Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/30714
Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
ARTIGO_GeneroSexoRaca.pdf129,8 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Gênero, sexo e raça e a formação de subjetividades femininas em Cuba, século XIX
Outros títulos: Gender, sex and race and the formation of females subjectivities in Cuba, XIX century
Autor(es): Cabrera Garcia, Olga Rosa
Assunto: Cuba
Gênero
Raças
Sexo
Subjetividades femininas
Data de publicação: Abr-2017
Editora: Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina
Referência: CABRERA, Olga. Gênero, sexo e raça e a formação de subjetividades femininas em Cuba, século XIX. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 117-145, jan./abr. 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2017000100117&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 31 jan. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9584.2017v25n1p117.
Resumo: Os estudos de gênero sobre o século XIX cubano têm privilegiado as mulheres escritoras. Para a aproximação a esses discursos, existem várias teorias nos campos literários e feministas. Porém, a incidência da classe, da raça, do sexo nas relações de gênero1 e na formação das subjetividades2 femininas entre setores populares é um tema menos estudado e, sobretudo, a permanência das matrizes africanas na nova situação. Neste trabalho, busco relacionar esses conceitos com o foco nas negras e nas pardas escravas, sem abandonar a interpretação social mais abrangente. As fontes escritas sobre o assunto são fragmentadas, além das distorções sofridas pela interpretação de um terceiro: procurador de justiça, síndico de escravos, escrevente e até historiadores e editores que participaram na organização das mesmas. O estudo aborda os processos de transformação das relações de gênero e das subjetividades femininas, criando formas diferentes dentro do gênero, pela autonomia de negras e mulatas em relação às normativas masculinas brancas dominantes. Tenta-se dar uma orientação mais fluida aos conceitos com o intuito de aprofundar as transformações operadas, tanto na relação entre os sexos como entre os gêneros, assim como nos paradoxos que derivaram das mudanças sociais no século XIX cubano. Interessa conhecer o processo pelo qual as mulheres negras e pardas, ainda na marginalidade social à qual foram lançadas, já livres ou na escravidão, foram capazes de reconstruir relações sociais com um grande peso do acervo cultural africano, embora este fosse rejeitado pelas instituições dominantes: a Igreja, a família branca e o Estado.
Abstract: Studies of gender in the XIX century have privileged women writers. To approach these discourses there are several theories in the literary and feminist fields. However, this incidence of class, race, sex in gender relations and in the formation of feminine subjectivities is a theme which has been less studied. In this article I aim to relate these concepts with a focus on Black and Brown-skinned slaves, without abandoning the wider social interpretation. The written sources on this issue are fragmentary, in addition to distortions suffered by the interpretation of a third person: public prosecutor, liquidator of slaves, scribe and even historians and editors who participated in the organization of these written sources. The study presented deals with the processes of transformation of gender relations and feminine subjectivities with the unusual increase in the number of slaves in the nineteenth century Cuban.
Licença: Revista Estudos Feministas - Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons (CC BY 4.0). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2017000100117&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 31 jan. 2018.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9584.2017v25n1p117
Aparece nas coleções:HIS - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.