal com 300 pacientes ambulatoriais com transtorno depressivo, a fim de verificar o seu estado nutricional, associando-o com a classe de antidepressivo utilizada e demais fatores interferentes. Trinta e quatro por cento da amostra estudada foi de pacientes com sobrepeso, 28% de obesos e 5% de desnutridos. Não houve diferença no consumo alimentar dos pacientes do estudo em relação ao estado nutricional, quanto às calorias totais e à porcentagem dos macronutrientes consumidos por dia. Quanto às calorias consumidas por kg de peso por dia houve diferença significativa, com os pacientes que apresentaram baixo peso consumindo mais do que os acima do peso, sugerindo o subrelato desse último grupo. Foi encontrada associação significante entre o índice de massa corporal e o tipo de antidepressivo utilizado, quando se controlou as variáveis idade, compulsão alimentar e excesso de apetite, sendo maior para os pacientes que utilizavam os inibidores seletivos da recaptação da serotonina comparados aos que usavam tricíclicos ou de nova geração. Esses resultados indicam a importância do acompanhamento nutricional dos pacientes portadores de transtorno depressivo, a fim de minimizar o ganho de peso associado a esse tratamento. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The depressive disorder interferes directly in the nutritional state of the patient, leading to undernutrition/weight loss or obesity. A cross-sectional study was conducted with 300 outpatients with depressive disorder to evaluate their nutritional state, associating it with the class of antidepressant in use and other interfeering factors. Thirty four percent of the sample were overweight, 28% obese and 5% undernourished. There was no difference in the eating behavior of patients in relation to their nutritional state, as to the daily total calories and the percentage of macronutrients consumed. However, in relation to the calories consumed per kg of weight per day, there was a significant difference, with underweight patients consuming more than the overweight ones, indicating a possible under reporting of this last group. When the variables age, the compulsive eating behavior and excess of appetite were controlled, a significant association was found between the body mass index and the type of antidepressants used, which was higher for patients using selective serotonin uptake inhibitors compared to the other antidepressants. These results show the importance of systematic nutritional assistance and follow-up of depressive patients, to minimize the weight gain associated to this treatment.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Nutrição, 2006.
Appears in Collections:NUT - Mestrado em Nutrição Humana (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/3122/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.