Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/23444
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_TerSerRepresentacoes.pdf501,98 kBAdobe PDFView/Open
Title: O ter e o ser : representações sociais da adolescência entre adolescentes de inserção urbana e rural
Other Titles: To have and to be : social representations of adolescence among adolescentes of urban and rural insertion
Authors: Martins, Priscilla de Oliveira
Trindade, Zeidi Araújo
Almeida, Ângela Maria de Oliveira
Assunto:: Psicologia social
Representações sociais
Adolescência
Issue Date: 2003
Publisher: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Citation: MARTINS, Priscilla de Oliveira; TRINDADE, Zeidi Araújo; ALMEIDA, Angela Maria de Oliveira. O ter e o ser: representações sociais da adolescência entre adolescentes de inserção urbana e rural. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 16, n. 3, p. 555-568, 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722003000300014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 04 maio 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722003000300014
Abstract: Fundamentando-se na Teoria das Representações Sociais este trabalho analisa como adolescentes de diferentes inserções sociais representam a adolescência e dão sentido ao período em que vivem. Participaram desse estudo 360 adolescentes entre as idades de 14 e 23 anos: 180 (90 do sexo feminino e 90 do sexo masculino) residentes em região urbana, estudantes de escola particular, localizada em bairro considerado de classe média alta e alta, e 180 (90 do sexo feminino e 90 do sexo masculino) residentes em uma região rural e que estudam em escola agrotécnica pública. Os resultados indicaram que a adolescência para os dois grupos está ancorada na percepção tradicional da adolescência como fase universal e transitória. Ocorre, entretanto, uma diferenciação de acordo com os elementos culturais presentes nos grupos. Dessa forma, verificamos formas diferentes de vivenciar a adolescência, corroborando assim, a tendência mais recente que propõe a adolescência como uma condição construída historicamente.
Abstract: Based on the Theory of Social Representation the present work analyses how adolescents from different social background represent and understand adolescence. Three hundred and sixty adolescents from 14 to 23 years old participated in this research: 180 (90 female and 90 male) live in an urban area and study in a private school located in a high-middle class and high class neighborhood, and 180 (90 female and 90 male) live in a rural area and attend an agrotechnical public school.The results pointed out that both groups are anchored on a traditional perception of adolescence as a universal and transitory period. There is, however, a differentiation according to cultural elements present in both groups. Therefore, we observe different forms of experiencing adolescence which confirms the most recent tendency to see adolescence as a historically constructed condition.
Licença:: Psicologia: Reflexão e Crítica - Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons (Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0)). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722003000300014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 04 maio 2017
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722003000300014
Appears in Collections:PST - Artigos publicados em periódicos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/23444/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.