Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/30076
Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
ARTIGO_DescricaoAnatomicaEsqueletos.pdf1,44 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Descrição anatômica de esqueletos de papagaios do gênero Amazona através da utilização de radiografias
Outros títulos: Anatomical description of Amazona gender parrot's skeletons through the use of radiography
Autor(es): Cavinatto, Carla C.
Armando, Alexandre P. R. N.
Cruz, Layla K. S.
Lima, Eduardo Maurício Mendes de
Santana, Marcelo Ismar Silva
Assunto: Ave
Papagaio - anatomia
Radiografia veterinária
Data de publicação: Fev-2016
Editora: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Referência: CAVINATTO, Carla C. et al. Descrição anatômica de esqueletos de papagaios do gênero Amazona através da utilização de radiografias. Pesquisa Veterinária Brasileira, Rio de Janeiro, v. 36, n. 2, p. 123-130, fev. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-736X2016000200123&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 12 mar. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-736X2016000200010.
Resumo: O esqueleto de papagaios da espécie Amazona aestiva foi descrito e comparado com representantes de outras espécies do gênero Amazona. Para tanto, foram utilizados 22 exemplares da espécie Amazona aestiva; dois das espécies Amazona vinacea; Amazona rhodocorythae, Amazona farinosa, além de um exemplar das espécies Amazona brasiliensis e Amazona pretrei, doados após morte natural pelo Criadouro Poços de Caldas. Foram realizadas radiografias de corpo inteiro, variando de decúbito lateral direito ou esquerdo, no caso das projeções latero-laterais, e em decúbito dorsal, no caso da projeção ventro-dorsal. Independentemente da espécie, os crânios dos papagaios estudados puderam ser classificados como pró-cinéticos, por apresentarem liberdade de movimentos em sua porção rostral. Na maioria dos casos, a coluna vertebral esteve formada por 12 vértebras cervicais, seis vértebras torácicas livres, sinsacro (formado pela fusão da última vértebra torácica, 7 lombosacrais e uma caudal), cinco vértebras caudais livres e pelo pigóstilo (formado por três vértebras caudais fusionadas) e, apesar de diferenças pontuais, o esqueleto apendicular torácico e pélvico se mostrou muito semelhante ao observado para outros gêneros de aves e, inclusive, não foi possível observar dimorfismo sexual através das características anatômicas dos esqueletos dos papagaios trabalhados.
Abstract: This study describes the skeleton of Amazona aestiva parrots and compared it with representatives of other Amazona species. To this end, we used 22 specimens of Amazona aestiva, two specimens each of Amazona vinacea; Amazona rhodocorythae, Amazona farinosa and one specimen each of Amazona brasiliensis and Amazona pretrei donated after natural death by Poços de Caldas Breeding Park. Full body radiographs were taken, in either the right or left lateral decubitus position, in the case of laterolateral projections, and in supine position, in the case of ventrodorsal projection. Regardless of the species, skulls of the parrots were classified as prokinetic, because of free movements in their rostral portion. In most cases, the spine consisted of: 12 cervical vertebrae, six free thoracic vertebrae, synsacrum (formed by the fusion of the last thoracic vertebrae, 7 lumbosacral vertebrae and one caudal vertebrae), five free caudal vertebrae and the pygostyle (formed by three fused caudal vertebrae). Despite punctual differences, thoracic and pelvic appendicular skeleton proved to be very similar to that observed for other genera of birds. In addition, there was no sexual dimorphism considering the anatomical characteristics of the skeletons of parrots analyzed.
Licença: Pesquisa Veterinária Brasileira - This is an open-access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License (CC BY NC 4.0). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-736X2016000200123&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 12 mar. 2018.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-736X2016000200010
Aparece nas coleções:FAV - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.