Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/25032
Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
ARTIGO_InfeccaoExperimentalCalomysCallosus.pdf709,7 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Infecção experimental de Calomys callosus (Rodentia Cricetidae) com Trypanosoma cruzi
Outros títulos: Results of the experimental infection of Calomys callosus (Rodentia) with human strains of Trypanosoma cruzi
Autor(es): Borges, Monamaris M.
Mello, Dalva A.
Teixeira, Maria Lucia
Assunto: Roedor
Tripanossoma cruzi
Data de publicação: Ago-1982
Editora: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Referência: BORGES, Monamaris M.; MELLO, Dalva A.; TEIXEIRA, Maria Lucia. Infecção experimental de Calomys callosus (Rodentia Cricetidae) com Trypanosoma cruzi. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 16, n. 4, p. 233-242, ago. 1982. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89101982000400004&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 14 nov. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101982000400004.
Resumo: São apresentados resultados sobre a infecção experimental de Calomys callosus (Rodentia) e duas cepas (Y e Berenice) de Trypanosoma cruzi, isoladas de casos humanos. O estudo da evolução foi feito comparado com Mus musculus albino cepa "Swiss", quanto a prepatência, parasitemia, patência e letalidade. Análise histopatológica foi também conduzida em C. callosus, com o objetivo de verificar o tropismo tissular e agressividade das cepas neste roedor. Os experimentos mostraram que a evolução da infecção em C. Callosus foi diferente para as duas cepas de T. cruzi. A cepa Y apresentou maior parasitemia do que a cepa Berenice. O período prepatente variou com as doses utilizadas tendo sido mais curto nos animais inoculados com a cepa Y (2, 2-5, 2 dias) do que naquelas com a cepa Berenice (3, 2-7 dias). Embora as duas cepas inoculadas nos C. callosus tenham-se mostrado miotrópicas, as alterações tissulares foram mais acentuadas com a Y. Os resultados obtidos abrem perspectivas quanto à possibilidade do uso de C. callosus como animal experimental para T. cruzi.
Abstract: An albino "swiss" strain of Mus musculus was used for comparison purposes with regard to the following parameters: parasitemia, prepatent period, patency of the infection and lethality. Histopathological studies were carried out with the aim of observing the tissue tropism and aggressiveness of T. cruzi against C. callosus. The experiments showed that the evolution of the infection in C. callosus was different according to the two T. cruzi strains utilized. They strain produced higher parasitemia than the Berenice strain. The prepatent period varied as a result of the inocula being shorter in the animals inoculated with the strain Y (2, 2-3, 2 days) than in those infected with the Berenice strain (3, 2-7, 0 days). Although both strains were shown to be myotropic, the tissue alterations were more pronounced in the animals inoculated with the Y strain. Results indicated the possibility that C. callosus may be used as experimental animals for T. cruzi infection.
Licença: Revista de Saúde Pública - All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License (CC BY NC 4.0). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89101982000400004&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 14 nov. 2017.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101982000400004
Aparece nas coleções:FMD - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.