Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/27676
Files in This Item:
File SizeFormat 
ARTIGO_VontadeGeralDecisao.pdf143,47 kBAdobe PDFView/Open
Title: Vontade geral e decisão coletiva em Rousseau
General will and collective decision in Rousseau
Authors: Reis, Cláudio Araújo
Assunto:: Rousseau, Jean-Jacques, 1712-1778
Democracia
Decisão coletiva
Vontade geral
Issue Date: 2010
Publisher: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Citation: REIS, Cláudio Araújo. Vontade geral e decisão coletiva em Rousseau. Trans/Form/Ação, Marília, v. 33, n. 2, p. 11-34, 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-31732010000200003&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 14 set. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31732010000200003.
Abstract: Nos termos rousseaunianos, a questão fundamental sobre o que devemos fazer coletivamente (ou seja, o problema da decisão coletiva) se traduz como a questão sobre como podemos conhecer a vontade geral. Só podemos responder adequadamente a essa questão, porém, se prestarmos atenção a uma duplicidade importante no conceito de vontade geral. Rousseau usa a mesma expressão para se referir a duas coisas diferentes: às próprias decisões coletivas, consubstanciadas nas leis (a vg-decisão), e ao padrão do bem comum, em certo sentido anterior e independente das decisões coletivas, servindo como referência para elas (a vg-padrão). A questão genérica sobre como podemos vir a conhecer a vontade geral, portanto, deve ser desdobrada em duas: Como podemos vir a conhecer a vg-decisão? e Como podemos vir a conhecer a vg-padrão? Este artigo pretende identificar os elementos centrais da resposta de Rousseau a essas duas questões, elementos esses que permitem discutir sobre o sentido da concepção rousseauniana de democracia.
Abstract: In rousseauian terms, the fundamental question about what we should collectively do (i.e., the problem of collective decision-making) translates itself as the question about how we could know what the general will is. This question, however, can only be adequately answered if we consider that "general will" has a double meaning. Rousseau uses the same expression to refer to two quite different things: to the collective decisions themselves consubstantiated in the law ("gw-as a decision") and to the common good as a pattern which, in a way, exists before and independently of the decisions, functioning as a reference to the decision-making procedure ("gw-as a pattern"). The general question about how could we know what the general will is, then, should be split into two: How can we get to know the gw-as a decision? and How can we get to know the gw-as a pattern? This article intends to identify the central elements of Rousseau's answer to this two questions, which throw an interesting light on the rousseauian conception of democracy.
Licença:: Trans/Form/Ação - Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons (CC BY-NC 4.0). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-31732010000200003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 14 set. 2018.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31732010000200003
Appears in Collections:FIL - Artigos publicados em periódicos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/27676/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.