RIUnB >
IP - Instituto de Psicologia >
IP - Programa de Pós-Graduação >
IP - Doutorado em Psicologia (Teses) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10482/2865

Files in This Item:

File Description SizeFormat
2007Tese_SergioFernandesSennaPires.pdf2,01 MBAdobe PDFView/Open

Title: Protagonismo infantil e a promoção da cultura de paz : um estudo sociocultural construtivista
Authors: Pires, Sergio Fernandes Senna
Advisor: Branco, Angela Maria Cristina Uchôa de Abreu
Keywords: Psicologia infantil
Educação de crianças
Crianças - desenvolvimento
Issue Date: 22-Dec-2009
Submit Date: 2007
Citation: PIRES, Sérgio Fernandes Senna. Protagonismo infantil e promoção da cultura de paz: um estudo sociocultural construtivista. 2007. 260 f. Tese (Doutorado em Psicologia)-Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Abstract: Esta pesquisa orientou-se no sentido de investigar como crianças da 4ª série do Ensino Fundamental de uma instituição pública, os seus professores e a equipe técnicoadministrativa concebem, promovem e vivenciam a participação (ou protagonismo) infantil no contexto escolar. No caso das crianças, a questão foi investigada através da análise de uma seqüência de atividades planejadas para levá-las a co-construir procedimentos educativos-culturais para a promoção da paz na escola, coerentes com a construção de uma cultura de paz e orientadas à transformação social. Para tanto, foi realizada uma revisão da literatura, sobre a construção histórico-cultural da infância, os últimos estudos acerca do protagonismo infantil, promoção da paz e dos elementos conceituais centrais da abordagem sociocultural construtivista. A estratégia metodológica se baseou na realização de oito sessões semi-estruturadas, em ambiente escolar, com 16 sujeitos crianças e 11 sujeitos adultos, alunos e profissionais da escola, respectivamente. Os procedimentos da pesquisa foram realizados com o objetivo de possibilitar a mais livre expressão de crianças e adultos sobre o protagonismo infantil, seus pontos de vista, valores, desilusões e conquistas. As atividades procuram possibilitar o exercício desse protagonismo por parte das crianças durante o processo de pesquisa no diagnóstico dos seus problemas mais imediatos em relação à violência e ao que poderiam propor, negociar e executar, no processo de solução dessas questões. A tarefa de elaborar uma campanha para a promoção da paz na escola consistiu em oportunidade para verificar a emergência de concepções de paz e de infância por parte das crianças. Foram, também, utilizados, ao longo do trabalho empírico, procedimentos como a elaboração de um trabalho fotográfico pelas crianças e a realização de entrevistas com sujeitos adultos e crianças. A análise dos dados construídos se deu no sentido de avançar na compreensão dos processos de construção coletiva de espaços de expressão infantil e da influência de concepções de infância e de paz na internalização de orientações para crenças e valores que favoreçam o fortalecimento da existência de um papel ativo e protagônico por parte das crianças para a construção de uma cultura de paz. A discussão versa sobre as influências que as concepções de infância afirmativas da capacidade infantil podem operar no ambiente escolar e sobre os aspectos teóricos da dissociação entre o desejo de aplicar os princípios pedagógicos coerentes com uma visão sistêmica do desenvolvimento humano e a prática efetivamente conduzida nas escolas. Conclui-se sobre os aspectos referentes às concepções de infância e os seus desdobramentos na regulação das culturas coletiva escolar e pessoais de adultos e crianças, destacando-se a importância da existência de um espaço de expressão infantil, formalmente estabelecido pela escola para a capacitação das crianças na proposição, negociação, execução e gestão de suas propostas. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This research aimed at investigating the topic of children’s active participation of decision processes (children protagonism) within the context of a public Elementary School. Children from a 4th-grade class were selected, as well as teachers, and the professional-administrative staff of the school. The major goal consisted of identifying and analyzing the way the participants conceptualize, promote, and experience children’s active participation within the school context. Children’s ideas and beliefs were investigated throughout eight consecutive sessions, where they were invited to co-construct cultural-educational procedures conducive to social changes, and to the promotion of a culture of peace in their school. The research comprises a literature review about the cultural-historical construction of the concept of childhood, childhood participation (protagonism), peace construction, and theoretical elaborations concerning a constructivist sociocultural approach. The methodological procedures here adopted included eight semistructured videotaped sessions within the classroom environment with 16 children. We also interviewed, within the context of one focal group session, 11 adults, namely, teachers and staff members. The research method aimed at easing the interactions so the participants could better express their own ideas about the subject under investigation, their values, deceptions, and their accomplishments. The planned activities aimed, as well, at promoting the sort of active participation we were investigating in the research. We addressed topics such as violence, and different ways to propose, negotiate and develop a campaign to promote peace within the school context. As they worked along the sessions on this subject, it was possible to verify children’s conceptualizations about peace and childhood. Along the empirical study other procedures were employed, such as photography, focal group sessions, and individual interviews (with children and with adults). The analysis of the constructed data allowed for understanding the collective construction of social spaces for children to express themselves about their concepts of childhood, peace, as well as their internalized values and beliefs related to a possible active role in constructing a culture of peace. The discussion addresses the influences that conceptualizations, related to childhood as an empowered condition, may have on school contexts. It also discusses about the dissociation we frequently observe between the willingness to apply educational principles compatible with a systemic view of human development, and the reality of educational practices actually carried out within school contexts. We conclude that conceptualizations about childhood do have an impact over the ways the collective culture regulates children’s and adults’ lives. It is particularly noteworthy, in the context of the investigated school, the existence of a space for the expression and negotiation of ideas, which is formally established and used by the adults to enable the children to suggest, negotiate, develop, and manage their own proposals.
Additional Information: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2007.
Appears in Collections:IP - Doutorado em Psicologia (Teses)

Items in Repository are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Site Creative Commons Site Oaister Sítio IBICT Universidade de Brasília
About Repository  |  FAQ  |  Statistics |  Authorization Term
Copyright © 2008 MIT & HP. All rights reserved.