Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/25319
Título: Limites e possibilidades da preparação para o trabalho no ensino médio : o caso do Distrito Federal
Autor(es): Feres, Marcelo Machado
Orientador(es): Kipnis, Bernardo
Assunto: Ensino médio
Trabalho - aspectos sociais
Escolas públicas - Distrito Federal (Brasil)
Data de publicação: 1-Dez-2017
Data de defesa: 11-Ago-2017
Referência: FERES, Marcelo Machado. Limites e possibilidades da preparação para o trabalho no ensino médio: o caso do Distrito Federal. 2017. 232 f., il. Tese (Doutorado em Educação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: O estudo investiga a relação entre educação e trabalho no ensino médio e busca identificar limites e possibilidades para que o ensino médio se torne mais vocacional, atendendo às necessidades dos estudantes. São analisados alguns aspectos teóricos e históricos que afastam e aproximam o tema trabalho do ensino médio. A pesquisa de campo teve caráter exploratório e foi desenvolvida em quatro escolas públicas de ensino médio regular do Distrito Federal. A coleta de dados foi realizada por meio de pesquisa qualitativa envolvendo onze gestores e docentes, e de pesquisa quantitativa com 234 estudantes do ensino médio regular. Os resultados demonstram que: (1) os currículos são fortemente voltados para a preparação dos estudantes para o acesso ao ensino superior; (2) a comunidade escolar está ciente de que a minoria dos estudantes ingressa no ensino superior e que muitas vezes a falta de preparação para o trabalho pode contribuir para o subemprego dos egressos; (3) a cultura escolar reproduz, predominantemente, um modelo tradicional de ensino e diferencia o trabalho intelectual e manual, associando ao ensino superior o caminho para o acesso ao trabalho intelectual, detentor de prestígio social, em detrimento da preparação para o trabalho no nível médio, associado ao trabalho manual; (4) a cultural educacional do país, as dimensões política e ideológica do sistema educacional, a formação dos docentes e o modelo de funcionamento da escola dificultam a inovação no processo de ensino; (5) a organização do trabalho escolar não inclui a análise de indicadores educacionais com fins pedagógicos e há pouco diálogo com outras instituições, especialmente do setor produtivo; e (6) a dimensão do trabalho não é incluída nos currículos como atribuição do ensino médio. Ao tempo que a nova Reforma educacional torna o ensino médio mais flexível, surge uma nova oportunidade para se avaliar em que medida é possível que o ensino médio se torne mais vocacional, incorporando o trabalho como um princípio educativo.
Abstract: The study investigates the relationship between education and work in high school and seeks to identify limits and possibilities for secondary education to become more vocational, meeting the needs of students. It analyzes some theoretical and historical aspects that distance and approach the subject of work and secondary education. The research was exploratory and was developed in four public high schools of Federal District. Data collection was carried out through qualitative research involving eleven school managers and teachers, and quantitative research with 234 regular high school students. The results of the research show that: (1) curricula are strongly focused on preparing students for access to higher education; (2) the school community is aware that the minority of students are entering higher education and that often the lack of preparation for work can contribute to the underemployment; (3) school culture predominantly reproduces a traditional model of teaching and differentiates intellectual and manual work, associating higher education with the path to access to intellectual work, with social prestige, to the detriment of the preparation for work at the secondary level, associated to manual work; (4) the educational culture of the country, the political and ideological dimensions of the educational system, the training of teachers and the functioning model of the school hinder innovation in the teaching process; (5) the organization of school work does not include the analysis of educational indicators for pedagogical purposes and there is little dialogue with other institutions, especially with the productive sector; and (6) the work is not included in the curricula as a high school assignment. While the new educational reform makes middle school more flexible, a new opportunity arises to evaluate the extent to which it is possible for secondary education to become more vocational, incorporating work as an educational principle.
Informações adicionais: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2017.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FE - Doutorado em Educação (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_MarceloMachadoFeres.pdf13,83 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.