Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/25327
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_PaulaFerreiraDiasChavesFarias.pdf4,21 MBAdobe PDFView/Open
Title: Influência da via de nascimento sobre o desenvolvimento motor nos primeiros quatro meses de vida
Authors: Farias, Paula Ferreira Dias Chaves
Orientador(es):: Toledo, Aline Martins de
Coorientador(es):: Moraes, Marcus Vinicius Marques de
Assunto:: Parto (Obstetrícia)
Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento motor
Cesariana
Issue Date: 1-Dec-2017
Citation: FARIAS, Paula Ferreira Dias Chaves. Influência da via de nascimento sobre o desenvolvimento motor nos primeiros quatro meses de vida. 2017. 75 f., il. Dissertação (Mestrado em Educação Física)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Abstract: INTRODUÇÃO: O crescente aumento nas taxas de cesáreas, observado no Brasil a partir da década de 1970, se tornou motivo destaque de discussão tanto entre os especialistas quanto entre pessoas preocupadas com os aspectos psicosocioantropométricos desse fenômeno. A indicação das cesarianas desnecessárias vem aumentando exponencialmente e o Brasil ganha destaque juntamente com a China por compreenderem quase 50% da taxa mundial das cesáreas eletivas. Ao pensarmos no parto como via de nascimento de um bebê, é possível relacioná-lo com implicações que essa via possa trazer para o lactente. A literatura aponta que bebês nascidos de cesárea apresentam maiores riscos de internação em Unidade de Terapia intensiva, além de 20% maior chance de desenvolver asma e diabetes tipo 1 na infância e adolescência, bem como complicações de natureza alérgica e relacionadas à obesidade. Há também estudos que relacionam o uso da anestesia nos parto natural e na cesárea a possíveis implicações no desenvolvimento motor infantil. Como o desenvolvimento motor ocorre de forma dinâmica e manifesta a integridade e funcionalidade do sistema nervoso central, ele sofre influência tanto de estímulos internos quanto de fatores ambientais, os quais podem aumentar a probabilidade de déficits no desenvolvimento neuropsicomotor na infância. Embora existam estudos que abordem as vias de nascimento e os relacionem com o desenvolvimento motor, pode-se observar que não há um consenso quanto aos seus efeitos no desenvolvimento infantil. Assim, o presente estudo teve como objetivo verificar a influência da via de nascimento sobre o desenvolvimento motor de lactentes a termo nos primeiros quatro meses de vida. MÉTODOS: O presente estudo teve uma amostra por conveniência e se constituiu por 109 lactentes a termo de ambos os sexos, nascidos de parto vaginal ou de cesárea. As variáveis analisadas foram a preensão palmar por meio do MFLEX, o desenvolvimento motor por meio da Alberta Infant Motor Scale (AIMS) e o controle postural por meio Test of Infant Motor Performance (TIMP). Os dados foram analisados por meio do software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 22, adotando significância o valor de p < 0,05. Foi realizado o teste de normalidade dos dados Shapiro Wilk para as variáveis numéricas e, pela ausência de normalidade em algumas variáveis, optou-se por realizar testes não paramétricos para todas as variáveis. Desta forma, foi realizado o teste não paramétrico Mann Whitney para todas as variáveis numéricas referentes ao MFLEX, à AIMS e ao TIMP. Uma correlação de Pearson foi realizada para verificar a relação da variável idade com as variáveis do MFLEX, média da força máxima de preensão palmar da mão direita e da mão esquerda, e também com as variáveis média do tempo de preensão palmar da mão direita e da mão esquerda. Foi realizado o Odds Ratio para variáveis TIMP e AIMS com objetivo de identificar a razão de chances de atraso no desenvolvimento motor de acordo com a via de nascimento. RESULTADOS: Não houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos nas variáveis avaliadas. O desenvolvimento motor grosso evoluiu de forma típica em ambos os grupos. A via de nascimento não demostrou ser um risco para sugestão de atraso no desenvolvimento motor. CONCLUSÃO: A via de nascimento não influencia negativamente o desenvolvimento motor de lactentes a termo nos quatro primeiros meses de vida nos quesitos comportamento de preensão palmar, desenvolvimento motor grosso e controle postural. Os lactentes de baixo risco, nascidos de parto vaginal ou de cesárea, apresentam um desenvolvimento motor típico. A minimização dos fatores de risco associado aos cuidados dos responsáveis e as demandas da tarefa parecem ser suficientes para proporcionar um desenvolvimento motor típico.
Abstract: INTRODUCTION: The growing rise in Cesarean section rates, observed in Brazil from the Decade of 1970, became so much discussion highlighting among experts and people concerned about the psychosocioanthropometrics aspects of this phenomenon. The indication of the unnecessary Caesareans is increasing exponentially and Brazil wins featured along with China understand 50% of world rate almost of elective cesarean section. Thinking about of childbirth as the way of birth of a baby, it is possible to relate it to implications that this route may bring to the infant. The literature indicates that babies born to cesarean section have a greater risk of hospitalization in an intensive care unit, in addition to a 20% greater chance of developing asthma and type 1 diabetes in childhood and adolescence, as well as complications like of an allergic and obesity. There are also studies that relate the use of anesthesia in natural childbirth and cesarean section to possible implications in infant motor development. The motor development occurs dynamically and expresses the integrity and functionality of the central nervous system. He suffers from both internal stimuli influence of environmental factors which may increase the likelihood of neuropsychomotor development deficits in childhood. Although there are studies that address the process of birth and those related to the development engine, it can be observed that there is no consensus on its effects on child development. Thus, the present study aimed to verify the influence of the delivery route on the motor development of the full term infants in the first four months of life. METHODS: The present study had one sample per convenience and is formed by 109 full term infants of both sexes, born of vaginal delivery or caesarean. The variables analyzed were the palmar grasp through M-FLEX, motor development through the Alberta Infant Motor Scale (AIMS) and the postural control through Test of Infant Motor Performance (TIMP). Data were analyzed using the software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) version 22, adopting the significance value of p < 0.05. The data normality test Shapiro Wilk for numeric variables and by the absence of normality in some variables, we decided to use no parametric tests for all variables. In this way the non-parametric Mann Whitney test for all numeric variables relating to M-FLEX, AIMS and TIMP. A Pearson’s correlation was performed to verify the relationship of the age with M-FLEX variables maximum force average of palmar grasp of the right hand and left hand and also with the palmar grasp time average of the right hand and the left hand. The Odds Ratio for variables TIMP and AIMS to identify the odds ratio of motor development delay according to the delivery route. RESULTS: There was no statistically significant difference between the groups in the variables evaluated. The gross motor development has evolved from typical form in both groups. The delivery route not demonstrated to be a suggestion to risk for delay in the motor development. CONCLUSION: The delivery route has no negative in the motor development of full term infants during the first four months of life in palmar grasping, motor development and postural control. The low risk infants by vaginal delivery or caesarean feature an associated with the care of leaders and the demands of the task appear to be sufficient to provide a typical motor development.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, 2017.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FEF - Mestrado em Educação Física (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/25327/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.