Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/30737
Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
ARTIGO_SeminarioMetodoHistoriadores.pdf231,21 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Seminário e método entre historiadores que visitaram a Alemanha (1877 - 1909)
Outros títulos: Seminar and methods among historians who visited Germany (1877 - 1909)
Autor(es): Oliveira, Itamar Freitas de
Assunto: Método
Alemanha
Curso de história
Data de publicação: Ago-2017
Editora: Pós-Graduação em História, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais
Referência: OLIVEIRA, Itamar Freitas de. Seminário e método entre historiadores que visitaram a Alemanha (1877 - 1909). Varia Historia, Belo Horizonte, v. 33, n. 62, p. 491-521, maio/ago. 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000200491&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 30 jan. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0104-87752017000200009.
Resumo: Este artigo analisa os discursos de quatro historiadores visitantes da Alemanha, no período 1877-1909, que produziram relatórios de suas excursões a universidades de diferentes estados alemães: Paul Fredericq, da Bélgica, Charles Seignobos, da França, Herbert Baxter Adams, dos Estados Unidos e Ernesto Quesada, da Argentina. Nele discutimos os significados de seminário e método motivados pela literatura sobre a identidade profissional que apresenta os dois objetos como determinantes no processo de formação de uma comunidade transnacional de historiadores na passagem do século XIX para o XX. Examinadas as fontes, concluímos que o multifacetado espaço de produção dos estados germânicos, os interesses individuais, as demandas governamentais e os contextos intelectuais, em termos de ensino superior em história, desencadearam as mais diferentes representações sobre seminário, embora os autores tenham mantido um corpo mínimo de princípios e procedimentos que reforça a ideia de que uma espécie de transnacionalização ocorreu no referido período.
Abstract: This paper analyses the discourse of four historians who visited Germany from 1877 to1909 and produced reports of their tours of universities of different German states: the Belgian Paul Fredericq, the French Charles Seignobos, the North American Herbert Baxter Adams and the Argentine Ernesto Quesada. The article discusses the meanings of seminar and method motivated by the literature on professional identity that presents the two factors as determinants in the formation of a transnational community of historians in the late nineteenth and early twentieth centuries. Through the examination of sources, it concludes that the multifaceted area of production of the German states, individual interests, governmental demands and intellectual contexts, in terms of higher education in history, triggered widely different representations of seminar, although the authors maintained a minimal body of common principles and procedures which reinforces the idea that a kind of trans-nationalization occurred in that period.
Licença: Varia Historia - This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License, which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited (CC BY 4.0). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000200491&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 30 jan. 2018.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104-87752017000200009
Aparece nas coleções:HIS - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.