Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/25153
Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
ARTIGO_EffectsImmigrationPrevalenceMalaria.pdf488,47 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Effects of immigration on the prevalence of malaria in rural areas of the Amazon basin of Brazil
Outros títulos: Conseqüência da imigração na prevalência da malária nas áreas rurais da bacia Amazônica no Brasil
Autor(es): Macgreevy, Patrick B.
Dietze, Reynaldo
Prata, Aluísio
Hembree, Stephen C.
Assunto: Malária - Brasil
Epidemiologia
Data de publicação: Dez-1989
Editora: Instituto Oswaldo Cruz, Ministério da Saúde
Referência: MACGREEVY, Patrick B. et al. Effects of immigration on the prevalence of malaria in rural areas of the Amazon basin of Brazil. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, v. 84, n. 4, p. 485-491, out./dez. 1989. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0074-02761989000400005&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 06 nov. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0074-02761989000400005.
Resumo: Epidemiological studies were conducted on malaria in three rural areas of the Amazon basin in the State of Rondônia: the town of Costa Marques, Forte Príncipe da Beira (Fort), and an immigrant settlement in the nearby forest. These studies were instituted to document the malaria problem and to describe the role of immigration on its distribution and prevalence. Hospital records in the town show that the number of malaria cases increased five fold from 1983 to 1987 and that the predominant malaria parasite changel from Plasmodium vivax to P. falciparum. Increased malaria followed increased immigration and colonization of the forest. A series of epidemiologic studies suggested the linkage between malaria and immigration as the prevalence of malaria was 1-2% at the Fort, a stable community, 8-9% at Costa Marques, a growing community, and 14-26% in the new settlements in the forest.
Foram conduzidos estudos epidemiológicos de malária em três áreas rurais da Amazônia legal, no Estado de Rondônia: a cidade de Costa Marques, Forte Príncipe da Beira (Forte) e uma colônia de imigrantes perto da floresta. Esses estudos descrevem o papel da imigração na distibuição e prevalência da doença. Os registros hospitalares na cidade mostram que o número de casos de malãria aumentou cinco vezes desde 1983 a 1987 e o parasita predominte da malária mudou do Plasmodium vivax para o P. falciparum. O aumento da malária foi seguido pelo crescimento da imigração e colonização da floresta. Uma série de estudos epidemiológicos sugeriu que há ligação entre malária e imigração uma vez que a prevalência da malária foi de 1-2% para o Forte, uma comunidade estável, 8-9% em Costa Marques, uma comunidade em crescimento, e 14-26% na nova colônia de imigrantes na floresta.
Licença: Memórias do Instituto Oswaldo Cruz - All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License (CC BY NC 4.0). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0074-02761989000400005&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 06 nov. 2017.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0074-02761989000400005
Aparece nas coleções:FMD - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.