Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/30299
Files in This Item:
File SizeFormat 
ARTIGO_PraticasCorporaisAtividades.pdf131,54 kBAdobe PDFView/Open
Title: Práticas corporais e atividades físicas na perspectiva da Promoção da Saúde na Atenção Básica
Authors: Carvalho, Fabio Fortunato Brasil de
Nogueira, Júlia Aparecida Devidé
Assunto:: Saúde pública
Sistema Único de Saúde (Brasil)
Serviços de saúde
Issue Date: Jun-2016
Publisher: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Citation: CARVALHO, Fabio Fortunato Brasil de; NOGUEIRA, Júlia Aparecida Devidé. Práticas corporais e atividades físicas na perspectiva da Promoção da Saúde na Atenção Básica. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 6, p. 1829-1838, jun. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232016000601829&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 3 jan. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015216.07482016.
Abstract: O presente artigo busca refletir criticamente sobre o processo de institucionalização e fortalecimento das práticas corporais e atividades físicas como ações de Promoção da Saúde na Atenção Básica do Sistema Único de Saúde (SUS). Para examinar a configuração dessa forma de cuidado e eixo de ação que emerge e vem se consolidando na saúde pública brasileira, optamos por revisitar historicamente, de forma sucinta, o processo de conformação e desenvolvimento da Promoção da Saúde no SUS de modo a, na sequência, apresentar alguns dados sobre as práticas corporais e atividades físicas nesta realidade. Por fim, há a análise crítica das interações, interfaces e distanciamentos que se processam entre as práticas corporais e atividades físicas e os referenciais teóricos da Promoção da Saúde, em sua vertente crítica. Argumenta-se que parte do problema reside na produção de saberes que desconsideram os aspectos epistemológicos da relação entre práticas corporais e atividades físicas. Conclui-se que apesar do exponencial crescimento da oferta dessas ações, ainda não é possível afirmar que esta forma de cuidado possa ser caracterizada como Promoção da Saúde já que seria necessário observar alguns princípios para isso, tais como empoderamento, participação social, autonomia, equidade, integralidade, entre outros.
Licença:: Ciência & Saúde Coletiva - This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License, which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited (CC BY 4.0). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232016000601829&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 3 jan. 2018.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015216.07482016
Appears in Collections:FEF - Artigos publicados em periódicos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/30299/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.