Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/25245
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_LíviaCamposeSilva.pdf1,23 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorChatelard, Daniela Scheinkman-
dc.contributor.authorSilva, Lívia Campos e-
dc.date.accessioned2017-11-21T20:00:50Z-
dc.date.available2017-11-21T20:00:50Z-
dc.date.issued2017-11-21-
dc.date.submitted2017-08-04-
dc.identifier.citationSILVA, Lívia Campos e. O estatuto do Outro no pensamento de Jacques Lacan. 2017. 130 f., il. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/25245-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2017.pt_BR
dc.description.abstractEste trabalho faz uma investigação sobre o estatuto do conceito de Outro no pensamento de Jacques Lacan. Partimos da ideia de que a influência estruturalista no ensino lacaniano, a partir da década de 50, – da qual resulta uma leitura específica a respeito da linguagem enquanto a ordem de determinação do mundo humano – unida à necessidade de levar à frente uma teoria da constituição do sujeito é o que motiva o surgimento da categoria de Outro. Em 1955, Lacan introduz o conceito, definindo-o como um lugar, precisamente como um lugar simbólico. Esta maneira de se referir ao Outro adquire constância, sobretudo, no final dos anos 50, após a subversão da linguística. Nos marcos do contexto que demarca a articulação entre sujeito e Outro, destacamos duas teses que delimitam o problema central da pesquisa: (i) o sujeito está em dependência em relação ao Outro, e (ii) o Outro é incompleto ou, ainda, inconsistente. O Outro é apresentado sob um duplo aspecto: se, por um lado, é uma estrutura absolutamente necessária para a constituição do sujeito, por outro, sua importância é devedora da característica de ser uma estrutura faltosa. Nessa dissertação, nos concentraremos na tarefa examinar o que pode querer dizer esta duplicidade. Especificamente, trataremos de dar um encaminhamento à questão de saber sobre o significado e implicações da tese geral de que o sujeito é determinado pelo Outro de maneira não absoluta. Dividimos o trabalho em três capítulos: o primeiro persegue o movimento de formação do conceito de Outro, bem como o contexto de sua introdução, à luz da influência do pensamento estrutural; o segundo delimita o modo específico pelo qual Lacan se refere ao Outro após a subversão da linguística, para explicitar o caminho que nos conduz à tese da incompletude do Outro. O terceiro capítulo examina o Outro desde a articulação estabelecida entre a teoria do significante e a lógicamatemática, de modo a abordar a tese da inconsistência do Outro. Para Lacan, a subversão do sujeito se revela a partir de sua articulação decisiva com a dimensão significante. Mostraremos como a importância dessa subversão, tanto do ponto de vista teórico, quanto clínico, se destaca, na medida em que explicitamos sua articulação com as considerações lacaniana a respeito do estatuto incompleto e inconsistente do Outro.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleO estatuto do Outro no pensamento de Jacques Lacanpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordSujeito (Psicologia)pt_BR
dc.subject.keywordAlteridadept_BR
dc.subject.keywordIndividualidadept_BR
dc.subject.keywordFreud, Sigmund, 1856-1939 - crítica e interpretaçãopt_BR
dc.subject.keywordLacan, Jacques, 1901-1981 - crítica e interpretaçãopt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.description.abstract1This study conducts an investigation into the statute of the concept of Other in the thought of Jacques Lacan. We start by discussing the idea that what motivates the emergence of the category of Other is the structuralism’s influence in lacanian teaching from the 1950s onwards - which results in a specific understanding of language as the order of determination of the human world - alongside with the need to carry forward a theory of the constitution of the subject. In 1955, Lacan presented the concept, defining it as a place, precisely as a symbolic place. This way of referring to the Other acquires constancy, especially in the late 1950s, after the subversion of linguistics. Within the context that demarcates the articulation between subject and Other, we highlight two theses that delimit the central problem of this research: (i) the subject depends on the Other, and (ii) the Other is incomplete or, yet, inconsistent. The Other is presented under a double aspect: if, on the one hand, a structure is absolutely necessary for the constitution of the subject, on the other hand, its importance is indebted to the characteristic of being a faulty structure. In this dissertation, we will focus on the task of examining what this duplicity might mean. Specifically, we shall address the matter of understanding the general thesis’ meaning and implications that the subject is determined by the Other in a non-absolute way. This paper has been divided into three chapters: the first one follows up the movement of formation of the concept of Other, as well as the context of its introduction, in light of the influence of structural thinking. The second one delimits the specific way in which Lacan refers to the Other after the subversion of linguistics, in such a way to elucidate the path that leads us to the thesis of incompleteness of the Other. The third chapter examines the Other from the articulation established between the theory of the signifier and the mathematical logic, in order to approach the thesis of the inconsistency of the Other. For Lacan, the subversion of the subject reveals itself from its decisive articulation with the significant dimension. We will show how the importance of this subversion, both from a theoretical and clinical point of view, stands out, insofar as we explain its articulation with Lacanian considerations regarding the incomplete and inconsistent statute of the Other.pt_BR
Appears in Collections:PCL - Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/25245/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.