Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/28667
Files in This Item:
File SizeFormat 
v89n4a05.pdf476,39 kBAdobe PDFView/Open
Title: Impacto do aleitamento materno no coeficiente de inteligência de crianças de oito anos de idade
Impact of breastfeeding on the intelligence quotient of eight-year-old children
Authors: Fonseca, Ana L. M.
Albernaz, Elaine P.
Kaufmann, Cristina C.
Neves, Ivana H.
Figueiredo, Vera L. M. de
Assunto:: Crianças
Aleitamento materno
Inteligência
Desenvolvimento
Issue Date: 2013
Publisher: Sociedade Brasileira de Pediatria
Citation: J. Pediatr. (Rio J.),v.89,n.4,p.346-353,2013
Abstract: OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi determinar a influência do aleitamento materno na capacidade intelectual de crianças pertencentes a uma coorte de um país em desenvolvimento, controlando para os principais fatores de confusão. MÉTODOS: Foi realizado um estudo de coorte prospectiva com todos os recém-nascidos nos hospitais de uma cidade de porte médio e acompanhou-se uma amostra aleatória destes aos 30, 90 e 180 dias de vida e aos 8 anos. No acompanhamento foram avaliados diversos aspectos da amamentação e, aos 8 anos, foi realizada avaliação da capacidade intelectual geral aplicando-se o Teste de Raven. As análises estatísticas utilizaram Teste T, ANOVA e regressão linear e logística, considerando como associações estatisticamente significativas aquelas cujo valor de p foi inferior a 0,05. RESULTADOS: Aos 8 anos 560 crianças participaram da avaliação com o Teste de Raven. A média da pontuação das crianças no teste foi de 22,56 pontos com desvio padrão de 5,93. A diferença de médias entre os grupos em aleitamento materno ou não, aos seis meses, foi de 1,33 (p = 0,008). Permaneceram associadas ao desfecho, após regressão linear e logística, a cor materna e da criança, classe socioeconômica, escolaridade e tabagismo maternos e o aleitamento materno aos 6 meses de idade (p = 0,007). CONCLUSÕES: As crianças que mamaram por seis meses ou mais tiveram melhor desempenho na avaliação intelectual geral, mesmo após ajuste para os principais fatores de confundimento.
OBJECTIVE: This study aimed to determine the influence of breastfeeding on the intellectual capacity of children from a cohort in a developing country, with a control for the main confounding factors. METHODS: A prospective cohort study was performed including all infants born in the hospitals of a medium-size city, and a random sample of these newborns was monitored at 30, 90, and 180 days of life, and at age 8 years. Several aspects of breastfeeding were assessed in the follow-up and, at 8 years, general intellectual capacity was assessed through the Raven's Colored Progressive Matrices test. The statistical analyses used Student's t-test, ANOVA, and linear regression and logistics, considering p-values less than 0.05 as statistically significant associations. RESULTS: At age 8 years, 560 children were assessed with Raven's Colored Progressive Matrices test. The average score was 22.56 points, with a standard deviation of 5.93. The difference in the averages found between the breastfed and non-breastfed groups at six months of age was 1.33 (p = 0.008). Mother's and child's skin color, social and economic class, maternal education and smoking, and breastfeeding at six months of age (p = 0.007) were still associated with the outcome. CONCLUSIONS: Children that were breastfed for six months or more had better performance in the general intellectual assessment, even after adjusting for the main confounding factors.
DOI: https://dx.doi.org/10.1016/j.jped.2012.12.010
Appears in Collections:Uso interno - em processamento

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/28667/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.