Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/23981
Título: Metafísica e exterioridade : Jean Wahl e o gosto empirista de Deleuze
Autor(es): Santos, Bernardo de Carvalho Tavares dos
Orientador(es): Bensusan, Hilan
Assunto: Deleuze, Gilles, 1925-1995
Empirismo
Metafísica
Filosofia - história
Data de publicação: 31-Jul-2017
Data de defesa: 3-Abr-2017
Citação: SANTOS, Bernardo Tavares dos. Metafísica e exterioridade: Jean Wahl e o gosto empirista de Deleuze. 2017. 105 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: A presente dissertação assume, como via de acesso ao pensamento de Deleuze, a ideia de que imprimem-se, nos lances de tal filosofia, as marcas fundamentais de um empirismo metafísico diretamente influenciado pelo pensamento de Jean Wahl, e vinculado, através dele em sua posição particular na academia francesa, não apenas a Bergson (o que evidencia, certamente, uma linhagem do pensamento francês), mas também a William James e Whitehead. A seguir, contudo, as sugestivas relações histórico-biográficas às quais se apontará serão menos importantes que as relações filosóficas entre esses cinco pensamentos. Esta abordagem mais geográfica da assim chamada “história” da filosofia, feita de planos, regiões e camadas sobrepostas, é ela também deleuziana, e foi elaborada em sua forma mais bem acabada em O que é a filosofia? (com Guattari). A primeira parte deste trabalho se ocupará da concepção apresentada neste livro e culminará na noção deleuzo-guattariana de gosto filosófico. A hipótese de leitura que nos orientará a partir de então será a seguinte: é o próprio gosto de Deleuze — ou seja, a maneira como sua filosofia se constrói, e não apenas este ou aquele termo mobilizado por ela — que coloca a sua filosofia em comunicação decisiva com a de Wahl. A segunda parte desta dissertação percorre o empirismo metafísico deste último, uma filosofia positiva, relacional e intensiva, passando por sua leitura de Bergson, James e Whitehead. Será aberto assim um vasto conjunto de possibilidades de composição entre tais filosofias e a de Deleuze. Na terceira parte, serão recolhidas algumas destas possibilidades, com o objetivo de demonstrar de que maneira a hipótese de um Deleuze com gosto filosófico empirista à moda de Wahl e seus aliados conduz a uma compreensão coerente de três questões que a obra deleuziana coloca ao seu leitor: a relação de tal pensamento com a história da filosofia e notadamente seu cânone racionalista; as relações com Kant e sua filosofia crítica, por trás do projeto deleuziano do empirismo transcendental; a significação da obra escrita a partir d’O anti-Édipo e do encontro com Guattari.
Abstract: The present work assumes, as a way of accessing Deleuze’s thought, the hypothesis that the very moves of such philosophy carry the characteristic marks of a metaphysical empiricism directly influenced by Jean Wahl’s thought, and, linked through him—in his particular position within French Academy—not only to Bergson (indicating an authentic lineage of French thought), but also to William James and Whitehead. In the following however, our suggestive observations on historical-biographical relations will be less important than the philosophical relations between the five thoughts. This more geographical approach of so called “history” of philosophy is itself a Deleuzean approach, which was developed in its best well-finished manner in What is philosophy? (with Guattari). The first part of this work is devoted to Deleuze’s view of philosophy in the book mentioned, and culminates in the notion of philosophical taste. Our hypothesis transforms itself. It is by its philosophical taste—the very manner in which his philosophy is construed, not only some therm which it mobilizes—that Deleuze’s philosophy communicates resolutely with Wahl’s. The second part of this text goes through the metaphysical empiricism of the latter—a positive, relational and intensive philosophy—whose paths also include encounters with Bergson, James and Whitehead. Thus we open numerous possibilities of bringing together—or to compose—this four thoughts and Deleuze’s philosophy. In out third part, we will recall a few of this possibilities, in order to demonstrate that our hypothesis of a Deleuze endowed with empiricist philosophical taste, in the way of Wahl and his allies, leads to a coherent understanding of three questions brought by Deleuze to the readers of his books: the relations between Deleuzean thought and the history of philosophy, and namely the relations with its rationalistic canon; the relations with Kant and its critical philosophy that underlie the project of transcendental empiricism; the significance of the Deleuze’s work written after his encounter with Guattari.
Descrição: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília,Instituto de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, 2017.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FIL - Mestrado em Filosofia (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_BernardodeCarvalhoTavaresdosSantos.pdf1,41 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.