Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/23491
Título: Avaliação in vitro do potencial de segurança, probiótico e tecnológico de Pediococcus pentosaceus isolado de leite de ovelhas
Autor(es): Fernandes, Mayara Leal
Orientador(es): Ferreira, Márcia de Aguiar
Assunto: Bactérias produtoras de ácido láctico
Fermentação
Leite
Indústria de laticínios
Data de defesa: 22-Fev-2017
Citação: FERNANDES, Mayara Leal. Avaliação in vitro do potencial de segurança, probiótico e tecnológico de Pediococcus pentosaceus isolado de leite de ovelhas. 2017. xii, 47 f., il. Dissertação (Mestrado em Saúde Animal)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Testes de avaliação de potencial de segurança, probiótico e tecnológicos foram realizados em seis isolados de Pediococcus pentosaceus (Ac1Pd, Ac3Pd, Ac4Pd, Ac5Pd, Ac7Pd, Ac22Pd) provenientes de leite de ovelha. Os resultados obtidos demonstraram que nenhum dos isolados foi capaz de produzir aminas biogênicas ou fatores de virulência. Os isolados testados apresentaram baixa hidrofobicidade, alta capacidade de autoagregação e coagregação com L. monocytogenes ATCC 7644, L. sakei ATCC 15521 e E. faecalis ATCC 19444, porém nenhum produziu β-galactosidase e bacteriocinas. Não foi observado desenvolvimento dos isolados em pH 3 e 12, sendo que na faixa de pH de 4 a 10 o desenvolvimento foi variável. Na ausência de bile todos os isolados apresentaram desenvolvimento, observando-se supressão quando em concentrações de 0,1%, 0,3%, 0,6% e 1%. No teste de disco-difusão os isolados testados foram resistentes a oxaciclina, sulfatrimetropim e vancomicina, mas foram sensíveis ao cloranfenicol e à tetraciclina e com resultados variáveis para a penicilina G e foram resistentes à maioria dos medicamentos testados, exceto à amoxicilina tri-hidratada e ibuprofeno. Todas as culturas apresentaram alta capacidade de acidificação do leite somente após 24h e nenhum produziu exopolissacarídeos. Os isolados de P. pentosaceus foram capazes de produzir diacetil, no entanto, nenhuma cultura apresentou atividade proteolítica extracelular e a produção de autólise foi variada de 21,3% a 30,5%, após 24h. Os isolados se desenvolveram em concentrações de NaCl a 4% e 6%, porém o desenvolvimento foi menor na concentração de 10%. Por fim, todos os isolados apresentaram boa capacidade de segurança, mas aplicação limitada como probióticos e alguns aspectos de potencial tecnológico.
Abstract: Potencial safety, probiotic and technological tests were performed on six isolates (Ac1Pd, Ac3Pd, Ac4Pd, Ac5Pd, Ac7Pd, Ac22Pd) from Pediococcus pentosaceus from sheep's milk. The results showed that none of the isolates were able to produce biogenic amines or virulence factors. The isolates tested showed low hydrophobicity, high self-aggregation capacity and coaggregation with L. monocytogenes ATCC 7644, L. sakei ATCC 15521 and E. faecalis ATCC 19444, but none produced β-galactosidase and bacteriocins. No growth of the isolates at pH 3 and 12 was observed, and in the pH range from 4 to 10 the growth was variable. In the absence of bile, all the isolates showed growth, with suppression at concentrations of 0,1%, 0,3%, 0,6% and 1%. In the disc-diffusion test the isolates tested were resistant to oxacicline, sulfatrimetropim and vancomycin but were sensitive to chloramphenicol and tetracycline and with variable results for penicillin G and were resistant to most of the drugs tested except for amoxicillin trihydrate and ibuprofen. All cultures showed high milk acidification capacity only after 24 hours and none produced exopolysaccharides. The isolates of P. pentosaceus were able to produce diacetyl, however, no culture showed extracellular proteolytic activity and the production of autolysis was varied from 21.3% to 30.5% after 24h. The isolates growth at concentrations of 4% and 6% NaCl, but the growth was lower at 10% concentration. Finally, all the isolates showed good safety, but limited application as probiotics and some aspects of technological potential.
Descrição: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária Programa de Pós-Graduação em Saúde Animal, 2017.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FAV - Mestrado em Saúde Animal (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_MayaraLealFernandes.pdf1,77 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.