Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/24233
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_LuanaVaz.pdf1,56 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCoelho, Cristina Massot Madeira-
dc.contributor.authorVaz, Luana-
dc.date.accessioned2017-08-22T19:52:53Z-
dc.date.available2017-08-22T19:52:53Z-
dc.date.issued2017-08-22-
dc.date.submitted2017-03-27-
dc.identifier.citationVAZ, Luana. A sala de aula como espaço relacional: o olhar do professor para as singularidades dos alunos. 2017. 162 f., il. Dissertação (Mestrado em Educação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/24233-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2017.pt_BR
dc.description.abstractO presente trabalho apresenta a compreensão da relação entre professor e alunos como aspecto fundamental da prática pedagógica. Considerando o processo de ensino aprendizagem como um processo relacional, constituído por uma dimensão subjetiva, entende se que é de fundamental importância a consideração das singularidades dos alunos no espaço social da sala de aula. Sendo assim, esta pesquisa propôs-se investigar as formas como uma professora buscava conhecer as especificidades dos alunos na dinâmica relacional da sala de aula, bem como identificar de que maneira esse conhecimento orientava a organização do trabalho pedagógico. O estudo foi fundamentado teoricamente pela perspectiva histórico-cultural de Vigotski e pela teoria da subjetividade numa perspectiva cultural-histórica, de González Rey. O processo investigativo foi ancorado nos princípios da Epistemologia Qualitativa, de González Rey (2005), que pressupõe o processo de produção do conhecimento a partir de um caráter construtivo-interpretativo, singular e dialógico. A pesquisa foi realizada a partir de um estudo de caso em uma turma do 1º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública do Distrito Federal, em que buscou-se conhecer as bases da relação professora-alunos, os processos comunicativos e a articulação da constituição subjetiva da professora com as dinâmicas relacionais desenvolvidas na sala de aula. Foram utilizados como instrumentos de pesquisa: observação participante das aulas e das coordenações pedagógicas; entrevistas; dinâmicas conversacionais; complemento de frases; análise documental e redação. A construção interpretativa indicou que as formas de a professora se relacionar com os alunos tinham como base suas escolhas pedagógicas, seu sistema de valores e crenças, suas concepções sobre aprendizagem e infância e suas produções subjetivas em relação a seus alunos. As maneiras como a professora buscava conhecer seus alunos não estavam baseadas em ações específicas, mas na transformação da sala de aula em um espaço relacional, aberto ao diálogo e que abria espaço para o envolvimento emocional dos alunos e para que eles se posicionassem como sujeitos. A relação dialógica entre professora e alunos era base para o desenvolvimento do trabalho pedagógico e, ainda, para o desenvolvimento dos alunos e da própria professora. O modo de funcionamento da turma estava fortemente marcado pela constituição subjetiva da professora. A partir das informações construídas, se reconhece a complexidade da relação professor-aluno, que é composta por uma multiplicidade de fatores que se articulam de maneira singular, e a necessidade de se ampliar as discussões sobre a dimensão subjetiva que constitui o espaço social da sala de aula.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleA sala de aula como espaço relacional : o olhar do professor para as singularidades dos alunospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordRelação professor - alunopt_BR
dc.subject.keywordSala de aulapt_BR
dc.subject.keywordTrabalho pedagógicopt_BR
dc.subject.keywordVigotsky, Lev Semenovich, 1896-1934 - crítica e interpretaçãopt_BR
dc.subject.keywordProcesso pedagógicopt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.description.abstract1This paper presents the connection between teacher and students as fundamental in pedagogical practice. Considering the teaching-learning process as a relational process, composed of a subjective dimension, it is of our understanding that it is of major significance consider the singularities of students in the social space that is the classroom. Therefore, the research aims to investigate the ways a teacher got to know the particularities of her students in the relational dynamic of classroom, such as identify how this information guided the organization of her pedagogical work. This study was based on the cultural-historical theory of Vigotski e on the theory of subjectivity developed by González Rey. The investigative process was based on the principles of the Qualitative Epistemology, by González Rey (2005), that assume the process of construction of knowledge from the constructive-interpretative, singular and dialogical aspects. The study was made from a case study of a class of 1º year of the fundamental course at a public school in Distrito Federal, where aimed to understand the basis of the relationship between teacher and students, the communicative process and the coordination between the teacher’s subjectivities and the relational dynamics developed in class. As research material were used: participative observation of the classes and pedagogical reunion; interviews; dynamic talks; phrases complementarity; documental analysis and essays. The interpretative construction indicated that the form that the teacher connected with her students had for base her pedagogical choices, value system and believes, her conceptions about learning and childhood and her subjective output. The ways that the teacher had to know her students weren’t based on specific actions, but on the transformations of the classroom into a relational space, open to the dialogue and to the emotional involvement of the students so they could show theirselves as individuals. The dialogical relations between teacher and students was the basis for the development of the pedagogical work and, yet, for the development of both students and teacher. The way the class operated was strongly marked by the constitution of the teacher subjectivity. Based on these details, the complexity of the teacher-student relation is recognized, composed by the variety of factors that are articulated in their own way, and the need of widen the discussion about the subjective dimension that constitute the social space of the classroom.pt_BR
Appears in Collections:FE - Mestrado em Educação (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/24233/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.