Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/26260
Files in This Item:
File SizeFormat 
n23a11.pdf68,03 kBAdobe PDFView/Open
Title: O que significa ter uma criança com deficiência mental na família?
What does it mean to have a mentally retarded child in the family?
Authors: Silva, Nara Liana Pereira
Dessen, Maria Auxiliadora
Assunto:: deficiência mental
crianças pré-escolares
família
relações familiares
mental retardation
preschool children
family
family relations
Issue Date: 2004
Publisher: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná
Citation: Educ. rev.,v.,n.23,p.161-183,2004
Abstract: A família desempenha um papel preponderante no processo de inserção e adaptação da criança deficiente mental no contexto sociocultural. A literatura tem mostrado similaridades e diferenças não só quanto aos modos como as famílias se relacionam com sua criança com deficiência mental, mas também quando comparadas com famílias de crianças com desenvolvimento típico. Este artigo tem como objetivo descrever alguns aspectos do funcionamento de famílias de crianças com deficiência mental, comparando-os àqueles de famílias de crianças com desenvolvimento típico. Ênfase é dada às relações entre os diferentes subsistemas familiares: marido-esposa, genitores-criança e irmão-irmão, e suas implicações para o desenvolvimento infantil. Conhecer a dinâmica das relações de famílias de crianças com deficiência mental constitui o primeiro passo para a compreensão do desenvolvimento e dos mecanismos de adaptação dessas famílias às suas crianças. Mas, para compreender o funcionamento dessas famílias, é preciso levar em consideração as descobertas recentes da genética comportamental.
The family plays an important role in the adaptation process of children with mental retardation in the socio-cultural context. Literature has showed us similarities and differences not only in the way that families have been interacting with their mentally retarded child, but also between them and families of typically developing children. So, this article aims to describe some aspects of the family functioning of children with mental retardation comparing them to those from families of children with a typical development. We emphasize the relationships developed in different family subsystems, i.e. husband-wife, parents-child, and child-sibling. In order to understand the family development and adaptation process of children with mental retardation, we need, firstly, to know how these families function. However, to understand the family functioning we need to take into account what we know about behavioural genetics nowadays.
DOI: https://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.337
Appears in Collections:Uso interno - em processamento

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/26260/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.