Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/3074
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2007_MariaAparecidaTaboza.PDF1,85 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: A volta a Cortázar pelo cinema e a literatura
Autor(es): Taboza, Maria Aparecida
Orientador(es): Müller Júnior, Adalberto
Assunto: Cortázar, Julio, 1914-1984 - crítica e interpretação
Cinema e literatura
Literatura - adaptações - cinema
Literatura argentina - cinema
Data de publicação: 26-Abr-2007
Referência: TABOZA, Maria Aparecida. A volta a Cortázar pelo cinema e a literatura. 2007. 113 f. Dissertação (Mestrado em Literatura)-Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Resumo: Embora independentes entre si, os capítulos desta dissertação guardam veio subterrâneo que os conduz: o interesse pela narrativa de Julio Cortázar, no tocante às inovações estéticas empreendidas pelo escritor, e as relações que se podem estabelecer a partir dela com outras mídias, no caso a fotografia e o cinema. Esta narrativa marca não apenas o pleno domínio do ofício de escritor, com a renovação do modo de narrar e da estrutura da narrativa, mas, sobretudo, estabelece uma ponte com o leitor, mais que mero espectador, cúmplice na criação literária. Narrar com os olhos, ver com as palavras. Olhar o mundo pelas palavras deriva em Cortázar a relação da sua obra com outras mídias, incorporando-as ao texto narrativo. Fusões e misturas de mídias: o escritor se acerca da fotografia no conto "As babas do diabo" (As armas secretas, 1959) para refletir sobre o processo criativo com a palavra, as limitações inerentes a esta, ao próprio olhar. Antonioni, por sua vez, se acerca deste conto em Blow up (1966) para discutir o cinema, desafiá-lo em seus limites e explorar as ambigüidades da técnica. Também o diretor argentino Manuel Antín estabeleceu vínculo profícuo com a estética cortazariana ao adaptar no filme Circe (1961) o conto homônimo do escritor. A relação de Antín com a literatura recai além do tema literário por ele abordado. Para este adepto da "câmera estilo" de Astruc, cinema e literatura são meios expressivos cujos procedimentos técnicos e estéticos desdobram-se às respectivas mídias implicadas no processo de criação. Em um movimento concriativo com a literatura, Antín esforça-se em dotar a imagem de um estatuto literário.
Abstract: Although the chapters of this dissertation are independently organized, they are connected by a deep wire which guides them: the great interest for Julio Cortázar’s narrative. Mainly in respect of the aesthetical innovations which were brought by the author, but also because of the relations that can be set between his work and other medias such as photography and cinema. This narrative doesn’t highlight the writer’s job only, however it is complete in its domain: the renovation of the narrative structure and the way of narrating. It also highlights the link that can be set between it and the reader. This narrative turns the reader into an accomplice, a partner who helps the literary creation. That way the reader takes an active part in the narrative instead of being a mere receptive spectator. Telling with the eyes, seeing with the words. The act of watching the world through words leads Cortázar to a profound relation with other medias, and consequently to the incorporation of these medias to his text. Fusions and mixtures of medias: the writer approaches photography in the short story “As babas do diabo” (As armas secretas, 1959) to reflect on the creative process with words, its inherent limitations and the sight itself. On the other hand, Antonioni, approaches that short story in Blow up (1966) to discuss cinema, challenge it in its limits and explore its technical ambiguities. The Argentinian movie director Manuel Antín has also set proficuous links with Cortázar’s esthetics in his adaptation of another short story, Circe (1961), which belongs to Cortázar as well. The relationship between Antín and literature goes further than the literary topic that he takes from the Argentinian writer. To Antín, who is an adept of the Astruc “câmera estilo”, cinema and literature are expressive ways whose technical and esthetical procedures unfold themselves when faced with the respective medias that belong to the creation process. Thus, Antín’s creation process with its literary features leads him to his main purpose: making images with literary status.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Teoria Literária e Literaturas, 2007.
Aparece nas coleções:TEL - Mestrado em Literatura (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.