Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/2346
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_MulheresEProfissionais.pdf512,51 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Mulheres e profissionais de saúde : o imaginário cultural na humanização ao parto e nascimento
Outros títulos: Women and health care professionals: the role of cultural imagination in the humanization of delivery and childbirth
Las mujeres y los profesionales de la salud: lo imaginario cultural en la humanización al parto y al nacimiento
Autor(es): Griboski, Rejane Antonello
Guilhem, Dirce
Assunto: Humanização do parto
Parto (Obstetrícia)
Data de publicação: Mar-2006
Referência: GRIBOSKI, Rejane Antonello; GUILHEM, Dirce. Mulheres e profissionais de saúde: o imaginário cultural na humanização ao parto e nascimento. Texto contexto - enferm., Florianópolis, v. 15, n. 1, mar. 2006 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072006000100013&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 27 nov. 2009.
Resumo: Na busca por conhecer o impacto da política de humanização ao parto e nascimento, para mulheres e profissionais de saúde, foi realizada uma pesquisa qualitativa, tomando como referencial metodológico a Análise de Conteúdo e os dados coletados por meio de entrevistas individuais. Os resultados, analisados à luz da Bioética Feminista, apontam que as mulheres vivenciam o processo parturitivo com a sensação de medo e desconhecimento do mesmo; e a humanização, nesse momento, significa submeter-se às ações intervencionistas a elas dirigidas, colocando-as em situação de extrema vulnerabilidade. Os profissionais verbalizam a existência de uma hierarquização nas relações, entre eles e as mulheres, que delimita o espaço social e de saberes. Ficou evidente a falta de comunicação na assistência dispensada por eles às mulheres. O resgate da autonomia feminina frente ao processo parturitivo e a transformação nas relações interpessoais e profissionais são aspectos relevantes vinculados às mudanças propostas pela Política de Humanização. __________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
In the search for knowing the impact for women and health professionals of the politics of humanization on childbirth and birth, a qualitative research was carried out, using as a methodological reference the Content Analysis. The data was collected by means of individual interviews. The results, analyzed in the light of Feminist Bioethics, point out that women live the parturition process with the sensation of fear and unfamiliarity; and humanization, at that moment, means to submit to the interventionist actions directed towards them, putting them in a situation of extreme vulnerability. The professionals verbalize the existence of a hierarchization in the relationships, between them and women, that delimits the social space and knowledge. The lack of communication in the care dedicated by them to women was evident. The rescue of feminine autonomy in view of the parturition process and the transformation in the interpersonal and professional relationships are relevant aspects tied to the changes proposed by the Politics of Humanization. ____________________________________________________________________________________________________ RESUMEN
En la búsqueda de conocer el impacto de la política de humanización al parto y al nacimiento para mujeres y profesionales de la salud fue realizada una investigación cualitativa, usando como la metodología de referencia el Análisis de Contenido. Los datos fueron recolectados mediante la entrevista individual, así las informaciones obtenidas y analizadas a la luz de la Bioética Feminista apuntan que las mujeres vivencian el proceso de parto y alumbramiento con la sensación de miedo y desconocimiento del mismo; y la humanización en ese momento, significa someterse a las acciones intervencionistas dirigidas, a ellas, colocándolas en situación de vulnerabilidad extrema. Los profesionales verbalizan la existencia de una jerarquización en las relaciones, entre ellos y las mujeres, que delimita el espacio social y de los saberes. Fue evidente la falta de comunicación en la asistencia dispensada por ellos a las mujeres. El rescate de la autonomía femenina frente al proceso de parto y la transformación en las relaciones interpersonales y profesionales son aspectos relevantes vinculados a los cambios propuestos por la Política de Humanización.
Informações de Acesso e Conteúdo: Este artigo constitui um recorte da dissertação de mestrado intitulada “Humanização do parto à luz da bioética: percepções de mulheres e profissionais da saúde”, defendida junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, da Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade de Brasília – FS/UnB, em julho de 2004.
Aparece nas coleções:ENF - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons