Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/25619
Files in This Item:
File SizeFormat 
2955.pdf42,27 kBAdobe PDFView/Open
Title: Fatores sócio-econômicos e atitudes em relação à prevenção domiciliar da leishmaniose tegumentar americana, em uma área endêmica do sul da Bahia, Brasil
Socioeconomic factors and attitudes towards household prevention of American cutaneous leishmaniasis in an endemic area in southern Bahia, Brazil
Authors: Santos, João Barberino
Lauand, Leonardo
Souza, Gustavo Santos de
Macêdo, Vanize de Oliveira
Assunto:: Cutaneous Leishmaniasis
Mosquito Control
Socioeconomic Factors
Attitude
Leishmaniose Cutânea
Controle de Mosquitos
Fatores Sócio-econômicos
Atitude
Issue Date: 2000
Publisher: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Citation: Cad. Saúde Pública,v.16,n.3,p.701-708,2000
Abstract: A survey was conducted to identify socioeconomic conditions and attitudes towards household prevention of American cutaneous leishmaniasis in Corte de Pedra, located in the county of Tancredo Neves, an endemic region in southern Bahia, Brazil. A questionnaire was applied in July 1997, focusing on social and economic variables, habits, and attitudes towards prevention of arthropod bites. All families (100%) living in the study area were surveyed, comprising 168 households with 851 individuals. Approximately 66.7% of the families earned up to one minimum wage, supporting an average of 5.1 residents per household. Most (57.2%) of the families did not use any type of protection against bites. Fumigation by burning various types of materials was the most customary form of prevention. Individual protection measures were rarely used. Since there was evidence of household and peridomiciliary transmission in the study area, use of impregnated bed nets is an alternative for intradomiciliary protection.
Foi realizado um inquérito visando identificar condições sócio-econômicas e atitudes de uma população em relação à prevenção domiciliar da LTA, na localidade de Corte de Pedra, Município de Tancredo Neves, área endêmica do sul da Bahia, Brasil. O questionário foi aplicado em julho de 1997, com perguntas sobre aspectos sociais e econômicos, hábitos e atitudes da população em relação à prevenção contra a picada de artrópodos. Foram entrevistadas 100% das famílias habitantes da área selecionada, distribuídas em 168 moradias, correspondendo a 851 pessoas. Cerca de 66,7% das famílias percebem um ou menos de um salário mínimo mensal para o sustento de uma média de 5,1 moradores por residência. A maioria das famílias (57,2%) não usa qualquer tipo de proteção. O meio de prevenção mais comum é a fumegação pela incineração de diversos tipos de materiais. As medidas de proteção individual são raramente usadas. Uma vez que na área de estudo têm sido relatadas evidências de transmissão intra e peridomiciliar de LTA, o uso de mosquiteiros impregnados com inseticida seria uma alternativa à proteção intradomiciliar.
DOI: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2000000300018
Appears in Collections:Uso interno - em processamento

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/25619/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.