Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/31028
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_VanessaGamaPachecoBatista.pdf2,11 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Uso e cobertura do solo na bacia do Alto Rio Preto : análise do mapeamento histórico das mudanças nas áreas de Preservação Permanente em Unidade de Conservação Ambiental, área de uso militar e urbano-rural entre 1970 a 2016
Autor(es): Batista, Vanessa Gama Pacheco
Orientador(es): Uagoda, Rogério Elias Soares
Assunto: Sistemas de informação geográfica
Direito ambiental
Área de preservação permanente (APP)
Uso e ocupação do solo
Data de publicação: 15-Jan-2018
Referência: BATISTA, Vanessa Gama Pacheco. Uso e cobertura do solo na bacia do Alto Rio Preto: análise do mapeamento histórico das mudanças nas áreas de Preservação Permanente em Unidade de Conservação Ambiental, área de uso militar e urbano-rural entre 1970 a 2016. 2017. x, 85 f., il. Dissertação (Mestrado em Geografia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: O estudo do uso e da cobertura do solo da bacia do Alto Rio Preto a partir do mapeamento de série histórica de imagens Land Remote Sensing Satelite (LANDSAT) de 1970 a 2016 é inédito. A classificação, o mapeamento, a identificação dos tipos de Áreas de Preservação Permanente (APPs) da bacia foram possíveis com a aplicação de ferramentas de geoprocessamento, que subsidiaram a análise evolutiva da preservação ambiental da área. A área foi dividida em quatro subáreas: (1) leste da Área de Preservação Ambiental (APA) do Planalto Central; (2) área militar do Campo de Instrução de Formosa (CIF), jurisdicionada ao Exército Brasileiro; (3) noroeste da bacia, cobrindo a parte sul do Município de Formosa/GO e (4) leste da bacia, cobrindo o leste do Município de Cabeceiras/GO e norte do Município de Cabeceira Grande/MG. Para subsidiar a metodologia da pesquisa, foi realizado levantamento histórico das áreas que perfazem a área objeto de estudo; breve abordagem evolutiva da legislação ambiental no mundo e no Brasil, especialmente sobre APPs que estão definidas e protegidas pelo Código Florestal Brasileiro, legislação basilar e divisora desta pesquisa; breve abordagem sobre a aplicabilidade do geoprocessamento e sensoriamento remoto para o estudo proposto e, por fim, breve caracterização da fitofisionomia da bacia do Alto Rio Preto. Para a aplicação e análise metodológica, utilizou-se como critério o mesmo mês e ano de cada cena de imagem. Foram adquiridas 216 cenas gratuitas do catálogo de imagens digitais do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), sendo selecionadas 12 imagens, que, após unidas, perfizeram um total de 6 imagens divididas pelas décadas 1970, 1980, 1990, 2000, 2010 e pelo ano de 2016. A classificação supervisionada ocorreu no software ENVI 4.7 e a composição de shapefiles no software ArcGIS 10.1. O resultado foi uma avaliação temporal de 46 anos de análises, a partir de imagens dos satélites LANDSAT 1, 2, 5 e 8, comprovando que a área externa às APPs da subárea 2 como elas em si, são mais preservadas do que as demais subáreas mesmo sem possuir proteção ambiental legal, como o que ocorre com a subárea 1, por exemplo. Finalmente, é possível afirmar a hipótese de que áreas militares são potenciais corredores ecológicos de preservação ambiental, devendo ser melhor estudadas e discutidas, não apenas cientificamente, mas, principalmente, nas forças armadas, tamanha responsabilidade possuem para a preservação ambiental para as futuras gerações.
Abstract: The study of the land use and the coverage of the Alto Rio Preto basin from the historical series mapping of Land Remote Sensing Satellite (LANDSAT) images from 1970 to 2016 is unprecedented. The classification, mapping and identification of the types of Permanent Preservation Areas (PPAs) of the basin were possible with the application of geoprocessing tools, which subsidized the evolutionary analysis of the environmental preservation of the area. For this, the area was divided into four subareas: (1) east of the Environmental Preservation Area (APA) of the Central Plateau; (2) military area of the Formosa Instruction Camp (CIF), jurisdiction of the Brazilian Army; (3) northwest of the basin, covering the southern part of the Municipality of Formosa / GO; And (4) east of the basin, covering the east of the Municipality of Cabeceiras / GO and north of the Municipality of Cabeceira Grande / MG. To support the methodology of the research, a historical survey was carried out of the areas that make up the area under study; A brief evolutionary approach to environmental legislation in the world and in Brazil, especially on PPAs that are defined and protected by the Brazilian Forest Code, basic and divisive legislation of this research; Brief approach on the applicability of geoprocessing and remote sensing for the proposed study; And finally, a brief characterization of the phytophysiognomy of the Alto Rio Preto basin. For the application and methodological analysis, the same month and year of each image scene was used as criterion. 216 free images were acquired from the digital images catalog of the National Institute of Space Research (INPE). Twelve images were selected, which, after being united, represented a total of 6 images divided by the decades: 1970, 1980, 1990, 2000, 2010 and 2016 The supervised classification occurred in the ENVI 4.7 software and the composition of shapefiles in the ArcGIS 10.1 software. The result was a temporal evaluation of 46 years of analysis, based on images from the LANDSAT 1, 2, 5, and 8 satellites, proving that the area outside the APPs of subarea 2 as they are, are more preserved than the others Subareas, even without legal environmental protection, such as with subarea 1, for example. Finally, it is possible to affirm the hypothesis that military areas are potential ecological corridors of environmental preservation, and should be better studied and discussed, not only scientifically, but especially in the military, such responsibility have for the environmental preservation of future generations.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Geografia, Programa de Pós-graduação, 2017.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:GEA - Mestrado em Geografia (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.