Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/2686
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2008_IgorSantosLima.pdf481,28 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: O gesto literário em três atos : a narrativa de Sérgio Sant'Anna
Autor(es): Graciano, Igor Ximenes
Orientador(es): Dalcastagnè, Regina
Assunto: Sant'Anna, Sérgio, 1941-
Literatura brasileira
Data de publicação: 12-Dez-2009
Referência: GRACIANO, Igor Ximenes. O gesto literário em três atos: a narrativa de Sérgio Sant'Anna. 2008. 112p. Dissertação (Mestrado em Literatura)-Departamento de Teoria Literária e Literaturas, Universidade de Brasília, Brasília, 2008.
Resumo: As narrativas de Sérgio Sant’Anna caracterizam-se, nos termos de Hayden White, pela consciência autoreflexiva, na medida em que estão invariavelmente voltadas para seus próprios mecanismos de representação do mundo e dos outros. Sendo assim, o gesto literário – a exposição, no texto ficcional, das dificuldades e implicações da escrita inventiva –, surge como tema central na obra do escritor carioca. A fim de analisar esse aspecto em sua produção literária, dividiu-se o trabalho em três capítulos, cada um com três aspectos do gesto literário em Sant’Anna. No primeiro, há uma discussão sobre os limites desse gesto, sua insuficiência, seja como expressão dos anseios de uma geração, seja como prática aquém de outras modalidades artísticas, em especial as artes plásticas. Em seguida, o foco recai sobre as narrativas em que o resultado do gesto literário aparece como farsa. Diferentemente da discussão do primeiro capítulo, em que se narra a insuficiência da expressão literária, o questionamento principal agora está na legitimidade dessa expressão, uma vez que as narrativas são concebidas como puro artefato, onde as personagens não passam de máscaras forjadas pela voz autoral. Por último, a leitura se volta para as obras em que se especula sobre o quanto o discurso ficcional extrapola o espaço da literatura, revelando as relações dos indivíduos no “mundo real”. Nessas obras, é patente a tentativa do narrador de aproximar o leitor para sua perspectiva, quando a narrativa assemelha-se a um jogo em que o prêmio é a cumplicidade entre um e outro. Com isso, sugere-se uma via de mão-dupla entre vida e imaginário, de modo que um constitui e é constituído pelo outro, vice-versa. Como afirma Carlos Santeiro, personagem de Um romance de geração, trata-se das “possibilidades possíveis” do texto para além do texto, já que o acordo entre autor e leitor carrega muito dos pressupostos das diversas instâncias discursivas, ficcionais ou não. ______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Sérgio Sant’Anna’s narratives can be characterized by the concept of self-reflexive conscience, as it was developed by Hayden White, for they invariably tend towards their own mechanisms of representing the world and “the other”. Therefore, the literary gesture – the disclosure in the fictional text of the difficulties and consequences of creative writing – becomes a central theme in Sant’Anna’s work. In order to analyze this aspect in his literary corpus, this thesis was divided in three chapters, each one focusing in one aspect of Sant’Anna’s literary gesture. The first chapter deals with the limits, or the insufficiency, imposed by this gesture, whether as an expression of a generation’s anxieties or as a practice that is incomplete in relation to other arts, in particular the plastic arts. The second chapter focuses on the narratives in which the result of the literary gesture presents itself as a farce. In contrast with the first chapter’s discussion, which deals with the insufficiency of literary expression, the main questioning here is the legitimacy of that expression, since the narratives are conceived as pure artifact, in which the characters are only faked masks of the authorial voice. Finally, the third chapter is centered on works that serve as the starting point in which to speculate about how far the fictional discourse goes beyond the literary sphere, revealing the relations between individuals in the “real world”. In those works, it is apparent that the narrator is trying to bring the reader closer to his own perspective, at which time the narrative resembles a game in which the prize is the complicity between narrator and reader. Hence, it is suggested a two-way street in which life constitutes and is constituted by the imaginary, and vice-versa. In the words of Carlos Santeiro, a character in Um romance de geração, it is all about the “possible possibilities” of the text and beyond the text itself, since the agreement between author and reader takes in the presuppositions of many discursive instances, whether they are fictional or not.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Teoria Literária e Literaturas, 2008.
Aparece nas coleções:TEL - Mestrado em Literatura (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.