Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/25872
Files in This Item:
File SizeFormat 
a07v25n3.pdf913,28 kBAdobe PDFView/Open
Title: Biologia reprodutiva de Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae, Caesalpinioideae)
Reproductive biology of Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae, Caesalpinioideae
Biologia reprodutiva de Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae, Caesalpinioideae
Authors: FREITAS, CRISTIANE V.
OLIVEIRA, PAULO E.
Assunto:: Cerrado
savanna
bee pollination
self-sterility
inbreeding depression
Issue Date: 2002
Publisher: Sociedade Botânica de São Paulo
Citation: Rev. bras. Bot.,v.25,n.3,p.311-321,2002
Abstract: A survey on the phenology and reproductive biology of Copaifera langsdorffii Desf. was carried out in a cerradão area at Fazenda Capim Branco, Uberlândia, MG. Flowering occurs during the rain season and seed dispersal during the dry season. Flowers are pale-green, 0.5 cm in diameter, weakly zigomorphic and organized in paniculate inflorescences. They are highly odoriferous, one-day flowers. Anthesis begins at about 5:00 h. The nectar production is very small (0.2 ml) with 49% of sucrose equivalents. The most frequent flower visitors and pollinators were Apis mellifera, Scaptotrigona cf. depiles and Trigona spinipes bees. Controlled hand-pollinations showed that the species is mostly self-sterile and non-apomictic. However, pollen tubes were observed growing down to the ovary and penetrating the ovules in self-pollinated pistils, a fact which suggests late-acting self-sterility phenomena or inbreeding depression. Fruit-set was always low and related to low flower to fruit conversion, may be due to inefficient pollination and fruit predation.
Copaifera langsdorffii Desf. é uma espécie da família Leguminosae, subfamília Caesalpinioideae, de ampla distribuição no Brasil. O estudo da biologia reprodutiva desta espécie foi realizado numa área de cerradão aberto para pastagem da Fazenda Capim Branco, Uberlândia, MG. A espécie floresce durante o período das chuvas e dispersa suas sementes na época seca. As flores são branco-esverdeadas, com cerca de 0,5 cm de diâmetro, fracamente zigomorfas e estão reunidas em inflorescência paniculada. Apresentam um forte odor adocicado e duram apenas um dia. A antese inicia-se por volta das 5:00 h. Os recursos oferecidos aos visitantes são pólen e néctar. Produzem pouco néctar (0,2 ml) com concentração média de 49% de equivalentes de sacarose. Os visitantes mais freqüentes foram as abelhas Apis mellifera, Scaptotrigona cf. depiles e Trigona spinipes. Os resultados das polinizações manuais e o índice de incompatibilidade (ISI) indicam que a espécie é auto-incompatível e não apomítica. No entanto, foram observados tubos polínicos crescendo até o ovário e penetrando os óvulos em flores autopolinizadas, sugerindo a ocorrência de fenômenos de auto-esterilidade de ação tardia ou depressão endogâmica. A baixa produção de frutos está relacionada à pequena conversão de flores em frutos e também à predação dos frutos.
DOI: https://dx.doi.org/10.1590/S0100-84042002000300007
Appears in Collections:Uso interno - em processamento

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/25872/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.