Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/23635
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_AdriellyGarciaSiebert.pdf1,72 MBAdobe PDFView/Open
Title: As concepções e práticas de psicólogos escolares e clínicos referentes ao processo de ensino aprendizagem de crianças diagnosticadas com TDAH
Authors: Siebert, Adrielly Garcia
Orientador(es):: Pulino, Lúcia Helena Cavasin Zabotto
Assunto:: Psicologia escolar
Psicologia clínica infantil
Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)
Processo de ensino - aprendizagem
Psicólogos escolares
Issue Date: 6-Jun-2017
Citation: SIEBERT, Adrielly Garcia. As concepções e práticas de psicólogos escolares e clínicos referentes ao processo de ensino aprendizagem de crianças diagnosticadas com TDAH. 2017. xiv, 136 f., il. Dissertação (Mestrado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Abstract: No exercício da sua profissão, os psicólogos clínicos e escolares, muitas vezes, são convocados à busca da “cura” dos problemas da educação, podendo confirmar o pensamento patologizante do processo de desenvolvimento infantil, ou, em uma postura crítica, serem agentes de desconstrução dessa lógica na promoção de reflexões que encarem a dificuldade de aprendizagem a partir de uma ótica contextualizada e complexa da vida da criança. Esta pesquisa, orientada a partir da perspectiva histórico-cultural, teve como objetivo compreender as concepções e práticas, de psicólogos escolares e clínicos, relativas ao processo de diagnóstico e acompanhamento de crianças diagnosticadas com TDAH. Como procedimentos de construção de informações, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com quatro psicólogos, dois clínicos e dois escolares, que atendem demandas de queixa escolar. As informações construídas foram estruturadas em eixos temáticos, a partir das falas dos participantes, e analisadas com base na Epistemologia Qualitativa de González-Rey. Foram construídas quatro (4) temáticas: 1) Concepções e práticas relativas à infância, desenvolvimento e aprendizagem; 2) Concepções e práticas relativas à Educação e à Escola; 3) Concepções e práticas relativas ao TDAH; 4) Como os psicólogos escolares e clínicos se reconhecem e se relacionam mutuamente no trabalho com a criança diagnosticada com TDAH. A análise permitiu que se produzisse um conhecimento construtivo-interpretativo das falas dos psicólogos, articuladas à perspectiva teórica que orienta esta pesquisa. Encontramos no tema 01 visões que percebem a infância como imprevisibilidade, como um devir puro e como a fase fundante do desenvolvimento humano. No tema 02, a escola é vista pelos profissionais como um ambiente que nem sempre esgota suas possibilidades de intervenção e, muitas vezes, transfere a responsabilidade do processo de ensino-aprendizagem para os profissionais da saúde. Os entrevistados refletiram sobre a necessidade de esse ambiente trabalhar mais os aspectos subjetivos dos alunos, dos educadores, e da família. Apresentamos no tema 03, a dúvida dos participantes quanto ao diagnóstico do transtorno e do processo de medicalização em torno de seu tratamento. O posicionamento dos participantes refletiu um pensamento contra hegemônico do TDAH. No tema 04, os psicólogos especificam o trabalho do psicólogo escolar envolvendo o coletivo da escola - família, aluno e professor - e dão ênfase à formação de professores e ao diálogo com os profissionais que atendem as crianças fora da escola. Em relação ao trabalho do clínico, destacam a necessidade de visitar a escola e de conhecer o comportamento da criança e das relações que se estabelecem nesse contexto. Além disso, compreendem que o clínico tem a possibilidade de conhecer os processos subjetivos da família e da criança de forma mais profunda.
Abstract: In the exercise of his profession, the school and clinical often called to seek the “cure” of educational problems, confirming the pathological understanding of the child development process, or, through the critical thinking, be agents of deconstruction of this logic by promoting reflections about the learning difficulties from a contextualized and complex perspective of the child’s life. This research, oriented from the historical-cultural perspective, aimed to understand the conceptions and practices of school and clinical psychologists, regarding the process of diagnosis and follow-up of children with ADHD. As information-building procedures, semistructured interviews were conducted with four psychologists, two clinical psychologists and two school psychologists, who meet demands for school complaints. This information was structured in themes, based on the participants’ statements and on the field diary records, and analyzed based on González-Rey’s Qualitative Epistemology. Four (4) themes were constructed: 1) Conceptions and practices related to childhood, development and learning; 2) Conceptions and practices related to Education and School; 3) Concepts and practices related to ADHD; 4) How school and clinical psychologists recognize and relate to each other while working with the child diagnosed with ADHD. The analysis allowed the construction of a comprehensive understanding of the psychologists’ speeches, articulated to the theoretical perspective that guides this research. We find in the Meaning Zone 01 visions that perceive the childhood as unpredictable, as a pure becoming and as the foundational phase of human development. In the Meaning theme 02, the school is seen by professionals as an environment that does not always exhaust its possibilities of intervention and, often, transfers the responsibility of the teaching-learning process to health professionals. The interviewees reflected on the necessity of this environment to work more the subjective aspects of students, educators and the family. We present in the Meaning theme 03, the doubt of the participants regarding the diagnosis of the disorder and the process of medicalization around their treatment. The positioning of the participants reflected an anti-hegemonic thinking of ADHD. In Meaning Zone 04, psychologists specify the work of the school psychologist involving the school collective – family, student and teacher – and emphasize teacher training and dialogue with professionals who serve children out of school. Regarding the work of the clinician, they emphasize the need to visit the school and to know the behavior of the child and the relationships that are established in that context. In addition, they understand that the clinician has the possibility to know the subjective processes of the family and the child in a deeper way.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, 2017.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:PED - Mestrado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/23635/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.